ZYGMUNT BAUMAN CULTURA COMO PRÁXIS

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
ZYGMUNT BAUMAN CULTURA COMO PRÁXIS por Mind Map: ZYGMUNT BAUMAN CULTURA COMO PRÁXIS

1. Introdução

1.1. Pesquisadores britânicos e pesquisadores americanos

1.1.1. Radcliffe Browm (1881-1955)

1.1.2. Evans-Pritchard (1902-1973)

1.2. Raymond Firth (1901-2022)

1.2.1. “que parece ser de fundamental importância para o comportamento dos membros da sociedade, de modo que, se essas relações não operassem, não se poderia afirmar que a sociedade existe daquela forma”. (Citação retirada no livro, p. 121)

1.3. Dualidade da existência humana

1.4. A tese que o autor pretende desenvolver é a que a controvérsia sobre cultura-estrutura social pertence organicamente à família dos temas originais na experiência básica da natureza dual da condição da existência humana.

1.5. Categorias levantadas por Bauman: Significado, valor, propósito, desenvolvimento e ideal.

1.6. Alma e espírito

1.7. Qual a condição existencial dessa realidade postulada por tantos estudiosos da soceidade?

1.7.1. 1 categoria - É o tão discutido tour de force durkheimiano, voltado para a redução inequívoca e exaustiva do cultural ao social.

1.7.2. 2 - Os teóricos da cultura e personalidade caminharam no sentido oposto. Tentaram reduzir a totalidade da cultura à totalidade da personalidade humana. O conceito tradicional de ethos era, para Kardiner, coextensivo aos constituintes definidores de uma “estrutura da personalidade básica”

1.7.3. 3 – É a solução metodológica tentada originalmente por Max Web. Segundo Bauman, pouco se pode aprender nos textos de Weber sobre a verdadeira modalidade de existência da cultura.

1.8. Conceito de Cultura

2. O cultural e o natural

2.1. Claude Lévi-Strauss (1908-2009)

2.1.1. Levi-Strauss - estudo antropológico com a proibição do incesto.

2.1.1.1. A proibição do incesto oferece o ponto de encontro mais evidente entre natureza e cultura: a natureza impõe a necessidade de aliança sem definir seu formato; a cultura determina sua modalidade.

2.1.1.1.1. 1 - Nessecidade ligada a sobrevivencia

2.1.1.1.2. 2 - O material a partir do qual os signos formadores de padrões podem ser construídos.

2.1.2. Natureza e Cultura - mapa de ideias

2.1.3. Triângulo Culinário

2.1.4. "As estruturas mentais"

2.1.4.1. 1 - A exigencia de uma regra

2.1.4.2. 2 - a reciprocidade como forma mais imediata em que a oposição entre mim e o outro pode ser superada

2.1.4.3. 3 - O caráter sintético da dadiva

2.2. Atividade humana no mundo

2.2.1. Linguagem alimentar

2.2.1.1. Roland Barthes (1915-1980)

2.2.2. Preceitos de fronteira

2.2.2.1. Edmund Leach (1910-1989)

2.3. Tabu, marginalidade e viscosidade

2.4. Piaget - Organização, adaptação e assimilação

2.4.1. Jean Piaget (1896-1980)

2.5. Dimensões importantes

2.5.1. 1 – “densidade cultural”

2.5.2. 2 - Reações as viscosidades

2.5.3. Diferenciação entre indivíduos e grupos

3. Cultura e Sociologia

4. Convergências e Divergências entre a Estrutura e a Práxis