*TUTS AUDIO* P3

TUTS AUDIO - P3

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
*TUTS AUDIO* P3 por Mind Map: *TUTS AUDIO* P3

1. Reflexo de Orientação Condicionada (COR)

1.1. Baseia-se na apresentação de um estímulo visual estranho à criança.

1.1.1. A criança irá procurar a fonte sonora (o som) sem depender da estimulação visual apresentada.

1.2. audiometria condicionada

1.2.1. Equipamentos – duas caixas acústicas, duas bonecas de vinil iluminadas ou qualquer estímulo visual iluminado

1.2.2. Um dispositivo de controle (controlar a saída do som e luz do boneco).

1.2.3. Audiômetro convencional com saída para as caixas acústicas

1.2.4. A criança deve estar sentada no colo da mãe a uma distância de aproximadamente 50 cm do equipamento de teste.

1.2.5. O estímulo sonoro (tom de frequência média ou grave – 500Hz ou 1000Hz) a 30 ou 40 dBs.

1.2.6. O tom apresentado deve durar cinco segundos, seguido de intervalo de um segundo, então é apresentado o estímulo visual.

1.2.7. O estímulo visual e sonoro deve ser apresentado alternando os lados, até que a criança procure a fonte sonora antes mesmo que o boneco acenda

1.2.8. O estímulo visual é retirado quando a criança localiza a fonte sonora sem a sua ajuda, então pode iniciar a pesquisa do mínimo de audição para a frequência.

1.2.9. A cada quatro ou cinco estímulos sonoros apresentados, ou para uma nova frequência, deve ser apresentada a combinação luz/tom (reforçar o comportamento da criança).

1.2.10. A sala onde acontecerá o teste tem que estar de acordo com as necessidades propostas pela técnica; uma sala ampla, com os equipamentos bem-localizados. Deverá haver uma janela para que o examinador, durante o exame, possa monitorar e orientar caso seja preciso. A seguir será mostrada uma ilustração da disposição de equipamentos, profissional e paciente.

2. Habilidades auditivas

2.1. Detecção do som

2.1.1. a partir da 20ª semana de gestação

2.1.1.1. Essa hab é a base para as outras habs auditivas.

2.2. Discriminação

2.2.1. Estudos mostram a capacidade presente em neonatos, já conseguindo reconhecer o som da voz da mãe e reagindo de maneira diferente às vozes de outras mulheres.

2.3. Localização

2.3.1. Habilidade que se desenvolve por etapas:

2.3.1.1. - surge a partir dos 4 meses e se desenvolve até 02 anos de idade

2.3.1.2. - 4 a 7 meses: localização lateral

2.3.1.3. - 7 a 9 meses: loc. Indireta pra baixo

2.3.1.4. - 9 a 13 meses: loc. Direta pra baixo

2.3.1.5. -13 a 16 meses: loc. Indireta pra cima

2.3.1.6. - 16 a 21 meses: loc. Direta lateral e cima/baixo

2.3.1.7. - 21 a 24 meses: ápice da loc. Em qualquer ângulo

2.3.2. função de localização com guizo

2.4. Reconhecimento auditivo

2.4.1. Começa a partir do final do 1º ano de vida e evolui de níveis mais simples aos mais complexos:

2.4.1.1. - 8 a 10 meses: criança já para uma ação ao ouvir a palavra NÃO

2.4.1.2. - 9 a 13 meses: reconhecem comando simples como “manda beijo” ou “dá tchau”

2.4.1.3. - 18 meses aos 2 anos: hab de reconhecimento auditivo evolui pra “compreensão auditiva”

2.5. Compreensão auditiva

2.5.1. Lembrando que:

2.5.1.1. a integridade e bom funcionamento das vias auditivas é extremamente importante pro desenvolvimento da fala,

2.5.1.1.1. mas que o estímulo das Habilidades auditivas incrementa esse processo bastante.

2.5.1.2. Como estimular essas habilidades?

2.5.1.2.1. brinquedos com sons diferentes

2.5.1.2.2. músicas de estilos diferentes

2.5.1.2.3. brincadeiras de achar e/ou identificar a origem do som

2.5.1.2.4. etc

3. Procedimentos comportamentais da avaliação auditiva

3.1. Avaliação audiológica comportamental

3.1.1. Consiste na observação das respostas e reações da criança a estímulos acústicos com instrumentos musicais, em situação controlada

3.1.2. É de grande auxílio para o diagnóstico, especialmente com crianças de até 3 anos de idade.

