Sistema Reprodutivo

Sistema reprodutor

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Sistema Reprodutivo por Mind Map: Sistema Reprodutivo

1. Sistema Reprodutivo Masculino

1.1. Formado por órgãos internos e externos. Uretra, pênis, vesícula seminal, próstata, canais deferentes, epidídimo e testículos.

1.1.1. Epidídimos

1.1.1.1. Canais alongados que se enrolam e recobrem posteriormente a superfície de cada testículo.

1.1.1.2. Responsável pela coleta e armazenamento dos espermatozoides produzidos nos testículos.

1.1.2. Testículos:

1.1.2.1. Localizados no interior da bolsa escrotal. Permite que a temperatura seja inferior à do interior da cavidade abdominal. Altas temperaturas podem afetar a espermatogênese.

1.1.2.2. Túbulos seminíferos são responsáveis pela produção de espermatozoide.

1.1.2.2.1. São encontrados vasos sanguíneos e linfáticos, nervos e células intersticiais de Leydig, responsáveis por secretar testosterona.

1.1.2.2.2. Estima-se que em cada testículo sejam encontrados 400 túbulos seminíferos, que produzem de 50 a 150 milhões de espermatozoides por dia.

1.1.3. Canal Deferente

1.1.3.1. Um tubo firme (do tamanho de um fio de espaguete) que transporta o esperma a partir do epidídimo.

1.1.4. Vesícula Seminal

1.1.4.1. Formada por duas pequenas bolsas localizadas atrás da bexiga.

1.1.4.1.1. Se desenvolver durante a adolescência.

1.1.4.2. Produzir o "líquido seminal", uma secreção espessa e leitosa, que neutraliza a ação da urina e protege os espermatozoides, além de ajudar seu movimento até a uretra.

1.1.4.2.1. O líquido seminal também ajuda a neutralizar a acidez da vagina durante a relação sexual, evitando que os espermatozoides morram no caminho até os óvulos.

1.1.5. Próstata

1.1.5.1. Localiza imediatamente abaixo da bexiga e envolve a uretra.

1.1.5.2. Produzir parte do líquido que forma o esperma, ajudando a alimentar e proteger os espermatozoides.

1.1.6. Uretra

1.1.6.1. um canal que serve ao sistema urinário e ao sistema reprodutor.

1.1.6.1.1. Urina e esperma nunca são eliminados ao mesmo tempo graças à musculatura da bexiga, na entrada da uretra, que impede que isso ocorra.

1.1.7. Pênis

1.1.7.1. Órgão cilíndrico externo

1.1.7.2. Tipos de tecidos: cavernoso e esponjoso.

1.1.7.2.1. O tecido esponjoso envolve a uretra e a protege

1.1.7.2.2. O tecido cavernoso se enche de sangue, fazendo com que o pênis fique maior e duro (ereção), pronto para o ato sexual, geralmente levando à ejaculação (processo de expulsão do sêmen).

1.2. Espermatogênese

1.2.1. Processo de formação e o desenvolvimento do espermatozoide.

1.2.2. Fase embrionária formam-se células germinativas

1.2.2.1. Quando o individuo chega na puberdade dão origem a espermatogônias

1.2.2.1.1. Assim inicia o processo de mitose (divisão celular em que a célula-mãe dá origem a células-filhas com mesmo número de cromossomos)

1.2.2.1.2. As espermatogônias podem dividir-se e dar origem a outras espermatogônias do tipo A ou do tipo B.

2. Sistema Reprodutivo Feminino

2.1. Formado pelos seguintes órgãos: ovários, tubas uterinas, útero e vagina.

2.1.1. Ovários

2.1.1.1. São dois órgãos responsáveis pela produção dos hormônios sexuais da mulher, o progesterona e o estrogênio.

2.1.1.2. Produção e armazenamento dos óvulos, que são liberados um a cada mês e recolhidos pelas tubas uterinas, enquanto durar a vida reprodutiva da mulher.

2.1.2. Tubas Uterinas

2.1.2.1. São dois tubos, com aproximadamente 10 cm de comprimento, que unem os ovários ao útero.

2.1.2.2. O óvulo amadurecido sai do ovário e penetra na tuba.

2.1.2.3. O óvulo amadurecido sai do ovário e penetra na tuba.

2.1.3. Útero

2.1.3.1. Sua principal função é acomodar o feto até o nascimento do bebê.

2.1.3.2. Órgão muscular oco de grande elasticidade

2.1.3.3. A mucosa uterina é chamada de endométrio, que passa por um processo de descamação durante o período da menstruação.

2.1.3.3.1. A cada 28 dias, em média, o endométrio prepara-se para receber o embrião.

2.1.3.3.2. Não havendo a fecundação, ou seja, não havendo a formação do embrião, essa camada do útero passa por um processo de descamação, onde ocorre eliminação de células dessa camada, além de sangue, pela vagina.

2.1.4. Vagina

2.1.4.1. Canal que faz a comunicação do útero com o meio excretor.

2.1.4.2. Suas paredes são franjadas e com glândulas secretoras de muco.

2.1.4.3. Funções estão relacionadas à passagem do sangue durante a menstruação, a penetração do pênis durante a relação sexual e o principal canal do parte, sendo este local por onde sai o bebê.

2.2. Ovogênese

2.2.1. Dividida em três etapas básicas: período de multiplicação, período de crescimento e período de maturação.

2.2.1.1. Período de multiplicação: ocorrem sucessivas mitoses nas células precursoras dos gametas femininos, chamadas de ovogônias (2n). Essas divisões, que acontecem no epitélio germinativo do ovário, ocorrem no início da fase fetal, indo aproximadamente até o terceiro mês de vida.

2.2.1.1.1. É uma fase de mitoses consecutivas, quando as células germinativas aumentam em quantidade e originam ovogônias.

2.2.1.1.2. Quando uma menina nasce, já possui em seus ovários cerca de 400 000 folículos de Graff.

2.2.1.2. Período de crescimento: No período de crescimento, as ovogônias começam a acumular substância de reserva (vitelo) e aumentam em volume. Nessa etapa, elas passam a ser chamadas de ovócitos primários ou ovócitos I (2n).

2.2.1.2.1. Esse depósito citoplasmático de nutrientes chama-se vitelo, e é responsável pela nutrição do embrião durante seu desenvolvimento.

2.2.1.2.2. Nas mulheres, essa fase perdura até a puberdade, quando a menina inicia a sua maturidade sexual.

2.2.1.3. Período de maturação: o processo de meiose, porém este não se completa e os ovócitos primários estacionam na prófase I.

2.2.1.3.1. O ovócito secundário (óvulo) não é fecundado, ele se degenera 24 horas após ser liberado.

2.2.1.3.2. Dos 400 000 ovócitos primários, apenas 350 ou 400 completarão sua transformação em gametas maduros, um a cada ciclo menstrual.

3. Aluna: Rebeka Lopes Poleze / Matricula: 2017215568

4. Referencia

4.1. RODRIGUES, R. Determinação sexual e diferenciação sexual no embrião e no feto. Seminário da disciplina Endocrinologia da Reprodução (VET00169) no Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no 2o semestre de 2004.

4.2. SANTOS, R. B. ARAÚJO, L. B. M. et al. Aspectos moleculares da espermatogênese. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer - Goiânia, v.13 n.24; p. 2016

5. Espermatozoide