Distribuição e Armazenagem

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Distribuição e Armazenagem por Mind Map: Distribuição e Armazenagem

1. Armazenamento

1.1. Armazenamento Estratégico

1.1.1. Benefícios Econômicos

1.1.1.1. Custos logísticos gerais são reduzidos

1.1.1.1.1. 1) Consolidação e Fracionamento de Carga

1.1.1.1.2. 2) Separação

1.1.1.1.3. 3) Armazenamento Sazonal

1.1.1.1.4. 4) Logística Reversa

1.1.2. Benefícios de Serviço

1.1.2.1. Causam aumentos de receita pela melhora de serviço

1.1.2.1.1. 1) Estoque Ocasional

1.1.2.1.2. 2) Estoque de Linha Completa

1.1.2.1.3. 3) Serviços com Valor Agregado

1.2. Funcionamento de um armazém

1.2.1. Objetivo: receber estoque, armazená-lo conforme solicitado, montá-lo para formar pedidos completos e enviá-lo para os clientes de modo eficiente.

1.2.1.1. Manuseio: movimentação é contínua no armazém e é melhor fazer movimentações longas do que diversas movimentações pequenas devido ao menor tempo e menor risco de danos aos produtos. Além disso, grandes quantidades em movimentação trazem economias de escala.

1.2.1.1.1. Recebimento: primeira atividade do manuseio é descarregar o os produtos, que geralmente chegam em grande volume por caminhões. Normalmente é realizada mecanicamente, com empilhadeiras, esteiras rolantes e alguns processos manuais. Cargas unitizadas (como em pallets) aceleram o processo e liberam os equipamentos de transporte de chegada mais rápido.

1.2.1.1.2. Manuseio no armazém: depois do recebimento, o produto é movimentado dentro do armazém para outro local ou para o processamento do pedido. Após o processamento, os produtos são separados e movimentados para o embarque.

1.2.1.1.3. Embarque: verificação do pedido e carregamento para o equipamento de transporte, geralmente usando equipamentos parecidos com os utilizados no recebimento. No entanto, acomoda movimentações de volume mais baixo das combinações de produto, reduzindo as economias de escala.

1.2.1.2. Estocagem: produtos recebem locais específicos (slots) de acordo com suas características, como rotatividade, peso e requisitos especiais de armazenamento. Produtos de alto volume devem ser posicionados minimizando a distância de movimentação, enquanto produtos de baixo volume não dependem tanto da distância. Produtos mais pesados costumam ficar em locais mais baixos para evitar o uso de empilhadeiras, enquanto produtos de baixa densidade exigem um volume maior.

1.2.1.2.1. Estocagem ativa: estocagem para o reabastecimento de estoque básico, suficiente para atender as demandas periódicas da área de serviço.

1.2.1.2.2. Estocagem estendida: estoque que é mantido por períodos além do necessário para o reabastecimento normal dos estoques para clientes. Pode existir por diversos motivos, como esperar a demanda no caso de itens sazonais ou especulação (variações esperadas no preço do produto).

1.3. Decisões relacionadas ao armazém

1.3.1. Demanda uma análise detalhada e avalia questões de planejamento que estabelecem o caráter do armazém, que determina a eficiência no manuseio.

1.3.1.1. 1) Escolha do Local

1.3.1.1.1. Identificar a localização do armazém geral e então instalar um armazém específico. As diretrizes para essas escolhas são disponibilidade de serviços e custo, porém o acesso a transporte, infra-estrutura de serviços públicos, impostos e seguros também exigem avaliação.

1.3.1.2. 2) Projeto

1.3.1.2.1. A escolha do projeto deve considerar a quantidade de andares a incluir na instalação física, um plano de utilização do espaço cúbico e o fluxo de produtos. O projeto do armazém deve minimizar o congestionamento e o manuseio redundante.

1.3.1.3. 3) Analise do Mix de produtos

1.3.1.3.1. Análise dos produtos que serão distribuídos pelo armazém. Os produtos devem ser analisados em termos de vendas anuais, demanda, peso, espaço cúbico e embalagem. Determinar o tamanho, o volume e o peso do pedido médio também se torna de extrema importância.

1.3.1.4. 4) Expansão

1.3.1.4.1. Potencial expansão pode justificar a compra de um local maior do que o necessário a construção inicial.

1.3.1.5. 5) Manuseio de Materiais

1.3.1.5.1. Principal orientador do projeto do armazém. O sistema de manuseio de materiais tem de ser selecionado no início do processo de desenvolvimento e envolvem também equipamentos e tecnologia.

