OVINOCULTURA

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
OVINOCULTURA por Mind Map: OVINOCULTURA

1. Santa Inês

1.1. Boa produção de carne, pele de alto valor

1.2. Pelagem vermelha, preta, branca e suas combinações

1.2.1. Pelos curtos e sedosos

1.2.2. Pele pigmentada

1.3. Originalmente desenvolvida no nordeste brasileiro

1.3.1. Cruzamento intercorrente das raças Bermácia, Morada Nova, Somalis e SRD.

2. Morada Nova

2.1. Produção de carne e pele de alta qualidade

2.2. Prolíferas

2.3. Pelagem de variedade vermelha: diversas tonalidades, com cor clara na região do períneo, bolsa escrotal, úbere e cabeça.

2.3.1. Variedade branca: pelagem branca com permissíveis mucosas e cascos claros.

2.3.2. Pele escura, espessa, elástica e resistente

2.4. Originadas das raças primitivas dos arietinos

3. Bergamácia

3.1. Machos adultos pesam de 100 a 120Kg

3.1.1. Carcaça não é de grande qualidade

3.2. Cordeiros com bom desenvolvimento e mães com boa produção de leite

3.2.1. Lactações que atingem té 250Kg com 6% de gordura

3.2.1.1. Muito utilizado na Itália para fabricação de queijo Gorgonzola

3.3. Lã de baixa qualidade

3.3.1. Fabricação de tecidos grosseiros

3.4. Rústicos e exigentes para alimentação

3.4.1. Fácil adaptação as condições climáticas do centro e nordeste brasileiro.

3.5. Originadas no norte da Itália, Lombardia e Piemonte

3.5.1. Possivelmente de advindas de ovinos do Sudão

4. Suffolk

4.1. Se adapta a diferentes climas

4.2. Rústica, mas necessita de boa alimentação

4.2.1. Cordeiros com grandes ganhos de peso ao dia, até 450 gramas

4.2.1.1. Ótimo rendimento de carcaça, 50 a 60%.

4.2.1.1.1. de ótima conformação e com pouca gordura externa

4.2.1.2. Os machos adultos ultrapassam facilmente os 150 Kg

4.2.2. Nascem inteiramente pretos, e vão branqueando até os 4 ou 5 meses de idade

4.3. Prolífera, com índices de nascimento de até 165%

4.3.1. Parto fácil, principalmente por causa do formato longo e estreito da cabeça dos cordeiros ao nascerem

4.3.2. carneiros têm uma libido muito forte

4.3.3. ovelhas com aptidão materna

4.4. A lã tem muita resistência, apta para a fabricação de carpetes, estofados e forrações

4.4.1. Pele: Fina, de coloração rosada e completamente sem rugas

4.5. Oriunda dos condados de Norfolk, Cambridge, Essex e Suffolk no sudoeste da Inglaterra

4.5.1. formada a partir do cruzamento de carneiros Southodown com ovelhas selvagens de Norfolk

5. Ile de France

5.1. Produz uma carcaça pesada e de muita qualidade

5.1.1. cordeiros com bom ganho de peso

5.1.1.1. aos 70 dias pesam 23,2 Kg

5.1.1.1.1. dos 10 aos 30 dias de idade apresentam ganho de peso diário médio de 242g

5.1.1.1.2. e dos 30 aos 70 dias tem ganho diário médio de 287g.

5.1.1.2. e dos 30 aos 70 dias tem ganho diário médio de 287g.

5.2. prolífera, atingindo médias de nascimentos de 160%

5.2.1. Produz cordeiros em diferentes épocas do ano

5.3. O berço da raça é a França, na região da bacia parisiense

5.4. Lã: O diâmetro médio das fibras de lã varia de 23 a 27 micrômetros: correspondente a Norma Brasileira de Classificação de Lã

5.4.1. rendimento ao lavado de 53 a 55 %

5.4.2. Lã untuosa, provida de suarda com cor amanteigada (suarda branca é mais rara)

5.4.3. Cordeiros podem ter lã curta na cara, chanfro e nos membros posteriores abaixo dos garrões

6. Dorper

6.1. Aptidão: carne

6.2. A raça Dorper tem origem na África do Sul

6.3. Pelagem: ovino branco com cabeça, pescoço e cascos pretos é o ideal

6.3.1. Um ovino com uma pelagem (cobertura) com um misto de pêlo/lã que se mostre atraente aos olhos, tornando o animal belo

6.3.2. mesma delimitação de linha ventral para cor é utilizada para pelagem/cobertura

