O PERCURSO FREUDIANO E AS CINCO LIÇÕES

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
O PERCURSO FREUDIANO E AS CINCO LIÇÕES por Mind Map: O PERCURSO FREUDIANO E AS CINCO LIÇÕES

1. Ainda na terceira lição ela vai falar da interpretação dos Sonhos. Ele fala que essa interpretação é a estrada para o real conhecimento do inconsciente. Então ele revela que os adversários da psicanálise evitam estudar a interpretação dos sonhos e e se posicionam contrários.

2. Sobre o hipnotismo, é interessante observar que Freud fala que não fosse por essa prática, teria sido mais difícil encontrar solução para o problemas de sua paciente. pois o hipnotismo faz com que o estado inconsciente exerce influência sobre o consciente. Da mesma forma que ele revela um individuo possui vários agrupamentos mentais que podem ser independentes entre si. Por isso que Anna conseguia se expressar durante as sessões e logo se libertava de seus infortúnios.

3. ABSENCE. Este é o termo usado aplicado as pessoas que demonstram alteração de personalidade seguida de confusão mental. Então ele fala das fantasias profundamente triste de sua paciente, que que teve momentos de grande angustia, a cabeceira do leito de morte e seu pai.

4. Antes de Freud ter um encontro mais aprofundado com psicanálise, havia o cartesianismo de René Descartes, em que a razão era a essência universal e havia os manicômios em que era vista a razão e a desrazão, a produção da Loucura, onde se dizia, na visão cartesiana que o homem poderia ficar louco, mas seus pensamentos não.

5. neste contexto, o lugar da loucura era os hospitais, onde os loucos não eram curados mas dominados. Então Freud vai dar uma visão diferente do cartesianismo para o que chamavam de Loucura.

6. E sobre os sentimentos reprimidos, é interessante observar que quando o paciente revela, numa conversa, seus sentimentos sufocados, podem e livrar dos infortúnios, mas nem sempre vão se libertar daquele desejo. ou seja, se tiverem a oportunidade de fazer o que lhes causavam histerias, não pensarão duas vezes.

7. Então a primeira coisa que Fred vai analisar é onde situar a psicanálise. a partir daí ele terá um encontro com Charcot e a histeria, com Breuer e a cura pela expressão da palavra.

8. Em sua segunda Lição Freud vai falar de Charcot e Pierre Janet outros dois pesquisadores que vão ver a histeria por um outro prisma. Enquanto para Breuer os ataques de histerias estavam ligados a traumas passados, o que para Janet a Histeria era uma forma de alteração degenerativa do sistema nervoso que vai se manifestar pela fraqueza congénita psíquica.

9. Então Freud faz uma alusão de quem sonha a quem demonstra os sintomas da histeria. Segundo ele, em ambos os casos a situação advém dos desejos reprimidos.

10. Na quarta lição finalmente Freud vai falar sobre os desejos reprimidos em relação a sexualidade. ele fala que independente do genêro a perturbação do erotismo é a maior influência dos males psicanalíticos.

11. nesta quarta lição ele fala que quando publicou seus estudos com o Dr. Breuer sobre a histeria nem ele mesmo tinha uma opinião tão formada em sobre a histeria em relaçaõ a sexualidade reprimida. E afirma que a dificultada em firmar essa tese se deu ao fato de os homens não são sinceros quando se trata de sua sexualidade.

12. o ponta mais importante dessa quarta lição é a menção da sexualidade infantil que parece ter deixado seus ouvinte boquiabertos. Então fala que a sexualidade acompanha o individuo em todas as etapas da vida. Até chegarem a fase adulta onde terão sexualidade normal. Aqui ele fala dos distúrbios que pode acorrer nesta fase da sexualidade que poderá acarretar até mesmo na homossexualidade.

13. De grande valia neste contexto da sexualidade infantil, é a relação pais e filhos mencionada por Freud nessa quarta lição. Onde o instinto sexual infantil é na maioria das vezes, provocado pela ternura como os pais vão tratar os filhos. Por isso, existe aquela escolha contrária, em que as mães tem preferência pelos meninos e os pais pelas meninas. E quando essa inversão acontecem não é apenas um ato de escolha, mas de afronta.

14. Em sua quinta lição, Freud volta a falar das necessidades sexuais que vão causar as doenças psíquicas. Ele revela que todos os sintomas mórbidos de seus pacientes tem uma parcela de frustração ou necessidade sexual incrustada.

15. Neta ultima lição Freud vai revelar aos seus ouvinte o ponto central da sexualidade em relação a neurose. é quando os paciente desenvolve um sentimento afetuoso chamado (transferência) que uni paciente e médico. Ele vai dizer que a transferência acontecem em qualquer situação um um ciclo de confiança, no entanto entre médico e paciente ela é primordial para terapia.

