Educação na Idade Média

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Educação na Idade Média por Mind Map: Educação na Idade Média

1. Existiam as Escolas Monásticas destinadas a formação de monges e as Escolas Episcopais responsável pela formação do clero superior, que desde a ascensão da Igreja ocupavam cargos públicos

1.1. No início, aprendiam a leitura, escrita, música e estudo religioso voltado para leitura e interpretação e tradução da Bíblia

1.1.1. Com o tempo acrescentam aritmética, gramática, retórica, dialética, filosofia cristã e latim devido ao ingresso de membros da nobreza

1.1.1.1. O ensino era baseado em debates, exercícios, avaliações do conhecimento, prêmios e castigos por desobediência

2. A Idade Média durou de 476 dC até 1453 dC

2.1. Em 476 dC ocorrreu a queda do Império Romano do Ocidente, após invasões bárbaras

2.1.1. Devido as invasões a população abandona as cidades e se refugia nos campos, sob proteção de nobres donos de terras

2.1.1.1. O poder dos reis são enfraquecidos, equanto da nobreza e da Igreja aumenta cada vez mais

2.1.2. Com o colapso da educação romana, a Igreja Católica assume o papel de educadora da sociedade

2.1.2.1. Ocorre uma cristianização da Paideia grega, que era usada na educação romana

2.1.2.1.1. Paideia era o processo de educação grega que visava a formação intelectual e moral do cidadão

2.1.2.1.2. Surgem então as escolas cristãs

3. Durante o reinado de Carlos Magno (768 dC a 814 dC) iniciou-se o movimento cultural carolíngio ou renascimento carolíngio

3.1. Fundou a Escola Palatina em 787 dC nas dependências do próprio palácio, que incluía no ensino as sete artes liberais, repartidas no Trivium e no Quadrivium

3.1.1. Trivium abrangia as disciplinas: gramática, retórica, dialética e filosofia cristã

3.1.2. Quadrivium que englobava as disciplinas reais: aritmética, geometria, astronomia, música, e, mais tarde, a medicina.

3.1.3. A Escola Palatina visava a melhoria educacional da classes da nobreza e funcionários reais

4. Surge uma nova classe social, a Burguesia, formada por ricos comerciantes.

4.1. Dá se a necessidade de uma escola para essa classe social, além das já existentes monásticas (clero) e palatinas (nobreza)

4.1.1. Escolas Catedrais, as escolas urbanas, que ia além do campo religioso local e absorvia elementos das culturas judaica, árabe e persa além de redescobrir autores e filósofos da Antiguidade Clássica.

4.1.1.1. Nessas escolas começam a florescer as ideias que mais tarde culminariam no Renascimento Cultural e Filosófico na Europa

5. Por último surgem as primeiras Studium Generale, que eram basicamente instituições onde mestres e discípulos aprofundavam o seu conhecimento em determinada área.

5.1. Visando fazer referência ao estudo universal do saber em diversas áreas, mudou-se o nome para Universitas.

5.1.1. Acredita-se que a mais antiga instituição data do século XI, a Universidade de Palermo na Itália oferecia o curso de medicina, desde o século X

5.1.1.1. As universidades se tornaram centro de fermentação intelectual, com a tradução para o latim das obras de Aristóteles

5.1.1.1.1. Tomás de Aquino, responsável por promover uma conciliação entre a doutrina cristã e a filosofia de Aristóteles, afirmando que fé e razão coexistem