7. East Frisean

7.1. Aptidão: produção de leite

7.2. Pelagem:Denso, de lã branca, com variedade de lã preta, podendo ainda aparecer animais oveiros (todas aceitáveis)

7.2.1. Pele: Fina, solta, bem irrigada e de cor rosada.

7.2.1.1. A lã não é considerada a sua principal produção

7.3. Raça originária do Oeste da República Federal da Alemanha ao leste da região da Frísia

8. Border Leicester

8.1. Aptidão:Muito rústica e precoce.

8.2. Muito prolífica, com 110 a 130% de índices de nascimentos

8.2.1. Muito indicada para cruzamentos industriais, onde colabora eficientemente com a sua prolificidade e aptidão materna

8.3. Pelagem:carne e lã grossa c.om mechas longas e lustrosas. O equilíbrio zootécnico é de 60% carne e 40% lã grossa

8.4. Com origem nos Condados do Sudeste da Escócia

8.5. Produz muita carne e lã grossa, que é muito empregada para o fabrico de carpetes, estofamentos e forrações.

9. Poll Dorset

9.1. Aptidão:- Raça especializada para a produção de carne.

9.2. Os ovinos primitivos dos condados de Dorset e Somerset, no sudoeste da Inglaterra

9.3. Excelente produção de leite e habilidade materna, o que resulta em alta taxa de sobrevivência e velocidade de crescimento dos cordeiros, com carcaças pesadas e baixo teor de gordura.

9.3.1. Alta fertilidade e precocidade na maturidade sexual

9.3.1.1. Duração estacional de cio é muito prolongada, entrando em cio muito cedo no ano e produzindo cordeiros em diferentes épocas do ano

9.4. Raça muito adequada ainda para cruzamentos industriais com a finalidade de produção de cordeiros para abate

9.5. Pele: Não ser muito solta, mas deve ser suave, livre de grandes rugas e de cor rosada (mas nas áreas desprovidas de pelos e lã são admissíveis sardas de cor de café ou pigmentos negros, mas não são admissíveis manchas definidas negras ou escuras

9.6. Muito adequada para cruzamentos terminai

9.7. Rendimento de carcaça varia de 54 a 60%

9.7.1. Machos adultos pesam de 100 a 125 Kg

9.7.2. Fêmeas adultas pesam de 65 a 90 Kg

10. Texel

10.1. Aptidão: -Rústica e sóbria, produzindo bem no sistema extensivo e semi-intensivo.

10.2. A raça Texel é originária da ilha de mesmo nome, na Holanda

10.3. Prolífera, pois atinge índices de nascimento de 160%, tendo atingido na França índices de 190 até 200%.

10.4. Produz uma ótima carcaça, com gordura muito reduzida.

10.4.1. Os carneiros atingem pesos de 110 a 120 Kg e as fêmeas adultas 80 a 90 Kg, já tendo ultrapassado tais pesos, os carneiros tratados já atingiram 160 Kg e as ovelhas também tratadas já atingiram mais de 100 Kg

10.5. Precoce, em condições de pastagens (com 30 a 90 dias de idade), os cordeiros machos tem ganhos de peso médio diário de 300 gramas e as fêmeas de 275 gramas.

10.5.1. Aos 70 dias de idade machos bem formados atingem 27 Kg e as fêmeas 23 Kg

10.6. O diâmetro médio das fibras de lã varia de 27 a 30 micrômetros

11. Merino

11.1. Aptidão:- Produtora de lã fina por excelência

11.2. Os cordeiros são bastante vulneráveis ao nascerem, tem pouca cobertura de lã e pouco tecido adiposo

11.3. Lã de grande qualidade e valor industria

11.4. Elevado grau de rusticidade e adaptabilidade em regiões pobres, clima desfavorável

11.4.1. Não se adapta bem em campos úmidos e baixos

11.5. é considerado um dos ovinos domésticos mais antigo de todos os conhecidos, e é descendente de um ovino selvagem primitivo natural da Ásia Menor, o Ovis arkal

11.6. Lã: O diâmetro médio das fibras de lã varia de 16 a 26 micrômetros, o que corresponde na Norma Brasileira de Classificação da Lã Suja a finura que vão desde a Merina até a Prima B, e na escala inglesa de Bradford oscila de 80´s a 58´s. Os ovinos desta raça podem agrupar-se em três tipos, em função da finura de lã produzem

11.6.1. Pele: Muito fina, rosada e lisa, salvo nas rugas do pescoço e em algumas que costumam aparecer até nos mais puros exemplares. São toleráveis pequenas rugas em forma de ferradura na base da cola. A lã que cobre as rugas ainda que menos fina deve estar isenta de pelos ou fibras meduladas

11.7. Longeva, produzindo economicamente até idades avançadas

11.7.1. Os machos do tipo médio e forte, quando bem alimentados podem produzir capões pesados

12. Ideal

12.1. Aptidão:- Raça rústica, prolífera e sóbria.

12.2. Lã: O diâmetro médio das fibras de lã dos ovinos desta raça varia de 19 a 26 micrômetros

12.2.1. É uma lã de grande suavidade ao tato, devem ser de cor branca, com suarda translúcida e fluídica e bem distribuída, tendo rendimento ao lavado superior a 73% e ainda apresenta muito bom carácter, com cerca de 10 a 15 ondulações para 25 milímetros de comprimento de mecha.

