Emergências médicas

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Emergências médicas por Mind Map: Emergências médicas

1. Reações de hipersensibilidade

1.1. Causados por fármacos administrados que podem agir como estímulo antigênico. Os sintomas incluem reações alérgicas, eritema, urticária, prurido e angiodema. O tratamento deve ser interromper a administração de todos os fármacos em uso, monitorar os sinais vitais, observá-lo no consultório por 1 hora, se necessário encaminhar ao médico. Pode-se administrar anti-histamínico por IV ou IM (hidrocloreto de difenidramina, 50 mg, ou o maleato de clorfeniramina, 10 mg), devendo ser continuado por via oral Benadyl 50mg 6/8h por 24h; Administrar epinefrina 0,3mL.

2. Dificuldades respiratórias

2.1. Asma

2.1.1. Pode ser causado por estresse emocional ou agentes farmacológicos, os primeiros sintomas apresentam-se com respiração encurtada, podendo agravar o quadro para dispneia, confusão mental, sudorese . O tratamento deve ser iniciado com a colocação do paciente de forma ereta ou semiereta, utilizando broncodilatadores. Em casos mais graves pode ser injetado epinefrina (0,3mL em 1:1000) por via IM ou SC.

2.2. Hiperventilação

2.2.1. A causa mais frequente é a ansiedade, apresentando falta de ar, respiração rápida e agitação. Bem como, dor torácica, xerostomia e formigamento. O tratamento deve ser acalmar o paciente deixando numa posição semiereta e se necessitar, administrar um sedativo (midazolan de 2 a 4 mg por via IM).

2.3. Doença pulmonar obstrutiva crônica

2.3.1. No geral passam por dificuldades respiratórias quando colocados em posição supina e as secreções pulmonares excessivas são mais difíceis de expelir O tratamento é descontinuar a administração de oxigênio antes que o paciente se torne apneico. A frequência respiratória melhorará em seguida. Se ocorrer apneia e o paciente perder a consciência, deve-se iniciar ventilação artificial e uma unidade de emergência deve ser acionada.

2.4. Aspiração de corpo estranho

2.4.1. Após deglutido, deve-se realizar radiografias torácicas e abdominais. O paciente pode ter uma tosse violenta e expelir, caso contrário, o dentista deve interromper o tratamento, colocar o paciente em posição sentada fazer manobras para que ele elimine, para não obstruir vias aéreas e causar cianose e perda de consciência. Se necessário encaminhar para urgência médica.

2.5. Aspiração de conteúdo gástrico

2.5.1. O material proveniente de conteúdo gástrico causa obstrução das vias aéreas, mas a alta acidez do conteúdo gástrico causa problemas mais sérios, como dificuldades respiratórias graves, taquipneia e sibilo. Podendo ocorrer taquicardia e hipotensão. Deve-se interromper o tratamento, colocar o paciente em posição horizontal virado para o lado direito, aspirar orofaringe, utilizar um sugador de alta potência para remoção do vômito. Chamar socorro médico se necessário.

3. Alteração de consciência

3.1. Síncope vasovagal

3.1.1. Ocorre em decorrência de uma série de eventos cardiovasculares desencadeados pelo estresse emocional que aparece durante a antecipação ou o início do tratamento. Os primeiros sintomas apresentam-se diminuição da resistência vascular periférica, taquicardia e sudorese, sensação de calor e náuseas. Interromper o tratamento, colocar o paciente em posição supina, tentar acalmá-lo, colocar toalhas frias na fronte e monitorar os sinais vitais.

3.2. Hipotensão ortostática

3.2.1. O paciente sentirá tontura ou terá uma síncope, se queixará com frequência de palpitações e fraqueza generalizada. É resultante de efeitos farmacológicos, como anti-hipertensivos e se recupera rapidamente logo que assume a posição reclinada. Obter uma consulta médica antes do próximo tratamento odontológico

3.3. Convulsão

3.3.1. As manifestações são convulsão breve e isolada, movimentos tônico-clônicos do tronco e extremidades, perda da consciência, vômito, obstrução das vias aéreas, perda do controle do esfíncter urinário e anal. Deve-se interromper todo o tratamento, colocar o paciente em posição supina e proteger de objetos próximos, administrar oxigênio e 5 mg/min até 10 mg/min de diazepam por via IV ou 0,3 mg/min de midazolam IV ou IM ou até 6 mg* fracionados até a interrupção da convulsão. Se necessário chamar assistência médica.

