Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Formas farmacêuticas por Mind Map: Formas farmacêuticas

1. Semi-sólidas

1.1. Cataplasmas

1.1.1. Preparações geralmente magistrais, de aplicação tópica na pele.

1.2. Cremes

1.2.1. Preparação com parte de água e parte de óleo. Consiste de uma emulsão semissólida, formada por uma fase lipofílica e uma fase hidrofílica.

1.3. Pastas

1.3.1. Para aplicação externa na pele. Contém maior porcentagem de material sólido, por isso são mais firmes e espessas de consistência macia e firme, são pouco gordurosas e têm grande poder de absorção de água ou de exsudados.

1.4. Pomadas ou unguentos

1.4.1. Preparações para aplicação externa que amolecem ou derretem à temperatura corpórea. A substância química sólida é geralmente inserida em uma base oleosa.

1.5. Géis

1.5.1. São preparações a base de água. Utilizadas em regiões muito úmidas. Também são utilizados para reduzir a oleosidade da pele.

2. Sólidas

2.1. Cápsulas

2.1.1. Princípio ativo e/ou os excipientes contidos em invólucro solúvel duro ou mole, formatos e tamanhos variados.

2.1.2. Moles, moles de liberação prolongada e moles de liberação retardada.

2.1.3. Duras, duras de liberação prolongada e duras de liberação retardada.

2.2. Comprimidos

2.2.1. compressão de volumes uniformes de partículas. Ampla variedade de tamanhos e formatos, apresentar marcações na superfície podendo ser revestido ou não.

2.2.2. Mastigável, sublingual ou orodispersível, vaginal, tamponado, efervescente, de revestimento entérico, de ação lenta ou prolongada.

2.3. Drágeas

2.3.1. Comprimidos revestidos por uma substância de modo a evitar a fácil desagregação, melhorar a deglutição e mascarar o sabor do fármaco.

2.4. Implantes

2.4.1. Medicamentos de liberação prolongada, inseridos de forma invasiva, na hipoderme.

2.5. Óvulos

2.5.1. Podem ter formas diversas, porém o comum é a ovóide. Composto por uma base solúvel ou fundível a temperatura corporal, são moldados para utilização pela via vaginal.

2.6. Pérolas

2.7. Pílulas

2.8. Supositórios

2.9. Pós ou granulados

2.9.1. São pós liofilizados ou grânulos, podem ser solúveis, resultando em soluções, ou insolúveis, resultando em suspensões.

2.10. Pastilhas

2.10.1. Confeccionadas ou não por compressão, dissolvidas lentamente na boca possuindo sacarose em sua composição.

2.10.2. De consistência firme, de vários tamanhos e formatos adaptados para introdução no orifício retal, vaginal ou uretra.

3. Liquidas

3.1. Alcoolatos

3.1.1. São preparações farmacêuticas que se obtém pela maceração olcoólica de plantas frescas, seguidas de destilação.

3.2. Alcoolaturas

3.2.1. Preparações que resultam da ação dissolvente do álcool a frio nas gradações de 75, 80 ou 95%, sobre plantas frescas.

3.3. Colutório

3.3.1. Soluções viscosas devido a presença de mel ou glicerina destinadas a serem depostas na mucosa bucal ou orofaríngea.

3.4. Óleos medicinais

3.4.1. Resultado da extração dos princípios ativos de plantas secas.

3.5. Emulsões

3.5.1. Solução que contém pequenas partículas de um líquido dispersas em outro líquido. Geralmente, as emulsões envolvem a dispersão de água em óleo.

3.6. Enemas ou clisters

3.6.1. Destinadas a serem introduzidas na porção terminal do intestino.

3.7. Linimentos

3.7.1. Preparações magistrais destinadas a uso externo, em unção ou fricção sobre a pele.

3.8. Poções

3.8.1. Preparações magistrais extemporâneas e que devem ser consumidas rapidamente.

3.9. Tinturas

3.9.1. Preparação alcoólica ou hidroalcoólica resultante da extração de drogas vegetais ou animais ou da diluição dos respectivos extratos.

3.10. Xaropes

3.10.1. Caracterizada pela alta viscosidade, que apresenta em média 45% de sacarose ou outros açúcares na sua composição.

3.11. Loções

3.11.1. Medicamento composto por água, álcool, glicerina sorbitol e o princípio ativo

3.12. Elixires

3.12.1. São preparações líquidas contendo álcool, açúcar, glicerol ou propilenoglicol.

3.13. Soluções

3.13.1. Misturas homogêneas de duas ou mais substâncias ativas.

3.13.2. Para gargarejo, injetáveis

3.14. Infusões

3.14.1. Preparações magistrais resultante da ação da água sobre plantas secas.

3.15. Suspensões

3.15.1. Formulação composta de duas ou mais fases.

3.15.2. Oral e injetável

4. Formas especiais

4.1. Vaporização

4.1.1. Resultante da libertação de vapor de água por si só, ou contendo anti-sépticos, e que se destinam a ser inalados.

4.2. Aerossóis

4.2.1. Formam uma suspensão coloidal, em que a fase contínua é o gás e a fase dispersa é o líquido.

4.3. Ampolas

4.3.1. tubos de vidro ou plástico, colorido ou incolor, estirados nos dois topos, ou pequenas “garrafas” seladas, podem conter líquido ou pó.

4.4. Bandagens

4.5. Colírios

4.6. Sprays

4.6.1. São semelhantes aos aerossóis

4.7. Fumigações

4.7.1. São gases resultantes da combustão de determinadas plantas, ou liberação de gases (p. ex. Formal) com fins desinfetantes de espaços ou dirigidos para as vias respiratórias com fins medicamentosos