Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
SP4- DRAMA por Mind Map: SP4- DRAMA

1. 1.Definir parasitose, sua epidemiologia e elencar os principais tipos

1.1. moléstia causada por parasita em hospedeiro, que pode se apresentar como infecção ou infestação.

1.2. Uma revisão dos estudos epidemiológicos das para­sitoses intestinais no Brasil detecta que o número de infec­tados ainda continua grande, levando em consideração pesquisas realizadas na década de 1950 com números de positividade variando de 78,2% a 99,4%, e pesquisas realizadas na década de 1980, ainda com taxas elevadas, oscilando entre 20,2% a 98,0%, dependendo do estado. Na década de 1990, as pesquisas apresentaram positividade nas faixas de 43,2% a 87,2%, e estudos realizados nas capitais de São Paulo e Rio de Janeiro entre os anos de 1999 a 2001 revelaram taxas de prevalência próximas a 52,0%.Resultados relativamente altos, por já existirem políticas de conscientização à prevenção e diminuição dessas parasi­toses, aplicadas desde 1950.

1.3. Algumas das verminoses mais comuns: Ancilostomose ou amarelão Ascaridíase Giardíase Oxiuríase Teníase/cisticercose

2. 2.Compreender o ciclo e fisiopatologia das parasitoses que são contraídas pelo contato com o solo. (Leishmaniose, Ascaridíase, Amebíase, Giardíase)

2.1. Ciclo biológico Leishmaniose: Ao fazer repasto sanguíneo em hospedeiro infectado, as fêmeas dos flebotomíneos ingerem sangue com macrófagos e monócitos parasitados. No intestino médio do inseto, as formas amastigotas são liberadas e após divisão se transformam nas formas promastigotas, infectantes para o homem.

2.2. Ciclo de vida do parasito Ascaridíase: Os ovos eliminados nas fezes contêm embriões de Ascaris em seu interior. Após alguns dias em um ambiente propício, ainda dentro do ovo, o embrião transforma-se em larva, que, após passar por 2 mudas, torna-se apta a infectar quem a ingerir.

2.3. O ciclo da Amebíase: O ciclo da doença é monoxênico, ou seja, possui apenas um hospedeiro definitivo. A amebíase é adquirida através do consumo de alimentos ou água infectada com cistos do parasito e, após ingerido, o destino primário é o intestino, podendo causar disenteria, colite ou enterocolite amebiana.

2.4. Ciclo da Giardíase: A giardíase aguda normalmente dura 1 a 3 semanas. A má absorção de gordura e açúcar pode provocar perda ponderal significante em casos graves. Não são encontrados sangue ou leucócitos nas fezes. Um subgrupo de pacientes infectados desenvolve diarreia crônica com fezes fétidas, distensão abdominal e eructação fétida.

3. 3.Reconhecer as formas de prevenção das parasitoses.

3.1. Algumas medidas são essenciais não somente para a prevenção das parasitoses, mas para a qualidade de vida da comunidade: saneamento básico adequado, hábitos de higiene, cuidados com a água, os alimentos e o solo, tratamento de pessoas acometidas com a doença e investigação de suspeitos.

4. 4.Descrever o diagnóstico e tratamento das principais parasitoses do TGI.

4.1. O diagnóstico das parasitoses intestinais pode ser feito por diferentes métodos como tubagem duodenal, provas sorologias e intradérmicas, pesquisa dos vermes em material coletado ao exame proctológico e avaliação radiológica. No entanto, o exame parasitológico das fezes é o método mais simples, específico e de menor custo. Tem por objetivo demonstrar a presença, na matéria fecal de ovos ou larvas de helmintos e de formas trofozoíticas ou císticas de protozoários. Como a eliminação de determinados tipos de ovos é cíclica e um único método de análise não é suficiente para definir a etiologia das parasitoses, recomenda-se o exame de pelo menos duas amostras.

4.2. O tratamento das parasitoses consiste no emprego de antiparasitários e na adoção de medidas de educação preventiva e de saneamento básico. Nos casos de poliparasitismo, quando não houver possibilidade de usar uma única droga com ação sobre todos os parasitas, deve-se inicialmente tratar os vermes com possibilidade de migração no trato gastrointestinal, como Ascaris lumbricoides e Strongyloides stercoralis.

4.3. As principais drogas usadas no tratamento dos nematódeos intestinais (Ascaris lumbricoides, Trichuris trichura, Enterobius vermicularis, Strongyloides stercoralis e ancilostomídeos) são mebendazol e albendazol.

5. 5.Manifestação clinica das parasitoses, associando a fisiopatologia.

5.1. As enteroparasitoses são doenças com amplo espectro de manifestações. As condições de vida, moradia, saneamento básico são, em grande parte, determinantes da transmissão enquanto o grau de acometimento clínico é determinado pelo agente agressor e suscetibilidade do hospedeiro. Quadros assintomáticos a leves como anorexia, irritabilidade, distúrbio de sono, náuseas, vômitos ocasionais, dor abdominal e diarreia ocorrem em pacientes hígidos enquanto os quadros graves e até letais ocorrem em doentes com maior carga parasitária, imunodeprimidos e desnutridos.

6. 6.Identificar quais parasitoses realizam ciclo pulmonar. (Síndrome de Loeffler)

6.1. Essa síndrome é causada principalmente por infecção por parasitas que realizam parte do ciclo biológico nos pulmões, como o Necator americanus e o Ancylostoma duodenale, que causam a ancilostomíase, Strongyloides stercoralis, que causa a estrongiloidíase e o Ascaris lumbricoides, que é agente infeccioso da ascaridíase e o principal responsável pela síndrome de Loeffler.