O ESPAÇO NÃO-ESCOLAR: PROFISSIONALIZAÇÃO E A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO

O ESPAÇO NÃO-ESCOLAR: PROFISSIONALIZAÇÃO E A FORMAÇÃO DOPEDAGOGO

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
O ESPAÇO NÃO-ESCOLAR: PROFISSIONALIZAÇÃO E A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO por Mind Map: O ESPAÇO NÃO-ESCOLAR: PROFISSIONALIZAÇÃO E A FORMAÇÃO DO  PEDAGOGO

1. Historicamente a formação de pedagogos era uma preparação de profissionais para atuarem dentro da escola com o processo de ensino e aprendizagem.

1.1. Havia a identificação do termo pedagogia com formação de professores para as séries iniciais do ensino fundamental.

1.1.1. Aqui a pedagogia tende a reduzir-se à prática de ensino.

2. A partir de 2005, as Diretrizes Curriculares para o curso de Pedagogia, traz em seu texto o objetivo central para a formação destes profissionais

2.1. O Pedagogo assim formado deverá ser capaz de trabalhar em espaços escolares e não-escolares

2.1.1. O estágio curricular deverá contemplar a experiência de exercício profissional em ambientes escolares e não-escolares

3. A Pedagogia como ciência tem por objeto a educação, uma educação que não está fechada na escola, mas está para além dela.

3.1. Pensar na formação do Pedagogo é refletir sobre uma práxis educativa necessária.

3.1.1. Há uma preocupação com o trabalho pedagógico do Pedagogo em outros espaços que carece de análise.

3.1.1.1. O Pedagogo tem uma função pedagógica, uma especificidade educativa na qual sustenta sua intervenção em quaisquer espaços sem perder seu foco que é a ação educativa.

4. O espaço não-escolar se identifica em outras instituições que diferem em muito da escola.

4.1. A Pedagogia empresarial vai sendo implementada a partir dos objetivos empresarias, neoliberais.

4.2. A Pedagogia hospitalar por vezes atravessa as funções desempenhadas pelo assistente social.

4.3. A Pedagogia social, atuante em ONGs e outros espaços da sociedade civil -penitenciárias e educandários, é rotulada como educação compensatória.

5. A Pedagogia é uma ciência da prática social da educação.

5.1. A educação não se reduz à relação educando-educador no interior de um processo pedagógico intra-escolar.

5.2. As relações ensino-aprendizagem, professor-aluno, teoria-prática; são construídas dia-a-dia, dentro e fora da escola.

5.2.1. Ela se insere no processo social, como parte de um todo mais amplo, onde encontramos a sociedade, seus dinamismos e conflitos.

6. há uma diversidade nos conteúdos disciplinares, bem como uma diversidade no processo de sistematização da formação, por conta da realidade educacional de cada país.

6.1. Encontram-se, no Brasil, vários cursos em nível de especialização (lato-sensu), principalmente na formação de Pedagogos para atuar nas Empresas.

6.1.1. Defende-se a ampliação de empregos.

6.1.1.1. Defende-se ainda a função do Pedagogo atuando não mais no pedagógico, mas aprimorando formas de exclusão principalmente na Empresa.

6.2. Existe a necessidade de se aprofundar os estudos sobre a formação do Pedagogo para atuar em outros espaços.