3.2. avaliação do comportamento auditivo

3.3. RCP

3.3.1. Quando submetido a estímulo sonoro intenso. Desencadeado um reflexo de piscar os olhos como resposta. Estimulo 105 a 115 dBNPS para as freqüências de 500 - 4.000 Hz.

3.4. Reflexo de Startle

3.4.1. Reação global que pode parecer com o reflexo de Moro ou comom estremecimento corpóreo com movimentação súbita de membros. Aparece nos primeiros meses de vida para sons intensos.

3.5. sons do LING

3.5.1. Há seis sons no Teste de Som Ling Six, que dobre a faixa das frequências baixas até as altas:

3.5.1.1. mm: como em me

3.5.1.2. u: como em bu

3.5.1.3. a: como em carro

3.5.1.4. i: como em vi

3.5.1.5. x: como em chá

3.5.1.6. S: como em casa

3.5.2. Para crianças com implante auditivo, é uma maneira fácil de certificar de que ela começa toda manhã ouvindo os sons que ela precisa para desenvolver habilidades auditivas e orais.

3.6. BOA

3.6.1. Busca Identificar respostas comportamentais a estímulos sonoros em crianças de até 6 meses de idade

3.6.1.1. Essas respostas podem ser provocadas por estímulos acústicos apresentados á criança como:

3.6.1.1.1. ruídos de banda estreita

3.6.1.1.2. sinos

3.6.1.1.3. agogô

3.6.1.1.4. brinquedos sonoros

3.6.1.1.5. sons ambientais (como batida de portas ou bater de palmas)

3.6.1.2. as respostas observadas podem ser:

3.6.1.2.1. piscar os olhos

3.6.1.2.2. franzir a testa

3.6.1.2.3. movimentos involuntários

3.6.1.2.4. sobressaltos

3.6.1.2.5. mudanças no padrão respiratório

3.6.1.2.6. mudanças no padrão de sucção

3.7. VRA

3.7.1. Apresentação de estímulos sonoros e visuais. Realiza-se em campo livre ou com fones (frequências de 250 a 4.000 Hz)

3.7.1.1. Observam-se as respostas da criança através de:

3.7.1.1.1. (RCP)

3.7.1.1.2. Resposta de busca de fonte sonora

3.7.1.1.3. Respostas espontâneas (sorriso, choro, vocalização, cessações de atividades).

3.8. logoaudiometria

3.8.1. busca encontrar o limiar de detecção de voz, limiar de recepção de fala/limiar de inteligibilidade e índice percentual de reconhecimento de fala.

3.8.1.1. É usado para investigação da acuidade auditiva da fala. Neste exame é possível estabelecer a porcentagem de compreensão que o indivíduo possui da fala.

3.9. audiometria lúdica

3.9.1. Ato motor da criança

3.9.1.1. Após a apresentação de um estímulo sonoro, as respostas comportamentais têm que ser compatíveis com o desenvolvimento motor da crianças, é realizado com brinquedos (jogos de encaixe).

3.10. Audiometria tonal limiar

3.10.1. Realizada por meio de fones de ouvido em cabine acústica.

3.10.2. É importante a colocação do fone de forma adequada por conta de, em alguns casos, haver o colabamento das orelhas por conta da posição do fone causando assim uma falsa perda.

3.11. Avaliação do processamento auditivo

3.11.1. Antes da avaliação do processamento auditivo é indispensável a realização da audiometria e da imitanciometria

3.11.1.1. 1º passo da avaliação é a entrevista com os pais ou paciente (adultos), onde são extraídas informações sobre a saúde geral, desenvolvimento, aprendizagem e comportamento para que sejam identificados sinais e queixas que possam indicar uma alteração do processamento auditivo.

3.11.1.2. 2º passo o fonoaudiólogo irá selecionar quais testes irão compor a a bateria de avaliação. Em média são utilizados 6 testes que avaliam diferentes habilidades auditivas (localização, memória, figura-fundo, processamento temporal,...)

3.11.2. É realizado na cabine acústica, com audiômetro de 2 canais e com testes padronizados para cada faixa etária.