MEDIÇÃO INDUSTRIAL DE NÍVEL

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
MEDIÇÃO INDUSTRIAL DE NÍVEL por Mind Map: MEDIÇÃO INDUSTRIAL DE NÍVEL

1. MEDIÇÃO DE NÍVEL PONTUAL

1.1. Mede o nível do produto em tempo real no reservatório

1.1.1. Tem o objetivo de garantir um melhor fluxo de matéria-prima para que sejam evitadas a cavitação de bombas, transbordamentos, desperdícios de produtos e todos os problemas gerados por uma má medição

2. MEDIÇÃO DE NÍVEL CONTÍNUO

2.1. O consumo desta matéria prima poderá ser monitorado remotamente e em tempo real pelo fornecedor

3. COMO É FEITA?

3.1. Chaves de Nível

3.1.1. Podem operar sob duas posições: presença ou ausência de produto no lugar geométrico de montagem do aparelho, ou seja é do tipo PONTUAL

3.1.1.1. Exemplos: Flutuador, pá rotativa, vibratória, indutiva, condutiva, capacitiva ou com tecnologia RF-Admitância

3.2. Transmissor de nível

3.2.1. Trata-se de um tipo de sensor capaz de detectar em tempo real o nível contínuo de determinado produto no processo industrial, ou seja é do tipo CONTÍNUO

3.2.1.1. Exemplos: Flutuadores (LG), capacitivos, radares, ultrassônicos, medidores por pressão e RF-Admitância.

4. PRINCIPAIS DESAFIOS

4.1. Incrustação

4.1.1. é aquela camada de produto acumulado que recobre os medidores de nível, comprometendo a eficiência destes equipamentos

4.2. Espuma

4.2.1. Se torna um problema quando impede a medição precisa da grandeza pretendida, já que a espuma pode ser detectada pelo sensor como produto real e assim gerar alarmes falsos

4.3. Temperatura

4.3.1. Quando o medidor de nível escolhido é composto por materiais que não são resistentes às altas temperaturas, a medição pode ser totalmente comprometida

4.4. Pó em suspensão

4.4.1. Pode gerar alarme falso no sensor, comprometendo toda a medição

4.5. Interfaces complexas

4.5.1. São características físico-químicas diferentes dos produtos, e o desafio aqui é medir o nível de duas ou mais substâncias diferentes

5. EXEMPLO DE PROCESSO

5.1. Medição de nível com transmissor de pressão diferencial

5.1.1. Neste tipo de medição utiliza-se a pressão exercida pela altura da coluna líquida(hidrostática), usando o Teorema de Stevin. Este tipo de medição é utilizado quando a densidade do líquido é conhecida e não varia substancialmente no processo

5.1.1.1. Essa técnica permite que a medição seja feita independente do formato do tanque, seja ele aberto ou pressurizado

5.1.1.1.1. Podem ser feitos utilizando-se a série LD de transmissores SMAR (LD301-HART/4-20mA, LD302-Foundation Fieldbus, LD303-Profibus PA)

6. PORQUE INVESTIR?

6.1. Aumenta a segurança

6.1.1. Com maior qualidade da instrumentação e da confiabilidade dos equipamentos

6.2. Reduz custos

6.2.1. Mantendo o controle do processo produtivo

6.3. Eleva a eficiência

6.3.1. Se a sua medição é eficiente, você terá como resultado um maior rendimento da produção, pois os processos serão feitos sem interrupções

7. PRINCIPAL INOVAÇÃO NO SETOR

7.1. Sensores com sistema RF-Admitância

7.1.1. Os instrumentos que utilizam a tecnologia RF-Admitância são imunes a todos os principais desafios da medição de nível contínuo

7.1.1.1. Pode ser aplicada tanto nas chaves de nível como nos transmissores

7.1.1.1.1. Nas chaves de nível utiliza-se um terceiro terminal (PRÆDATOR®) no elemento sensor associado a um Oscilador e um circuito comparador na unidade eletrônica para eliminar a corrente resistiva da medição

7.1.1.1.2. Já nos transmissores de nível RF-Admitância, o Oscilador é associado a um PLL (Phase Locked Loop) e dois circuitos comparadores para eliminar a corrente resistiva oriunda de a incrustação, espuma ou pó em suspensão proporcional a condutividade elétrica de cada produto medido