Competências digitais para a docência.

Mapa mental "Competências digitais para a docência."

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Competências digitais para a docência. por Mind Map: Competências digitais para a docência.

1. Nessa perspectiva, se faz necessário que os professores busquem fazer uso dessas ferramentas online com o objetivo de potencializar a interação e o diálogo, de modo a fornecer as bases para a reflexão, a emancipação e transformação da sociedade como um todo.

2. EXEMPLOS: Rotação por estações, Laboratorio Rotacional, Sala de aula invertida, Rotação Individual

3. Modelos mais centrados em aprender ativamente com problemas reais, desafios relevantes, jogos, atividades e leituras.É importante misturar e diversificar técnicas, estratégias, recursos, aplicativos.

4. A consciência, atitude e habilidade que os indivíduos possuem de utilizar de forma apropriada ferramentas e dispositivos digitais para identificar, acessar, gerenciar, integrar, avaliar, analisar e sintetizar recursos digitais, construir novos conhecimentos, criar expressões em mídias, e comunicar com outros, no contexto de situações específicas de vida de forma a possibilitar ação social construtiva; e refletir sobre esse processo (MARTIN, 2008, p. 166/167,

5. Cybercultura

5.1. A utilização das tecnologias digitais no contexto educacional leve à transformação de práticas e a processos inovadores, condizentes com as demandas da cibercultura.

5.2. As várias interfaces existentes atualmente na cibercultura podem propiciar a comunicação on line que pode ocorrer através de fórum de discussão, blogs, diários, portfólios, listas de discussão, email (Assíncronas), além do chat, mensagens instantâneas, web, e videoconferências (Síncrona).

6. Ensino híbrido

6.1. A educação sempre foi misturada, híbrida, sempre combinou vários espaços, tempos, atividades, metodologias, públicos. Agora esse processo, com a mobilidade e a conectividade, é muito mais perceptível.

6.2. O trabalho colaborativo pode estar aliado ao uso das tecnologias digitais e propiciar momentos de aprendizagem e troca que ultrapassam as barreiras da sala de aula.

6.3. A integração cada vez maior entre sala de aula e ambientes virtuais é fundamental para abrir a escola para o mundo e trazer o mundo para dentro da escola.

7. Letramento Digital

7.1. Kellner (2000) define o letramento digital como uma das principais competências para a era digital, uma vez que irá permitir a utilização das tecnologias digitais de forma efetiva, bem como a plena participação nas novas formas culturais em nossa sociedade.

7.2. Freitas (2010) alerta para o fato que os processos de formação docente não têm demonstrado preocupação com o letramento digital dos professores. Segundo a autora, a formação inicial não tem preparado os docentes para utilizarem as novas tecnologias como instrumentos de aprendizagem.

8. Metodologias ativas

8.1. São caminhos para avançar mais no conhecimento profundo, nas competências socioemocionais e em novas práticas.

8.2. As tecnologias “propiciam a reconfiguração da prática pedagógica, a abertura e plasticidade do currículo e o exercício da coautoria de professores e alunos.

8.3. Teóricos como Dewey (1950), Freire (2009), Rogers (1973), Novack (1999), entre outros, enfatizam, há muito tempo, a importância de superar a educação bancária