CIDADE DE DEUS E CIDADE DOS HOMENS

RESUMO DE FILOSOFIA CIDADE DE DEUS E CIDADE DOS HOMENS

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
CIDADE DE DEUS E CIDADE DOS HOMENS por Mind Map: CIDADE DE DEUS E CIDADE DOS HOMENS

1. SÊNECA

2. O Pensamento Político Ocidental de Santo Agostinho(354-430) colocava que, a função do Estado seria controlar o povo, impedindo, portanto, que este caísse em tentações e pecados.Na obra A Cidade de Deus, Santo Agostinho vislumbra uma cidade absolutamente regida de acordo com as leis divinas, livre do pecado, livre dos desejos intensos e avassaladores

3. CIDADE DOS HOMENS: Babilônia (significa confusão) Representada pelos reinos terrenos Associação de pessoas voltadas aos fins terrenos, ao amor em si, desprezando e zombando de Deus Seus membros desejavam paz terrena para usufruírem dos bens desse mundo, aos quais seriam apegados, valorizando-os ao máximo.

4. CIDADE DE DEUS: Jerusalém (visão de paz) Representada pela Igreja Associação de pessoas voltadas aos fins divinos, tendo em vista o amor e a glória de Deus, até chegar ao desprezo de si. Seus membros desejavam a paz eterna, celestial, pura e calma. Por isso, deveriam utilizar os bons terrenos com temperança, como peregrinos em direção ao melhor dos seus destinos, rumo à glória

5. Agostinho caracteriza essas "duas cidades" de acordo com o seu posicionamento espiritual, sua finalidade e a forma de uso dos bens temporais em cada uma delas

6. O amor para Agostinho, era tido como fundamento da comunidade social perfeita, o Estado ou Cidade de Deus. Foi uma forma encontrada por ele, de mostrar sua oposição aos prazeres materias e o seu desejo intenso

7. CICERO

8. PENSAMENTO AGOSTINIANO: Segundo o pensamento agostiniano, a virtude individual era entendida como o verdadeiro ato do amor, o que seguindo a sua concepção significava que, deveria-se aplicar a medida desde sentimento em relação ao valor de cada objeto que fosse digno dele.

9. PENSAMENTO DE CÍCERO E SÊNECA: BASE: Governante deve servir de exemplo para a comunidade política. “Um bom governante, ou seja, um príncipe virtuoso, deve agir sempre de forma racional, sem a violência do leão, nem a astucia da raposa, a fim de conquistar o amor e o respeito dos súditos”

10. CARACTERÍSTICAS ESPERADAS DE UM GOVERNANTE, SEGUNDO CÍCERO E SÊNECA: ✨VIRTUDES CARDEAIS – Sabedoria, justiça, coragem e temperança (moderação) ✨OBJETIVOS NOBRES – Honra, glória e fama ✨VIRTUDES PRINCIPESCAS – Honradez (sempre manter seus princípios); magnanimidade (punir com justiça e clemência); liberalidade (pôr suas riquezas a serviço do povo.

11. Na idade Média, o vínculo entre a autoridade política e a religiosa trouxe uma nova imagem de governante, que além de possuir as virtudes romanas, deveriam representar as virtudes cristãs: fé, esperança e caridade.

12. Agostinho de Hipona (354 d.C - 430 d.C) Aurélio Agostinho de Hipona, conhecido universalmente como Santo Agostinho, foi um dos mais importantes teólogos e filósofos nos primeiros séculos do cristianismo. Foi ele quem propôs uma nova concepção filosófica sobre a política e o bom governo.

13. Segundo Agostinho, a história da humanidade foi palco de uma luta árdua entre o reino de Deus e o reino do Mundo, maracado pelo mal. A batalha teria começado com a queda dos anjos maus ( Lúcifer pode-se ser uma BELO exemplo), essa luta segundo Agostinho, duraria até o fim dos tempos, quando o juízo final destinaria aos bons,corretos, e leais, o direito à vida eterna, ao lado de Deus, cabendo aos pecadores e aos maus, o castigo eterno pelos seus atos.