FADIGA

sfsdfds

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
FADIGA por Mind Map: FADIGA

1. Tipos de Falhas

1.1. Deformação

1.1.1. Modificação da forma ou dimensões de um componente estrutural suficiente para causar a perda de sua função

1.1.2. Independente do tempo

1.1.2.1. Plástica

1.1.2.2. Elástica

1.1.3. Dependente do Tempo

1.1.3.1. Fluência

1.2. Fratura

1.2.1. Quebra de um componente em duas ou mais partes devido à presença de trincas.

1.2.2. Carregamento Estático

1.2.2.1. Frágil

1.2.2.2. Dúctil

1.2.2.3. Ambiental

1.2.2.4. Fluência

1.2.3. Carregamento Cíclico

1.2.3.1. Alto Ciclo

1.2.3.2. Baixo Ciclo

1.2.3.3. Propagação por fadiga

1.2.3.4. Corrosão por Fadiga

2. O que é Fadiga?

2.1. Fadiga é o processo que conduz à falha do material pela aplicação repetida de determinado carregamento

2.2. Fadiga de Alto Ciclo

2.2.1. Milhões de Ciclos

2.2.2. Deformação elástica

2.2.3. S-N Stress Life

2.3. Fadiga de Baixo Ciclo

2.3.1. Dezenas, centenas ou milhares de ciclos

2.3.2. Deformações plásticas

2.3.3. 𝜖-N Strain Life

3. Histórico e Generalidades

3.1. Albert (1837) - Estudou o efeito de cargas repetitivas em ensaios de tração

3.2. Poncelet (1839) - Criou o termo fadiga.

3.3. Rankine (1842) - Efeito de concentradores de tensão

3.4. Morin (1853) - Primeiros exemplos da filosofia de projeto safe-life

3.5. August Wöhler (1860) - Primeira investigação sistemática de falhas por fadiga

3.6. 1886 - 1924 Diversas melhorias das teorias de August Wöhler

3.7. Gough (1924) - Publicou primeiro livro de fadiga: "The Fatigue of metals"

4. Filosofias de Projeto à Fadiga

4.1. Safe-Life

4.1.1. Projeto robusto que não admite trincas durante a vida operacional

4.1.2. Coeficientes de segurança são aplicados em todo o sistema

4.2. Fail-Safe

4.2.1. Estrutura resiste ao carregamento mesmo com falhas em alguns de seus componentes

4.2.2. Estrutura redundante

4.3. Damage Tolerance

4.3.1. Análise da propagação de trincas por fadiga

4.3.1.1. Conhecimento quantitativo da resistência da estrutura na presença de trincas - Diagrama de resistência residual

4.3.1.2. Conhecimento do tempo requerido para que a trinca se propague até um tamanho crítico - Diagrama de propagação

4.3.2. Resulta em procedimentos de inspeção e manutenção para cada elemento estrutural principal (PSE)