3.4. Toxicidade ao anestésico local

3.4.1. Ocorrem quando administrados em quantidade ou de maneira que produza uma concentração sérica excessiva. Toxicidade leve: loquacidade, ansiedade, dificuldade de fala, confusão. Toxicidade moderada: gagueira, tontura, visão turva, sonolência. Toxicidade grave: convulsão ou parada cardíaca. O tratamento inclui em interromper a administração do anestésico local, monitorar os sinais vitais, administrar oxigênio, se necessário 5-10mg de Diazepam ou 2-6mg de Midazolan lentamente.

3.5. Diabetes Melito

3.5.1. Em geral, originam-se porque o paciente diminuiu abruptamente a ingestão calórica ou possui uma infecção, ou a taxa metabólica aumentou devido à ansiedade. Leve: fome, náusea, fraqueza. Moderada: ansiedade, sudorese, taquicardia, alterações comportamentais. Grave: hipotensão, convulsão e inconsciência. O tratamento deve ser administrar uma fonte de glicose, como açúcar ou fruta, via oral, monitorar os sinais vitais. Se os sintomas não melhorarem rapidamente, administrar 50 mL de glicose a 50% ou 1 mg de glucagon IV ou IM. Se necessário encaminhar para uma unidade de emergência ou consultá-lo antes da próxima consulta.

3.6. Disfunção tireoidiana

3.6.1. Pode ser desencadeada por infecção, cirurgia, trauma, gravidez ou qualquer outro fator de estresse fisiológico ou emocional. As manifestações são dores abdominais, taquicardia, tremor, fraqueza, nervosismo e agitação. O tratamento baseia-se em interromper o tratamento, administrar oxigênio, chamar assistência médica, monitorar os sinais vitais. Se necessário iniciar suporte básico de vida e iniciar acesso venoso e administrar solução cristaloide (150 mL/h).

3.7. Insuficiência da Supra Renal

3.7.1. É rara, resultante da administração de corticosteroides exógenos por conta da grande quantidade de condições clínicas para as quais é recomendado. Os sintomas são: dor abdominal, confusão, náusea, fraqueza entre outros. O tratamento consiste em interromper todo o tratamento odontológico, colocar o paciente em posição supina, chamar assistência médica e administrar corticosteroide (100 mg de hidrocortisona IMou IV ou seu equivalente), administrar oxigênio e monitorar os sinais vitais.

3.8. Comprometimento Cerebrovascular

3.8.1. Ocorrem por conta da alteração no fluxo sanguíneo cerebral, comprometendo 3 principais vias. Os sintomas variam, desde cefaleia, fraqueza, incapacidade de falar, dificuldade respiratória ou de deglutição, convulsões, tontura. Se os sintomas forem leves o tratamento baseia-se em interromper o tratamento odontológico, monitorar os sinais vitais, consultar o médico. Se em progressão, colocar o paciente em posição supina, administrar oxigênio e encaminhar para unidade de emergência.

4. Desconforto torácico

4.1. O desconforto proveniente de isquemia cardíaca é frequentemente descrito como uma sensação de pressão ou aperto, com sensação de peso no peito. Se houver suspeita de que o desconforto torácico pode ser causado por isquemia do miocárdio devem ser instituídas medidas apropriadas para diminuir o trabalho do miocárdio e aumentar o suprimento de oxigênio. Deve ser interrompido o procedimento, tranquilizar o paciente e monitorar os sinais vitais e iniciar a administração de oxigênio. Podendo ser administrada nitroglicerina sublingual ou por meio de spray oral de 0,4 mg, se necessário repetir a cada 5min.