1.3.1.6. 6) Layout

1.3.1.6.1. Planejado para facilitar o fluxo de produtos. É integrado ao sistema de manuseio e é criado a partir da localização, quantidade e projeto das docas de recebimento e carregamento. Envolve posicionamento de paletas já que a chave para um layout eficiente é um plano de armazenamento em slots bem desenvolvidos. Os produtos em si devem ser posicionados em uma área específica para a separação de pedidos, e esta área de separação é apoiada pela área de armazenamento. Dentro da área de separação, os produtos são posicionados de acordo com o peso, o volume e a rotatividade de reabastecimento com o objetivo de minimizar a movimentação de saída. Os produtos são movimentados das áreas de recebimento para as posiçoes adjacentes, os pedidos são separados diretamente e puxados ao longo da linha através do armazém. Gerentes podem abordar diferentes estratégias para conciliar a relação entre o manuseio de materiais e o layout do armazém.

1.3.1.7. 7) Dimensionamento

1.3.1.7.1. Envolve projeção do volume total que se espera movimentar no armazém durante determinado período. É usada para estimar estoques básicos e de segurança de cada produto a ser estocado.

1.3.1.8. 8) Sistema de Gerenciamento

1.3.1.8.1. A otimização do armazém refere-se à escolha do melhor local dentro do armazém para armazenar e recuperar os produtos, com o objetivo de minimizar o tempo e a movimentação. Hoje, os armazéns devem oferecer uma gama maior de serviços, para atenderem a coordenação necessária dos produtos requeridos. Serviços com valor agregado referem-se à coordenação das atividades do armazém para personalizar produtos, como embalagem, rotulagem, construção de kits e montagem de mostruários. O WMS é um sistema que pode coordenar e gerenciar toda essa cadeia citada.

1.3.1.9. 9) Segurança

1.3.1.9.1. Envolve a proteção contra furtos de mercadorias, deterioração e qualquer forma de interrupção operacional.

1.3.1.10. 10) Prevenção de acidentes e Manutenção

1.3.1.10.1. Um programa abrangente de prevenção de acidentes exige avaliação constante dos procedimentos de trabalho e dos equipamentos para localizar e tomar medidas corretivas para eliminar condições inseguras antes que ocorram acidentes. Um programa de manutenção preventiva é necessário para equipamentos de manuseio de materiais. Diferentemente das máquinas de produção, equipamentos de movimentação não são estacionários, então é mais díficil fazer uma manutenção adequada.

1.4. Classificação de Propriedade

1.4.1. O cliente e o operador do armazém normalmente partilham os riscos associados à operação. A duração do relacionamento, o grau de serviço e a relação de benefícios dependem de quem oferece cada serviço.

1.4.1.1. Particulares

1.4.1.1.1. Operado pela empresa que possui o produto. A decisão acerca da propriedade ou do aluguel é essencialmente financeira, as instalações podem ser próprias ou alugadas. Oferecem maior flexibilidade e controle, além de benefícios intangíveis como uma melhor percepção do cliente.

1.4.1.2. Públicos

1.4.1.2.1. Mercadorias

1.4.1.2.2. Refrigerados

1.4.1.2.3. Commodities Especiais

1.4.1.2.4. Retido na alfândega

1.4.1.2.5. Produtos residenciais

1.4.1.2.6. Empresas utilizam armazéns públicos para atender aos clientes por causa do custo variável, escalabilidade, gama de serviços e flexibilidade.

1.4.1.3. Terceirizados

1.4.1.3.1. Em um relacionamento de longo prazo, se torna menos custoso que um armazém público. Oferecem benefícios de experiência, flexibilidade, escalabilidade e economias de escala através do compartilhamento dos recursos administrativos, de mão-de-obra, dos equipamentos e de informação entre os diversos clientes.

1.4.1.4. Distribuição em Rede

1.4.1.4.1. Combinação de instalações privadas, públicas e terceirizadas. O armazenamento deve ser diferenciado por cliente e pro produto, já que pode atender melhor uma personalização nos serviços com valor agregado e nas capacidades.

2. Distribuição

2.1. A distribuição é uma das fases mais importantes entre todas as áreas da logística. Por meio de uma distribuição eficiente conseguimos diminuir custos importantes para as empresas o que lhes trarão diversas vantagens competitivas frente os seus concorrentes.

2.1.1. Estratégias de distribuição:

2.1.1.1. Remessa Direta

2.1.1.1.1. Como Funciona?

2.1.1.2. Estoque no Depósito

2.1.1.2.1. Como Funciona?

2.1.1.3. Cross-Docking

2.1.1.3.1. Como Funciona?

2.1.2. Sistemas:

2.1.2.1. Sistema Puxado

2.1.2.1.1. A produção é acionada pela demanda, e portanto associada à demanda real do mercado.

2.1.2.2. Sistema Empurrado

2.1.2.2.1. Decisões de projeção são baseadas em previsões de longo prazo