CONTRIBUTOS QUE PERMITEM PERCEBER O MOVIMENTO DOS CONTINENTES E A EXPANSÃO DO FUNDO DOS OCEANOS

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
CONTRIBUTOS QUE PERMITEM PERCEBER O MOVIMENTO DOS CONTINENTES E A EXPANSÃO DO FUNDO DOS OCEANOS por Mind Map: CONTRIBUTOS QUE PERMITEM PERCEBER O MOVIMENTO DOS CONTINENTES E A EXPANSÃO DO FUNDO DOS OCEANOS

1. ESTUDO DOS FUNDOS DOS OCEÂNICOS

1.1. Morfologia dos fundos oceânicos

1.1.1. Recorre ao emissor de ultrassons de feixe simples (SONAR)

1.1.2. Este aparelho permite calcular a distância a que o fundo se encontra, a partir do tempo que uma onda sonora, emitida pelo menos, leva a chegar e a voltar do fundo oceânico.

1.2. Formas de relevo do fundo dos oceanos

1.2.1. Plataformas continentais

1.2.1.1. superfícies mais ou menos planas junto aos continentes

1.2.2. Dorsais - oceânicas

1.2.2.1. Cadeias montanhosas que se encontram mais ou menos a meio dos fundos oceânicos.

1.2.3. Riftes oceânicas

1.2.3.1. Vales situados na região central das dorsais oceânicas e onde expulsa magma (mistura pastosa), astenosférico.

1.2.4. Planícies abissais

1.2.4.1. Regiões planas muito profundas e extensas que estão ao lado das dorsais - oceânicas.

1.2.5. Fossas oceânicas

1.2.5.1. Zonas de grande profundidade onde a crosta oceânica, arqueando-se mergulha sobre a crosta continental, fazendo com que a crosta oceânica se destrua.

2. PALEOMAGNETISMO DOS FUNDOS OCEÂNICOS

2.1. É o estudo da evolução do campo magnético terrestre que permite, a partir das rochas constituídas por minerais, obter o registo das alterações do campo magnético terrestre.

2.2. As rochas quando estão a ser formadas ficam magnetizadas e mantém essa característica, e não depende das alterações posteriores do campo magnético da Terra

2.3. A análise das rochas dos fundos oceânicos mostram um registo paleomagnético simétrico e paralelo, de ambos os lados da dorsal.

2.4. Quanto à nova crosta oceânica é formada no rifte, solidifica de ambos os lados, ou seja, em placas diferentes que tem tendência a afastar-se.

2.5. À medida que esse afastamento se vai fazendo, as rochas que se encontravam na zona do rífte, quando se formaram, vão sendo, simultaneamente, deslocadas para longe do rífte.

3. IDADE DOS FUNDOS DO OCEÂNICOS

3.1. É possível determinar a idade das rochas do fundo oceânico.

3.2. As rochas são mais recentes junto à dorsal oceânica e são tanto mais antigas quanto mais afastadas estão dela. E possível determinar a idade das rochas é simétrica de um e de outro lado do rífte.

3.3. O estudo dos fundos oceânicos e a análise da variação da idade dos mesmos permitiram perceber que existem movimento do material que constitui a superfície da Terra e que este movimento é divergente desde os ríftes até aos locais onde a placa é consumida.

3.4. Anteriormente os dados permitiam que, em 1960, Harry Hess formulasse uma teoria conhecida por a Teoria da Expansão dos Fundos Oceânicos, os fundos oceânicos formavam-se a partir dos ríftes, crescendo simetricamente a partir deles, sendo posteriormente destruídos nas zonas de subducção.

3.5. Assim os continentes que limitam os oceanos tendem a afastar-se nuns locais, e aproximarem-se noutros.

4. EXPLICAÇÃO ATUALMENTE ACEITE

4.1. A partir de 1994, a explicação aceite pela comunidade cientifica apresenta o peso da litosfera oceânica, que arrasta a respetiva placa, a partir das zonas se subducção (slab pull), como a força motora para o movimento das placas tectónicas.

4.2. A ascensão (subida) do magma pelas correntes de convecção, nas zonas de rífte, favorece esta deslocação, "empurrando" por aumento lateralmente as respectivas placas (ridge push).

5. CONTRIBUTOS QUE PERMITEM PERCEBER O MOVIMENTO DOS CONTINENTES E A EXPANSÃO DO FUNDO DOS OCEANOS

5.1. Em 1928, Arthur Holmesd propõe a existência de correntes de convecção

5.1.1. O calor interno da terra, resultante da radiotividada do núcleo interno

5.1.2. responsavel pelo aquecimento do material que forma o manto, e esse material ascenderia

5.1.3. Na superfície da-se -ia o arrefecimento que provoca a sua descida, pelo aumento da densidade

5.1.4. Correntes de Convecção no Manto.

5.1.5. Este fenómeno pode ser observado no dia a dia e pode ser recriado em laboratório.

5.2. A localização de sismos e vulcões do planeta

5.2.1. Não é uniformes pelo contrario, situam-se ao longo de linhas que parecem dividir a superfície terrestre em porções

5.3. O aperfeiçoamento da tecnologia, nomeadamente durante a segunda guerra mundial

5.3.1. Que permite o estudar o fundo dos oceanos

6. CONTRIBUTOS QUE PERMITEM PERCEBER O MOVIMENTO DOS CONTINENTES E A EXPANSÃO DO FUNDO DOS OCEANOS

6.1. Em 1928, Arthur Holmesd propõe a existência de correntes de convecção

6.1.1. O calor interno da terra, resultante da radiotividada do núcleo interno

6.1.2. responsavel pelo aquecimento do material que forma o manto, e esse material ascenderia

6.1.3. Na superfície da-se -ia o arrefecimento que provoca a sua descida, pelo aumento da densidade

6.1.4. Correntes de Convecção no Manto.

6.1.5. Este fenómeno pode ser observado no dia a dia e pode ser recriado em laboratório.

6.2. A localização de sismos e vulcões do planeta

6.2.1. Não é uniformes pelo contrario, situam-se ao longo de linhas que parecem dividir a superfície terrestre em porções

6.3. O aperfeiçoamento da tecnologia, nomeadamente durante a segunda guerra mundial

6.3.1. Que permite o estudar o fundo dos oceanos