A sociedade e os conceitos de indivíduos

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
A sociedade e os conceitos de indivíduos por Mind Map: A sociedade e os conceitos de indivíduos

1. Sociedade e indivíduo

1.1. Os autores clássicos têm diferentes abordagens sobre o tema. Durkheim enfatiza que a sociedade é anterior ao indivíduo e impõe-se sobre ele, suas regras (fatos sociais) são exteriores, coercitivas e gerais e exercem controle sobre os indivíduos. A participação do indivíduo na sociedade está ligada à função que ele desempenha nela.

1.2. Marx enfatiza a divisão de classes, sendo que a classe que domina sobre as demais produz e dissemina a ideologia que permite que as classes exploradas por meio do trabalho aceitem e validem a exploração que sofrem. A infraestrutura social corresponde à base material da sociedade, a sua formação mediante o mundo do trabalho. A superestrutura, por sua vez, corresponde à base normativa dessa sociedade, ao seu conteúdo moral, jurídico e simbólico que regula as relações materiais. Marx ressalta a capacidade de agência do indivíduo, isto é, seu poder de modificar a sociedade em que vive.

1.3. Weber volta sua atenção para a ação social, que seria a ação que leva em consideração o comportamento dos outros e é dotada de significado, seja ele de motivação racional, afetiva ou tradicional. Para Weber, compreender essas ações possibilita apreender os valores e as regras compartilhados por todos.

2. Cultura

2.1. . Entre as formas de identidade cultural mais conhecidas, está a identidade nacional, os símbolos, as narrativas, as práticas e os conhecimentos que nos unem enquanto brasileiros, por exemplo, mesmo num território tão imenso e com inúmeras diferenças regionais.

2.2. Como aponta o sociólogo francês Edgar Morin|2|:

2.3. “Não só os indivíduos estão na sociedade, mas a sociedade também está nos indivíduos, incutindo-lhes, desde o nascimento deles, a sua cultura. A cultura e a sociedade permitem a realização dos indivíduos, as interações entre os indivíduos permitem a perpetuação da cultura e a auto-organização da sociedade.”

3. instituições sociais

3.1. São elas que passam as regras e normas da sociedade para os cidadãos e forma-os enquanto cidadãos pertencentes a determinado grupo social. Podemos considerar como instituições sociais: a família, a escola, o trabalho, a Igreja e o Estado. As instituições sociais atuam no processo de socialização, visando a adequação de cada indivíduo no grupo social.

3.2. As instituições sociais são criações humanas para que haja uma verdadeira integração social, sem conflitos e com as mesmas ideologias predominantes. Nesse sentido, as instituições sociais atuam na homogenização da massa, fazendo com que todos agem e pensem da mesma maneira, evitando-se o caos.

3.3. As instituições sociais servem como mediadoras entre a vida individual e a vida privada, levando às pessoas a oportunidade de enquadrarem-se nos modos de vida e nos padrões sociais, a fim de que não haja divergência entre vida individual e vida social.

4. socialização

4.1. O conceito de socialização surgiu para explicar de que maneira as pessoas se tornam seres sociais, ou seja, um “alguém” dentro de um grupo.

4.2. Nessa perspectiva, um indivíduo socializado é aquele que é reconhecido como um membro legítimo dessa sociedade

4.3. Uma vez que todas as pessoas passam por isso, raramente percebemos quando estamos sendo socializados. E, na verdade, a todo momento a socialização está acontecendo.

5. relações sociais

5.1. Na sociologia, as relações sociais absorvem um conceito complexo que trata do conjunto de interações entre os indivíduos ou grupos sociais, seja em casa, na escola, no trabalho.

5.2. os seres humanos são seres sociais. A partir disso, a sociabilização é fundamental para o desenvolvimento da sociedade, uma vez que ela integra os grupos sociais

5.3. Durante a vida desenvolvemos diversas relações sociais que são fundamentais para a evolução da sociedade e dos seres humanos. Uma vez que elas são a base para a constituição das sociedades (estrutura social), um ser humano que não desenvolve as relações sociais pode apresentar diversos problemas patológicos (depressão, isolamento social, preconceitos, etc.).