Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
AVC por Mind Map: AVC

1. Fisioterapia

1.1. A fisioterapia vai permitir ao paciente de AVC readquirir o uso dos membros afetados, desenvolvendo mecanismos compensatórios para reduzir o impacto dos déficits residuais e estabelecer uma conduta de exercícios que irão manter as novas capacidades adquiridas.

1.2. Tipos de Fisioterapia para o AVC

1.2.1. Fase aguda em pacientes inconscientes:

1.2.1.1. Na fase aguda o objetivo é prevenir retenção e acúmulo de secreções, atelectasias e broncopneumonias, utilizando manobras de higiene brônquica (percussão, vibração e reexpansão pulmonar), drenagem postural e aspiração traqueal.

1.2.2. Fase aguda em pacientes conscientes

1.2.2.1. Exercícios ativos com o paciente sentado ou em pé fora do leito pode sem realizados para um melhor processo de reabilitação. Exercícios respiratórios e com incentivadores podem ser utilizados para fortalecimento de músculos expiratórios.

1.2.3. Aquática

1.2.3.1. O calor da água na piscina ajuda a aliviar a espasticidade, mesmo temporariamente. Porém, enquanto a espasticidade está diminuída, o fisioterapeuta pode realizar movimentos passivos com maiores amplitudes de movimento e menor desconforto para o paciente, possibilitando um maior ganho da amplitude articular.

1.3. Exercícios fundamentais no Tratamento Fisioterapêutico:

1.3.1. Alongamentos

1.3.2. Fortalecimento muscular

1.3.3. Treino de sensibilidade e propriocepção

1.3.4. Treino de macha

1.3.5. Estimular o reaprendizado motor

2. Sintomas

2.1. Hipertonia Elástica e Alterações Proprioceptivas Manifestadas no Hemicorpo Contralateral à Lesão, Caracterizando um Quadro Denominado de Hemiplegia

2.2. Perda ou Diminuição da Atividade Motora

3. AVC hemorrágico

3.1. Quando há ruptura de um vaso sanguíneo, causando hemorragia local.

4. Sequelas do AVC

4.1. Paralisia e Alterações da Motricidade

4.1.1. O paciente pode apresentar também problemas de equilíbrio e/ou coordenação, quando o cerebelo é afetado.

4.2. Alterações sensoriais

4.2.1. Os pacientes que sofreram AVC podem apresentar diminuição ou abolição da sensibilidade superficial (tátil, térmica e dolorosa), o que contribui para o risco de auto-lesões.

4.3. Alterações da comunicação

4.3.1. Dificuldade em formar frases de forma gramatical correta e com coerência.

4.4. Alterações cognitivas

4.4.1. Alguns indivíduos podem ter dificuldade de raciocinar ou perder a capacidade de fazer planos, compreender significados e fazer novas aprendizagens.

4.5. Distúrbios emocionais

4.5.1. Muitos pacientes após o AVC começam a sentir: Medo, Ansiedade, Frustração, Raiva, Tristeza, Uma Enorme Mágoa por suas Perdas Físicas e Psicológicas.

5. O AVC acontece quando existe uma anomalia dos vasos sanguíneos do sistema nervoso central, que acarreta em uma perda de fornecimento de oxigênio e nutrientes ao tecido cerebral, resultando em uma paralisia da área que ficou sem circulação sanguínea adequada.

6. AVC isquêmico

6.1. Quando há interrupção do fluxo sanguíneo

6.2. Ataque Isquêmico Transitório: apresenta um quadro agudo com perda de função, regredindo em menos de 24 horas;

6.3. Déficit Neurológico Isquêmico Reversível: ocorre quando a reversão do quadro neurológico acontece em tempo superior a 24 horas, porém inferior a três semanas;

6.4. Infarto Cerebral ou AVC completo: ocorre quando o déficit neurológico persiste por mais de três semanas.

7. Motora

7.1. Objetivos da fase aguda em pacientes inconscientes:

7.1.1. Manter ou ganhar amplitude de movimento Prevenir e/ou tratar subluxação de ombro Prevenir contraturas e deformidades Prevenir úlceras de decúbito Prevenir trombose venosa profunda

7.2. Objetivos da Fase aguda em pacientes conscientes:

7.2.1. Manter ou ganhar amplitude de movimento Prevenir e/ou tratar subluxação de ombro Prevenir contraturas e deformidades Prevenir dores articulares Ganhar força muscular Melhorar a propriocepção Melhorar o equilíbrio Normalizar o tônus muscular

7.3. Fase tardia

7.3.1. Normalizar o tônus no hemicorpo acometido Treinar atividades de vida diária (AVD’s) Treinar marcha Treinar memória cinestésica Reaprendizado motor