16. Agora para finalizar sua quinta lição Freud vai falar da (sublimação). que não anula os desejos sexual infantis e que faz esses permanecerem ativos. E então ele encerra sua quinta lição falando que a reprimenda da sexualidade se dava por causa da forma como a sociedade citava as regras. E ele insinua que deveria deixar as pessoas serem livres em suas sexualidades, provavelmente para que pudesse diminuir demanda psicanalítica, mas ele mesmo observa que nem todos vão dar ouvidos as suas ideias.

17. então nessa terceira lição Freud fala da associação livre onde se mandava o doente dizer o que e bem queria e a partir das recordações que o doente possui de suas repressões era possível trata-lo de forma melhor. e Freud confessa que durante anos ele até ele teve duvidas se esse método de cura realmente funcionava.

18. ainda sobre os sonhos ele diz que os sonhos não são estranhos, incompreensíveis ou confusos para quem sonha. Ele fala do enigma dos sonhos de uma criancinha, que na visão dele, basta saber o que a criança passou no dia anterior ao sonho para saber o que ela sonhou.

19. Sobre a histeria ele vai dizer que os Histéricos são sofrem de reminiscência que são sintomas de resíduos e símbolos de traumas. ou seja, uma pessoa vai ter uma ataque de histeria, a partir de algo que lhe causou um mal estar, e que ficou retido em seu consciente sem que fosse resolvido.

20. Por volta de 1909 em Worcester na Clark University, Freud teve a oportunidade de fazer a primeira exposição sistemática de sua teoria. Vale salientar que naqueles tempos a psicanálise ainda não tinha o mesmo peso que tem hoje.

21. Todas as vezes que falamos de Psicanálise, não tem outro nome em mente que não seja FREUD, porém ela já existia antes dele. o diferencial que é que depois dele, ela não se desvinculará mais dele.

22. Freud nasceu em 06/05/1856 na pequena Vila Morávia de Freiberg. À princípio seu interesse pelos estudos foi na medicina, quando ingressou na Universidade de Viena aos 17 anos para estudar bacteriologia. Sequencialmente enveredou-se pelos caminhos da pesquisa no laboratório de neurofisiologia.

23. As dificuldades na vida do pesquisador é sempre um caso intrigante, mas o amor que tinha pela busca cientifica, não o deixava desanimar diante das dificuldades. Isso explica a colocação de Durval que disse que ele passava de oito a dez horas diante das pesquisas diárias.

24. Freud era extremamente rigoroso com suas pesquisas e isso fez com que ele adiasse por varias vezes a publicação de suas teorias

25. Na terceira lição Freud já começa dando uma explicação sobre seu trabalho com o hipnotismo e ele cita Jung em seu discurso.

26. Ela fala de duas forças que atuavam no paciente. o esforço para trazer a consciência o que já era lembrado no inconsciente e uma resistência que impedia que a passagem do consciente reprimido.

27. É interessante que ao falarmos de Psicanálise, logo nos vem a memoria Freud: ao mencionar suas cinco lições naquela conferência, ele alude a psicanálise ao amigo e mestre Joseph Breuer.

28. E para finalizar a segunda lição ele vai falar sobre a grande problemática de se repelir os desejos no inconsciente. que a melhor forma de evitar a histeria é aceitar ao invés de reprimir. Naquela época era muito comum, principalmente nas moças, terem desejos reprimidos. A família e a sociedade exigia muito delas, e para não serem deselegantes, preferiam esconder seus sentimentos.

29. Em sua primeira lição ele vai mencionar um caso muito famoso partilhado com o Dr. Breuer, a historia de Anna O. um caso intrigante que a luz da psicanálise, nem chega a ser um caso de patologia, mas de Histeria. Então ele vai mostrar como a Histeria inibe a simpatia do individuo.

30. na segunda lição ele fala sobre a divisão da consciência, algo que descobriu bem depois dos estudos com o Dr. Breuer. é aqui que ele fala de seu rompimento com o hipnotismo e confessa que não conseguia hipnotizar todos seus pacientes. Então ele passa atende-los de forma normal. ou seja, induzir o paciente a contra-lhe tudo o que estava guardado em seu consciente, o que nem ele mesmo se atrevia pronunciar. Então mais uma vez ele fala dos sentimentos reprimidos, que causam a histeria.

31. em relação a Histeria, estudada pelos mestres da psicanálise, Dr. Breuer e Freud, a forma como eles descobrem a solução para os males de Anna O, é quase inadequado pela medicina da época. Conversar através da hipnose com alguém que retém seus sentimentos, por medo, ou por uma questão ética, e que através de uma sessão hipnótica vai conseguir verbalizar aquilo que está entranhado no seu consenciente, como foi o caso de Anna, em relação ao cãozinho de sua dama de companhia.