Romantismo de Portugal

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Romantismo de Portugal por Mind Map: Romantismo de Portugal

1. Contexto Histórico Em Portugal,o Romantismo surge no século XIX.O início do Romantismo em Portugal é marcado com a publicação, em 1836, de A Voz do Profeta, de Alexandre Herculano, sendo na sequência lançada a primeira revista romântica portuguesa, o Panorama, em 1837.

2. Principais Características Além do byronismo, do culto ao fantástico, do egocentrismo, do mal-do-século, do medievalismo e da religiosidade, são características do Romantismo:

2.1. Libertação Estilística: O Romantismo é oposição ao Classicismo, dada a liberdade da criação existente nesse novo estilo que dispensa as regras exaltadas pelos clássicos e, inclusive, usa uma linguagem muito próxima à coloquial.

2.2. Subjetivismo: Valorização de opiniões e expressão de pensamento de acordo com as percepções individuais em detrimento da objetividade.

2.3. Sentimentalismo: Exaltação dos sentimentos, em detrimento do racionalismo. Há uma forte expressão de tristeza, melancolia e saudade.

2.4. Idealização: Visão ideal das coisas, que não são vistas de forma verdadeira, mas idealizadas, perfeitas.

2.5. Nacionalismo ou Patriotismo: Como uma forma de recuperar o orgulho português e os seus valores, a pátria é exaltada, destacando-se apenas suas qualidades.

2.6. Nacionalismo ou Patriotismo: Como uma forma de recuperar o orgulho português e os seus valores, a pátria é exaltada, destacando-se apenas suas qualidades.

2.7. Culto ao Fantástico: Forte tendência para a fantasia, para os sonhos, em detrimento à razão.

2.8. Saudosismo: Necessidade de refugiar-se no passado, com forte expressão de melancolia e saudade.

2.9. Culto ao Fantástico: Forte tendência para a fantasia, para os sonhos, em detrimento à razão.

2.10. Culto à Natureza: Forte tendência para expressar sentimentos situando-os em ambientes naturais.

3. Gerações Românticas O Romantismo é marcado por três gerações. Citamos seus principais autores e respetivas obras:

4. Primeira Geração Romântica Portuguesa

4.1. Almeida Garret escreveu teatros (O Alfageme de Santarém, D.Filipa de Vilhena, A Sobrinha do Marquês, Frei Luís de Sousa) novelas (O Arco de Sant’Ana e Viagens na Minha Terra) e poesias (Camões, Lírica de João Mínimo, Flores sem Fruto, Folhas Caídas).

4.2. Alexandre Herculano escreveu poesias (O Soldado, A Vitória e a Piedade, Tristezas do Desterro, O Mosteiro Deserto, A volta do Proscrito), romances (O Bobo, Eurico, o Presbítero, O Monge de Cister), lendas e narrativas (A Abóbada, O Bispo Negro, Dama Pé de Cabra), historiografia (Apontamentos para a História dos Bens da Coroa e Forais, História de Portugal)

4.3. Antônio Feliciano de Castilho escreveu Escavações Poéticas, Crônica Certa e Muito Verdadeira da Maria da Fonte, Tosquia de um Camelo, Ajuste de Contas.

4.4. Oliveira Marreca, economista, escreveu um dos primeiros tratados de economia em Portugal, intitulado Noções Elementares de Economia Política, entre outros vários artigos sobre a mesma ciência.

5. Segunda Geração Romântica Portuguesa

5.1. Camilo Castelo Branco escreveu Inspirações, Um livro, Ao Anoitecer da Vida, Pundonores Desagravados, Delitos da Mocidade, Murraça, Esboços de Apreciações Literárias, Curso de Literatura Portuguesa, O Eco Nacional, O Nacional, Amor de Perdição, Queda de Um Anjo, A Bruxa do Monte Córdova, A Mulher fatal.

6. Terceira Geração Romântica Portuguesa

6.1. Júlio Diniz escreveu As Pupilas do Senhor Reitor, Uma Família Inglesa, A Morgadinha dos Canaviais, Os Fidalgos da Casa Mourisca, Serões na Província.