Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Hipercalemia por Mind Map: Hipercalemia

1. Medicações relacionadas à Hipercalemia

1.1. Betabloqueadores

1.1.1. Propanolol, Metoprolol, Carvedilol

1.2. Glicosídeos cardíaos

1.2.1. Digoxina

1.3. Despolarizantes musculares

1.3.1. Succinilcolina

1.4. Diuréticos

1.4.1. Espironolactona, Amilorida, Triantereno, Eplerenona

1.5. AINES

1.5.1. Ibuprofeno, Naproxeno, Idometacina

1.6. Anicoagulantes

1.6.1. Heparina

1.7. Antimicrobianos

1.7.1. Penicilina

1.7.2. Pentamidina

1.7.3. Trimetoprim

1.8. Drogas que afetam sistema Renina-Angiotensina-Aldosterona

1.8.1. Inibidores da ECA

1.8.1.1. Lisinopril, Captopril, Enalapril

1.8.2. Bloqueadores do receptor de angiotensina

1.8.2.1. Valsartana, Candesartana

1.8.3. Inibidor direto da Renina

1.8.3.1. Alisquireno

1.8.4. Inibidores da Calcineurina

1.8.4.1. Ciclosporina

1.8.4.2. Tacrolimus

1.9. Bloqueadores dos canais de Calcio

1.9.1. Anlodipino

1.9.2. Nifedipino

1.10. Outros

1.10.1. Manitol

1.10.2. Antifúngicos azóis

1.10.3. Etinilestradiol/Drospirenona

1.10.4. Toxicidade por flúor

1.10.5. Infusão de glicose e deficiência de insulina

1.10.5.1. A insulina ativa a bomba de sódio e potássio (Na+/K+-ATPase), acelerando o movimento do potássio do espaço extracelular para o intracelular.

1.10.6. Aminoácidos relacionados a nutrição parenteral

2. Manifestações Clínicas

2.1. Relação direta entre o declínio da função renal e ocorrência de hipercalemia e óbitos por essa complicação.

2.2. Alteração da atividade despolarizante muscular levando às arritmias cardíacas.

2.3. Fraqueza muscular: resultante de mudanças na junção neuromuscular

2.4. Alterações eletrocardiográficas : inicialmente :ondas T apiculadas e intervalo QT reduzido (repolarização anormalmente rápida). Posteriormente (níveis séricos de K+ acima de 7 mEq/L): sinais de despolarização retardada, prolongamento do intervalo PR, alargamento do QRS, diminuição da amplitude e da duração e eventual desaparecimento da onda P.

3. Possíveis causas

3.1. Redução da excreção do potássio

3.1.1. LRA/LRC

3.1.2. Redução do fluxo sanguíneo renal

3.1.2.1. Cirrose

3.1.2.2. Insuficiência cardíaca congestiva

3.1.3. Hipoaldosteronismo

3.1.4. Tubulopatias renais primárias

3.1.4.1. Insuficiência Adrenal

3.2. "Shift" celular do potássio -translocação

3.2.1. Deficiência de Insulina

3.2.2. Acidose

3.2.3. Hipertonicidade (uso de manitol e hiperglicemia)

3.2.4. Lesão celular

3.2.5. Paralisia periódica hipercalêmica

3.3. Ingestão aumentada do potássio

3.3.1. Transfusão (hemoconcentrado de hemácias)

3.3.2. Suplementação (de potássio ou protéica)

3.3.2.1. Abacate, Alho, ameixa seca, amendoin, banana, cacau em pó, chocolate, feijão

3.3.3. Alimentos ricos em potássio

3.3.4. Substitutos de sal contento potássio ("sal light")

4. Diagnóstico

4.1. História Completa: (dieta, doenças associadas, uso de medicações, episódios de fraqueza muscular)

4.2. Exame Físico

4.3. Exames

4.3.1. ECG

4.3.2. pH (gasometria)

4.3.3. Dosagem de ureia, creatinina, glicose, sódio e cálcio

5. Conceito

5.1. Define-se como a concentração sérica do potássio maior que 5,5 mEq/L. (Intervalo de normalidade 3,5 a 5,5)

6. Classificação

6.1. Leve - 5,5 - 5,9 mEq/L

6.2. Moderada - 6,0 - 6,9 mEq/L

6.3. Grave - ≥ 7,0 mEq/L

7. Tratamento

7.1. Calcio endovenoso

7.1.1. Administração de Ca+ não altera a concentração sérica de potássio, apenas estabiliza a membrana cardíaca tornando-a menos excitável

7.2. Insulina e Glicose

7.2.1. Promovem ↓ concentração plasmática de K+ pela entrada de K+ nas células por meio do ↑ da atividade da Na+-K+-ATPase, principalmente nos miócitos e hepatócitos.

7.3. Bicarbonato de Sódio

7.3.1. ↑ pH com a infusão de bicarbonato de sódio promove a entrada de K+ nas células

7.4. Agonistas beta-adrenérgicos

7.5. Diuéticos

7.5.1. ↑ fluxo tubular para as regiões que excretam K+. Os diuréticos de alça são os mais utilizados

7.6. Resinas de trocas de cátions

7.6.1. Poliestirenossulfonato de cálcio (Sorcal®) promove a troca de Ca+ por K+ no lúmen intestinal, permitindo a eliminação do K+.

7.7. Diálise

7.7.1. Método primário de remoção de K+ em casos de insuficiência renal e hipercalemia persistente ou grave. A hemodiálise é o método mais rápido de correção dos níveis de K.

8. Aluno: Willian Melo Júnior