Epidemiológia

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Epidemiológia por Mind Map: Epidemiológia

1. Uma definição para o termo é:

1.1. Ciência que estuda o processo saúde- doença em coletividade humana.

1.1.1. Essa definição pode ser aclarada pelo aprofundamento de concepções expressa:

1.1.1.1. Priori, que independente de análise, a atenção da epidemiologia está voltada para as ocorrências, em escala massiva de doença e de não-doença envolvendo pessoas da sociedades, coletividades, comunidades, grupos demográficos, classes sociais ou quaisquer outros coletivos formados por seres humanos;

1.1.1.2. Universo dos estados particulares de ausência de saúde é estudado pela epidemiologia sob a forma de doenças infecciosas, não-infecciosas e agravos à integridade física;

1.1.1.3. Conjunto de processos sociais interativos que, erigidos em sistema, definem a dinâmica dos agregados sociais.

1.1.1.4. Distribuição o estudo da variabilidade da freqüência das doenças de ocorrência em massa.

1.1.1.5. Análise dos fatores determinantes envolve a aplicação do método epidemiológico ao estudo entre um ou mais fatores suspeitos;

1.1.1.6. Prevenção visa empregar medidas de profilaxia a fim de impedir que os indivíduos sadios venham a adquirir a doença;

1.2. Eixo da saúde publica

1.3. Ciência viva, em fase de crescimento e transformação.

2. História Natura da doença

2.1. Para tratar deve-se ter um esquema básico de caráter geral, onde possa ancorar as descrições especificas.

2.2. É um quadro esquemático que dá suporte á descrição das múltiplas e diferentes enfermidades.

2.3. Sua utilidade é:

2.3.1. Apontar diferentes métodos de prevenção e controle.

2.3.2. Servir de base para compreensão reais e específicas.

2.4. Nome dado ao conjunto de processos interativos contendo inter-relação com:

2.4.1. - Agente - Suscetível - Meio ambiente

2.4.2. Afetando o processo global e seu desenvolvimento, criando as primeiras forças:

2.4.2.1. - Estimulo patologico no meio ambiente - Resposta do homem ao estimulo - Leva a um defeito - Invalidez - Recuperação - Morte

2.5. Desenvolvimento em dois períodos:

2.5.1. Epidemiológico

2.5.1.1. Relações suscetível Ambiental

2.5.2. Patológico

2.5.2.1. Modificações que passam no organismo vivo.

2.5.3. Que abrangem em dois domínios integrantes:

2.5.3.1. - Consecutivos - Mutuamente exclusivos

2.5.3.1.1. Que se completam como:

2.5.3.2. Fatores Limítrofes que se situam de forma indefinida, entre:

2.5.3.2.1. Pré-Patogênico

2.5.3.2.2. Patologia explicita

2.6. "Natural", não pode e nem deve ser entendido como declaração de fé de ordem fisiológica.

2.6.1. Negando o social e privilegiada, o natural.

3. Período de Patogênese

3.1. Se inicia com as primeiras ações que os agentes patogênicos exercem sobre o ser afetado. Seguem-se as perturbações bioquímicas em nível celular, continuam com as perturbações na forma e na função, evoluindo para defeitos permanentes, cronicidade, morte ou cura.

3.2. Serão considerados quatro níveis de evolução no período de patogênese:

3.2.1. - Interação estímulo-suscetível. - Alterações bioquímicas, fisiológicas e histológicas. - Sinais e sintomas. - Defeitos permanentes, cronicidade.

4. Alterações Bioquímicas, Histológicas E Fisiológicas

4.1. A doença já está implantada no organismo afetado. Embora não se percebam manifestações clínicas, já existem alterações histológicas em nível de percepção subclínica de caráter genérico.

4.2. Sinais e Sintomas

4.2.1. É o estágio chamado de clínico, iniciado ao ser atingida uma massa crítica de alterações funcionais no organismo acometido.

4.3. Cronicidade

4.3.1. Do estado crônico, com incapacidade temporária para desempenho de alguma atividade específica, a doença pode evoluir para a invalidez permanente ou para a morte. Em alguns casos para a cura.

5. Prevenção

5.1. Prevenção Primaria

5.1.1. Promoção da Saúde

5.1.1.1. - Moradia adequada. - Escolas. - Áreas de lazer. - Alimentação adequada. - Educação em todos dos níveis

5.1.2. Proteção Específica

5.1.2.1. - Imunização. - Saúde ocupacional. - Higiene pessoal e do lar. - Proteção contra acidentes. - Aconselhamento genético. - Controle dos vetores.

5.2. Prevenção Secundaria

5.2.1. Diagnóstico Precoce

5.2.1.1. - Inquérito para descoberta de casos na comunidade. - Exames periódicos, individuais, para detecção precoce de casos. - Isolamento para evitar a propagação de doenças. - Tratamento para evitar a progressão da doença.

5.2.2. Limitação da Incapacidade

5.2.2.1. - Evitar futuras complicações. - Evitar sequelas.

5.3. Prevenção Terciaria

5.3.1. - Reabilitação (impedir a incapacidade total). - Fisioterapia. - Terapia ocupacional. - Emprego para o reabilitado.