Pré - modernismo

Mapa Mental Sobre o Pré - modernismo.

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Pré - modernismo por Mind Map: Pré - modernismo

1. O pré-modernismo é caracterizado por ser período de transição entre os movimentos literários ao final do século XIX e a escola modernista, criada ao início do século XX. Nesse sentido, percebemos que o homem do século XX apresenta uma nova visão de mundo, tentando desvincular-se de aspectos conservadores, assim, em sua produção literária observamos uma série de inovações no campo da temática e na linguagem e, ao mesmo tempo, traços de conservadorismo no campo estético.

2. CONTEXTO HISTÓRICO

2.1. O pré-modernismo tem início em 1900 e vai até 1922. Com a chegada do século XX, é inegável a presença de várias mudanças sociais, econômicas e políticas no contexto mundial. Nesse sentido, percebemos uma série de acontecimentos que marcaram não somente novos pensamentos sobre a realidade daquele momento, como a presença das classes mais baixas, que lutavam para o reconhecimento de seus direitos.

2.2. No cenário brasileiro, vivíamos um período republicano, mas é pertinente lembrar de acontecimentos que marcaram a chegada desse momento, como: Revolta de Canudos (1896-97), A Revolta da Vacina (1904), O ciclo da borracha (1870- 1920), A Guerra do Contestado (1912- 1916), A Revolta da Chibata (1910), a Greve dos Operários (1917) e o fim da República Café com Leite (1894- 1930). No contexto mundial, temos a presença da 1ª Guerra Mundial (1914- 1918), o que influenciou diretamente no modo do viver do homem contemporâneo e na sua visão conflituosa de mundo.

3. CARACTERÍSTICAS DO PRÉ-MODERNISMO

3.1. Nesse período de transição, é nítido perceber que os autores brasileiros tentam apresentar uma nova perspectiva sobre a terra tupiniquim, assim, na prosa, percebemos uma narrativa mais engajada e de denúncia social. Embora algumas escolas literárias anteriores tenham feito uma análise mais crítica sobre a realidade, é somente no século XX que há um destaque aos marginalizados pela sociedade (os pobres, ex escravos, o trabalhador operário, entre outros).

3.2. Além disso, os autores visam documentar a seu leitor o atraso e a condição miserável de muitas regiões brasileiras (como o Nordeste) e relatar a questão da subsistência humana. Percebemos traços de regionalismo (como características do sul brasileiro, por exemplo), que contribuem para o conhecimento de nossa cultura e valorização da identidade brasileira; romances de tese, linguagem mais simples e coloquial, como também, a presença do sincretismo literário.

4. AS VANGUARDAS EUROPEIAS

4.1. As vanguardas europeias são movimentos artísticos e culturais que visam romper com o tradicionalismo, incentivando, assim, a liberdade de expressão de cada artista. Com isso, propunham inovações, pois acreditavam que essas ideias poderiam, posteriormente, serem adotadas como prática comum. Esse movimento foi a principal influência para a criação da Semana de Arte Moderna, em 1922. Das vanguardas, as que mais se destacaram foram:

4.1.1. a) CUBISMO: marcado pela valorização de formas geométricas desvinculava-se da objetividade e linearidade da arte mimética. Muitos artistas consideram essa vanguarda uma das mais significativas, pois apresenta uma nova perspectiva, apresentada a partir de uma realidade fragmentada. Pablo Picasso é um dos representantes dessa expressão.

4.1.2. b) DADAÍSMO: representa uma negação à arte tradicional e foi criada a partir da chama de instabilidade, medo e revolta provocada pela 1ª Guerra Mundial. Na literatura, a vanguarda caracteriza-se pela agressividade, rejeição ao racional. Nas artes, percebemos o tom irreverente dos artistas, marcados pela ironia, deboche e o niilismo.

4.1.3. c) FUTURISMO: essa vanguarda nega qualquer relação com o passado e valoriza a exaltação do progresso, da modernidade. No campo literário, ganha enorme destaque ao fazer alterações na estrutura sintática e na pontuação. Fillippo Marinetti é o grande nome desta vanguarda.

4.1.4. d) EXPRESSIONISMO: Relacionada a uma visão mais subjetiva, às sensações do artista no momento de sua criação, a partir do modo de expressar seu ponto de vista. Desvincula-se da forma, conteúdo e traços artísticos tradicionais, dando maior liberdade ao artista em sua produção.

4.1.5. e) SURREALISMO: Associada a um mundo mais fantasioso, o surrealismo se aproxima do campo irracional da mente, valorizando o subconsciente, o sobrenatural. O artista Salvador Dalí é o grande destaque dessa vanguarda.

5. Gabriel Viana Santos 3° Série - EM