12.2.2. Lã de grande qualidade e valor industrial.

12.3. Produz bem no sistema extensivo.

12.4. Em boas condições de alimentação produz um bom cordeiro para abate.

12.5. originário da Austrália, onde é também conhecido pelo nome de Polwarth.

13. Lacaune

13.1. Aptidão: produção de leite e de carne

13.2. Pele: De cor branca, mas alguns traços de pigmentação podem ser tolerados.

13.3. Raça francesa, deve seu nome aos montes Lacaune, no Tarn.

13.3.1. Tem como origem os diversos grupos ovinos que existiam nos departamentos de L´Aveyron, Tarn e Limítrofes

13.3.2. O berço da raça situa-se na região produtora do leite destinado à fabricação do queijo Roquefort

14. Rabo Largo

14.1. Aptidão:- Produção de carne e pele.

14.2. Rústicos, bem adaptados as condições do Nordeste semiárido

14.3. Originada do cruzamento de animais que vieram da África com animais de outras origens, se caracterizam, principalmente, por possuírem a cauda gorda

14.3.1. Pelagem:Vermelha, branca e suas combinações, com pelos curtos ou médios e podem apresentar resquícios de lã

15. Corriedale

15.1. Aptidão: produção de carne e lã Pelagem:

15.2. originou-se na Nova Zelândia, onde eram comuns os cruzamentos alternativos entre ovinos Merinos, Romney Marsh, Lincoln e Leicester

15.3. Lã: Velo pesado, uniforme, extenso e com carácter. Cobre bem todo o corpo (com exceção das virilhas e axilas), mechas relativamente longas, bem constituídas, bem definidas, carnudas, densas e com ondulações pronunciadas e proporcionais a finura das fibras.

15.3.1. Lã branca de bom toque e bem lubrificada, cobre abundantemente os membros locomotores, deixando livre os cascos e formando um garreio de boa qualidade, livre de pelos e de manchas marrons ou pretas.

15.3.2. Nos machos tolera-se uma tendência a um grau mais forte, desde que a lã tenha muito bom toque e nas fêmeas admite-se a finura PRIMA B, desde que tenham um bom tamanho, velo pesado e demais caracteres raciais bem definidos.

16. Romney Marsh

16.1. Aptidão:- Produtor de carne e lã, com maior ênfase econômica para a carne.

16.2. Extremamente rústico, suportando bem as condições de campos úmidos

16.3. Em criação extensiva os capões atingem de 80 a 90 Kg.

16.3.1. Cordeiros chegam a produzir de 28 a 30Kg aos 5 meses se estiverem a campo

16.4. Raça de origem Inglesa

16.5. Lã: Nos machos o diâmetro médio das fibras varia de 31 a 38 micrômetros (de 48´s a 44´s na escala de Bradford)

16.5.1. Nas fêmeas varia de 29 a 31 micrômetros, o que de acordo com a Norma Brasileira de Classificação de Lã Suja dá para os machos as finuras de Cruza 3 a Cruza 6 e para as fêmeas finuras de Cruza 2 e Cruza 3.

16.5.2. O comprimento das mechas atinge de 14 a 18 cm, com ondulações bem acentuadas e largas, podendo atingir até 1,5 a 2,0 cm

16.5.3. Cor: amarelo ouro ou creme e atualmente preferencialmente branca, com boa suavidade, brilho acentuado e boa uniformidade de finura.

17. Somalis Brasileira

17.1. Aptidão:- Produção de carne e pele.

17.2. rústicos, adaptam-se bem às condições climáticas da região semiárida

17.3. Fêmeas prolíferas.

17.4. Pertence ao grupo dos ovinos de "garupa gorda", originário do "corno da África"

17.4.1. ancestral remoto o ovino Urial

17.4.2. se afastou bastante do tronco original, sendo mais prolífero, de garupa menos gorda e com alguma lã pelo corpo que sugere ter havido muita infusão de raças sem garupa gorda e com alguma lã.

17.5. Pelagem: Branca, com cabeça e o pescoço pretos

17.5.1. Permissível a tonalidade parda nestas partes e ainda a extensão da área escura até a base do pescoço e a metade da espádua, cabeça, pescoço, tronco e membros cobertos de pelos curtos, admitindo-se a presença de lã em pequena quantidade.

17.5.2. Animais velhos podem apresentar pelos pretos ou pardos na área branca do corpo.