DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM por Mind Map: DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM

1. ASPECTOS AFETIVOS

1.1. Modelo desenvolvimentalista

1.1.1. exposição a riscos em determinados períodos do desenvolvimento, críticos (ex: início da escolarização)

1.1.2. mecanismos de riscos - biológicos, sociais, afetivos, entre outros

1.1.3. mecanismos de proteção podem agir para neutralizar o risco e potencializar a resiliência

1.2. Autoconceito e Rendimento Escolar

1.2.1. Importância dos relacionamentos - fatores que podem funcionar como risco ou proteção

1.2.2. criança vulnerável aos fatores externos, ambientais e escolares - vulnerabilidade do desenvolvimento

1.2.3. Auto-conceito positivo – maior resiliência

1.3. Fatores de Vulnerabilidade, Risco e proteção

1.3.1. Contexto ambiental

1.3.2. Contexto psicológico

1.3.3. Contexto metodológico

1.3.4. Maior fator de vulnerabilidade no contexto da aprendizagem: AUTO-ESTIMA

1.4. Avaliação dos Aspectos Afetivos

1.4.1. Aprendizagem e desenvolvimento da personalidade

1.4.1.1. O aprender envolve simultaneamente a inteligência (o cognitivo), os desejos e as necessidades (o subjetivo, o diferente).

1.5. O Ambiente

1.5.1. Fator de segurança e confiança em seu desempenho em atividades e aquisição de experiências bem sucedidas

2. fatores genéticos, ambientais e sociais

2.1. FATORES PÓS-NATAIS (anemias, doenças crônicas, Traumatismo craniano, Doenças do sistema nervoso, Efeitos colaterais de medicamentos)

2.2. FATORES PERI-NATAIS (Anóxia neonatal, Prematuridade, Infecções, Hiperbilirrubinemia)

2.3. FATORES PRÉ-NATAIS (malformações, infecções, tromboses, hemorragias, etc)

3. problemas disfuncionais em alguma área do cérebro

4. CLASSIFICAÇÃO

4.1. 1. Crianças cujo nível intelectual de desenvolvimento é significativamente inferior à média.

4.2. 2. Crianças com nível de desenvolvimento intelectual normal, mas que apresentam dificuldades em tarefas específicas, tal como a leitura.

4.3. 3. Crianças que inicialmente apresentam uma dificuldade específica, mas que acabam apresentando outras dificuldades decorrentes da primeira.

4.4. 4. Crianças que apresentam dificuldades gerais de aprendizagem, mas que se mostram competentes em uma área específica de funcionamento cognitivo, por exemplo, na área artística.

5. Avaliação Neurológica Clínica (Anamnese, Exame Físico, Exame Neurológico, Exame das funções corticais superiores, Exames complementares e laboratoriais)

6. bloqueio das potencialidades do sujeito (fatores externos)

7. recursos cognitivos não estão disponíveis (fatores internos)

8. dificuldades significativas na aquisição e uso

8.1. fala

8.2. audição

8.3. leitura

8.4. escrita

8.5. raciocínio

8.6. habilidades matemáticas

9. CAUSAS

9.1. ORGÂNICAS

9.1.1. Para entender a dificuldade de aprender do aluno, é necessário investigar o seu nível sensorial, o funcionamento glandular, doenças, problemas de visão e audição.

9.2. PSICOLÓGICAS

9.2.1. Criam obstáculos de origem socioafetiva: baixa auto-estima, expectativas negativas em relação ao seu próprio potencial, carência afetiva, dentre outras.

9.3. SOCIAIS

9.3.1. Referem-se ao padrão socioeconômico e cultural da família; importância e significado que a família atribui ao estudo; conflitos familiares, etc.

9.4. PEDAGÓGICAS

9.4.1. Estratégias de trabalho utilizadas, nível de conhecimento dos professores, métodos e técnicas de domínio, material didático.

10. ESTRATÉGIAS DE TRABALHO

10.1. Sistema de classes de reforço

10.2. Recursos afetivos (carinho e afeto) para as crianças com dificuldades de aprendizagem

10.3. Valorização dos conhecimentos da criança – reforço das fortalezas sobre as punições e limitações

10.4. Processos de avaliação cada vez menos classificatórios e mais operatórias

10.5. Desmistificação do erro. Errar faz parte do processo de aprender!

10.6. Exercícios psicomotores

10.7. etc.

11. P1 Diagnóstico e Intervenção em Dificuldades Escolares I - Parte II

12. Júlia Barbeito Marpica Nathália Garcia P. Gonzales Rafael Alves F. da Silva 7º período

13. ASPECTOS COGNITIVOS

13.1. Avaliação

13.1.1. Abordagem psicométrica (testes de inteligência)

13.1.2. Abordagem cognitva: 1- Piaget (psicogenética, estágios sensório-motor, pré-operatório, operatório concreto e operatório formal) 2- Vigotski (mediação, Zona de Desenvolvimento Proximal)

13.2. Análise das dificuldades

13.2.1. TAREFA

13.2.1.1. Decompor a tarefa maior em tarefas menores, verificar a dificuldade da criança para realizar cada uma das subtarefas.

13.2.2. CRIANÇA

13.2.2.1. Avaliação das habilidades cognitivas da criança, juntamente com outros atributos (processos de motivação, execução, história de fracassos).

13.2.3. MEIO

13.2.3.1. Modificar o meio pode facilitar a aquisição da habilidade que a criança não tem.