ANTI-INFLAMATÓRIOS

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
ANTI-INFLAMATÓRIOS por Mind Map: ANTI-INFLAMATÓRIOS

1. Não esteroidais

1.1. Indicados para tratar dores leves a moderadas que são oriundas de inflamação, mas não regridem com a ação dos analgésicos. Nimesulida, diclofenaco, ibuprofeno e ácido acetilsalicílico são exemplos. Podem ter reações adversas, tais como náuseas, dor abdominal, úlcera gástrica e podem causar agravamentos em problemas renais de pacientes idosos, com insuficiência cardíaca, diabéticos, cirróticos, dentre outros. Tem como mecanismo de ação inibidores, enzima cox, impedimento do processo inflamatório e analgésicos.

2. Esteroidais

2.1. Atuam diretamente inibindo a fosfolipase A2, quebrando a cascata de inflamação. São anti-inflamatórios e imunossupressores. Indicados para doenças alérgicas, artrite reumatóide, asma, AVC, doenças infecciosas, transplante renal, entre outros. Também pode possuir efeitos colaterais como estrias, atrofia cutânea epidérmica e dérmica, facilitação de infecções fúngicas, bacterianas e virais, entre outras.

3. Receptores Nucleares

3.1. Os receptores nucleares têm suas funções ativadas pela ligação de uma molécula sinalizadora lipofílica. Através da ligação desta molécula sinalizadora é exercido o controle dos processos transcricionais. Os receptores nucleares são conjuntos de proteínas e fatores de transcrição que foram agrupadas em uma superfamília de receptores, as quais interagem com o DNA. Esta família encontra-se envolvida em diversos aspectos da vida, de maneira essencial para múltiplas funções fisiológicas como homeostase, reprodução, crescimento, diferenciação, morfogênese, apoptose e metabolismo. A família dos receptores nucleares é constituída por receptores de: Hormônios esteróides; Hormônio da tireóide Vitamina D; Ácidos graxos; Prostaglandinas. Os receptores nucleares têm suas funções ativadas pela ligação de uma molécula sinalizadora lipofílica. Através da ligação desta molécula sinalizadora é exercido o controle dos processos transcricionais. A transcrição se inicia quando um ligante se liga ao sítio ativo do receptor que está ligado ao complexo repressor, gerando uma alteração conformacional, provocando a liberação do receptor do complexo repressor, em seguida se associa ao complexo ativador seguindo-se da ligação em regiões do DNA conhecidas como elementos responsivos, iniciando a transdução de sinal.

4. Inibição Enzimática:

4.1. Caracteriza-se por uma queda na velocidade de biotransformação, resultando em efeitos farmacológicos prolongados e maior incidência de efeitos tóxicos do fármaco. Esta inibição em geral é competitiva. Pode ocorrer, por exemplo, entre duas ou mais drogas competindo pelo sítio ativo de uma mesma enzima.

5. Sinais Cardinais

5.1. O edema é causado principalmente pela fase exsudativa e produtiva-reparativa, por causa do aumento de líquido e de células.

5.2. O calor vem da fase vascular, onde há hiperemia arterial (que é o aumento do volume sanguíneo no local) e, consequentemente, aumento da temperatura local.

5.3. O rubor é a vermelhidão, que também decorre da hiperemia.

5.4. Perda de função é decorrente do edema (principalmente em articulações, impedindo a movimentação) e da dor, que dificultam as atividades locais.

6. Inflamações

6.1. Inflamação Crônica: Observa-se a inflamação ativa, a destruição do tecido e a tentativa de reparar os danos, simultaneamente. Ocorre devido a infecções persistentes; exposição prolongada a agentes tóxicos, exógenos ou endógenos; e a auto-imunidade. Observa-se morfologicamente infiltrado de células mononucleares, destruição tecidual e tentativas de cicatrização pela substituição do tecido danificado por tecido conjuntivo. A inflamação granulomatosa é um padrão distinto de reação inflamatória crônica caracterizada pelo acúmulo focal de macrófagos ativados, que geralmente desenvolvem uma aparência epitelióde. Sua origem está relacionada com as reações imunológicas.

6.2. Inflamação aguda: Resposta imediata a um agente nocivo, onde há um recrutamento dos mediadores químicos do hospedeiro ao local da lesão. As alterações vasculares decorrentes da inflamação visam facilitar o movimento de proteínas plasmáticas e células sanguíneas da circulação para o local da lesão ou infecção. As principais alterações são vasodilatação, aumento da permeabilidade da microcirculação, estase e migração leucocitária que alteram o fluxo e o calibre vascular. Eventos celulares também ocorrem para que haja extravasamento de leucócitos e fagocitose do agente nocivo.

7. Sindrome de Cushing:

7.1. Em geral, o diagnóstico geralmente é feito por meio de níveis séricos ou salivares noturnos elevados de cortisol, ou cortisol livre na urina de 24 horas, e um teste de supressão com dexametasona em que o cortisol sérico não suprime. Diferenciam-se causas hipofisárias de não hipofisárias pelos níveis do hormônio adrenocorticotrófico (ACTH). Teste de imagem é então feito para identificar quaisquer tumores causadores. Os tumores geralmente são tratados cirurgicamente ou com radioterapia. Metirapona ou cetoconazol pode ser administrado para suprimir a secreção de cortisol antes do tratamento definitivo.

8. Analgésicos:

8.1. A palavra analgésico, que dizer “sem dor”. Os analgésicos são medicamentos com o objetivo único de tirar a dor. Existem os analgésicos fortes como a morfina, oxicodona e o tramadol, por exemplo. São usados principalmente em ambiente hospitalar, para controlar a dor depois de uma cirurgia, ou a dor do câncer, ou também em emergências de queimados ou acidentados.