Desmistificando Mitos

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Desmistificando Mitos por Mind Map: Desmistificando Mitos

1. SURDEZ

1.1. Hereditária

1.1.1. Caso ocorrência recorrente em arvore genealógica

1.1.2. Não é regra

1.1.2.1. Muitas repressões sociais aos surdos ocorreram devido a falsa crença de que era determinista

1.2. Surdez não é ausência de fala

1.3. Problema

1.3.1. Não

1.3.1.1. Para os surdos que foram educados na línguas de sinais

1.3.2. Sim

1.3.2.1. Para comunidade ouvinte que não a compreende

1.3.2.1.1. Vira um problema para os surdos

1.4. Deficiência?

1.4.1. Não

1.4.1.1. Deficiência auditiva compete a perda parcial da audição

1.5. Diferentes tipos de surdez

1.5.1. Quantidade

1.5.1.1. Em torno de 50 tipos por outros motivos

1.5.1.2. 70 tipos hereditários

1.5.2. Níveis

1.5.2.1. Leve ao profundo

1.5.2.1.1. Nem sempre configura ao indivíduo a ser surdo ou deficiente auditivo

1.6. Ajuda a recuperação da audição

1.6.1. Aparelho auditivo

1.6.2. Implante cocelar

1.7. Atrapalha no desenvolvimento linguístico-cognitivo

1.7.1. Mito

1.7.2. O que realmente atrapalha

1.7.2.1. A não inclusão língua de sinais aos surdos

1.7.2.2. Preconceito

1.7.2.3. Repressões

1.8. Evolução sobre o entendimento da surdez e suas questões

1.8.1. Entendimento da sociedade

1.8.1.1. Ainda há muito do que já está em lei ainda não atuante 100% na sociedade

1.8.2. Direitos conquistados

1.8.2.1. Oficialização da LIBRAS

1.8.2.2. Obrigação em ter intérprete em espaços institucionais e nos cursos de ensino superior

1.8.2.3. LIBRAS incluso no currículo

1.9. Deve-se perder o medo da surdez e conhecer e incluir os surdos na sociedade

2. LINGUA DE SINAIS

2.1. Histórico da construção da língua de sinais

2.1.1. Falta de registro histórico pela própria classe

2.2. Negação da autonomia e construção da língua de sinais

2.2.1. Preconceito

2.2.1.1. Crença da interdependência da língua oral

2.2.1.1.1. Crença da representação gestual da língua oral

2.2.1.2. Língua secreta

2.2.1.2.1. Repressão

2.3. Universal?

2.3.1. Sim

2.3.2. Não

2.3.2.1. Variabilidade e riqueza linguística

2.4. Gramática

2.4.1. Construção gramatical estruturada

2.4.1.1. Língua de sinais não é pantomima ou mímica

2.5. LIBRAS é única em todo o Brasil?

2.5.1. Não

2.5.1.1. Variabilidade regional

2.6. Expressão de sentimentos e construção de ideais se faz possível tanto quanto a língua oral.

3. SURDO

3.1. Deficiente auditivo

3.1.1. Termo considerado pejorativo entre os surdos

3.2. Viver em silêncio?

3.2.1. Não

3.2.1.1. Ressignificação do conceito é barulho

3.2.1.1.1. Tudo que é "perceptível à visão do surdo através da dinâmica dos objetos e das pessoas,"

3.3. Comunicação ouvintes não falantes de LIBRAS <-> surdos

3.3.1. Os intérpretes fazem a intermediação da comunicação entre esses ouvintes e surdos

3.3.2. Lei nº 10.436

3.3.2.1. Obrigação em ter intérprete em espaços institucionais

3.4. "Oralização" do surdo

3.4.1. Busca incessante na recuperação da audição do surdo

3.4.1.1. Deve-se ter um acompanhamento médico para tal

3.4.1.2. Forçado e sem o devido tratamento

3.4.1.2.1. Processo psicológica e mentalmente ruim para o surdo

3.4.2. Processos proibitivos no uso da língua de sinais

3.4.2.1. Proibições

3.4.2.1.1. Internatos de surdos

3.4.2.1.2. Casamento entre surdos

3.4.2.1.3. Contatos sociais

3.4.2.2. Militância da comunidade surda

3.4.2.2.1. Condenação da oralização em quaisquer nível

3.4.3. Dificulta o entendimento de que o surdo como surdo pode se integrar numa sociedade majoritariamente ouvinte

3.5. Cultura surda

3.5.1. Seu reconhecimento auxilia na discussão e articulação a questões próprias à área da surdez

3.5.2. Estereótipos tentam negar sua existência

3.5.2.1. Isso por sua vez dificulta o processo de trabalho das questões da comunidade

3.5.3. Há um compartilhamento entre as culturas ouvintes, mas traz suas particularidades

3.6. Escrita do surdo

3.6.1. Falsa crença de dificuldade de surdos para escrever

3.6.1.1. Dificuldades são relacionadas a falta de educação inclusiva

3.6.2. Deve-se concatenar com a língua primeira de sinais