Filósofos e sociólogos importantes para a educação

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Filósofos e sociólogos importantes para a educação por Mind Map: Filósofos e sociólogos importantes para a educação

1. PIERRE BOURDIEU (1930 – 2002) Para Bourdieu, a escola é um espaço de reprodução e legitimação de estruturas sociais e de transferência de capitais de uma geração para outra. É nela que o legado econômico da família transforma-se em Capital Cultural. Ou seja, o modelo educacional estudado por Bourdieu, não é tido como neutro, mas sim como legitimador das desigualdades socioculturas, visto que a concepção superficial de acesso geral a educação é uma propagação da violação simbólica do Capital Cultural (bagagem cultural) de alunos socialmente desfavorecidos.

2. MAX WEBER (1864 – 1920) A educação, para Weber, tem início no processo de racionalização, “desencantamento” e burocratização do mundo. Com isso, a educação seria o modo pelo qual os homens são preparados para exercer as funções que a transformação causada pela racionalização da vida lhes colocou à disposição. Weber, apresenta uma tríade de noções ideais sobre a pedagogia, sendo elas: “o despertar do carisma”, “a pedagogia do cultivo” e por fim “o treinamento especializado”.

3. ÉMILE DURKHEIM (1858 – 1917) Ele acreditava que a educação é essencialmente o processo pelo qual aprendemos a ser membros da sociedade. Educação é socialização! Nessa lógica de Durkeim, ainda, existem certos costumes, regras, que precisam e devem ser obrigatoriamente transmitidas no processo educacional, gostemos ou não delas.

4. LUCKESI (1943) Para o professor, todo ato de educar assenta-se sobre uma reflexão filosófica. Assim, se como docentes, não desenvolvemos o ato reflexivo sobre nossa prática, nos tornamos reprodutores das ideias e valores não pensados por nós. Logo, não há como processar-se uma ação pedagógica sem uma correspondente reflexão filosófica de atuação.