Os clássicos da sociologia

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Os clássicos da sociologia por Mind Map: Os clássicos da sociologia

1. Karl Max

1.1. Materialismo histórico

1.1.1. Toda a história da humanidade foi baseada em materialismo e em relações materiais.

1.1.2. Relações Econômicas: as relações econômicas geram e alimentam um sistema no qual o capital move o mundo.

1.2. Alienação

1.2.1. A alienação proposta por Marx tratava da teoria de que o trabalhador perdia a consciência sobre o processo produtivo, ou seja, sobre o trabalho.

1.3. Ideologia burguesa

1.3.1. Tal ideologia, na visão marxista, agrava a alienação, pois vê tal processo com extrema normalidade, como se não fosse, de fato, um problema.

1.4. Mais-valia

1.4.1. Se trata de uma diferença que é entre o valor do ganho ou faturamento do burguês em comparação ao valor do salário dos proletários.

1.5. Conceitos

1.5.1. As condições econômicas e a luta de classes são agentes transformadores da sociedade. A classe dominante nunca deseja que a situação mude, pois se encontra em uma posição deveras confortável. Já os desfavorecidos devem lutar por seus direitos, segundo Marx, essa luta move a história. Marx cria que o triunfo do proletariado faria surgir uma sociedade sem classes, o que seria alcançado pela união da classe trabalhadora organizada em torno de um partido revolucionário.

1.5.2. Capitalismo: governo da burguesia. Socialismo: ditadura do proletariado. Comunismo: ausência do Estado.

1.6. Luta de Classes

1.6.1. Fenômeno social de tensão entre grupos; nesse caso os grupos seriam a burguesia e o proletariado.

1.7. O capital

1.7.1. Obra famosa escrita por Marx; nela, o autor faz duras críticas ao capitalismo, expõe a história do movimento operário e encerra com um apelo pela união dos operários no mundo todo.

2. Max Webber

2.1. Indivíduo

2.1.1. Weber acreditava que o indivíduo transformava a sociedade através da ação social.

2.2. Ação social

2.2.1. Tipos de Ação Social, segundo Weber:

2.2.2. • Afetiva a conduta é movida por sentimentos, como vingança, paixão, etc;

2.2.3. • Tradicional tem como fonte motivadora os costumes ou hábitos arraigados;

2.2.4. • Racional com relação a fins na qual a ação é estritamente racional; seleciona-se um fim e age em prol dele racionalmente;

2.2.5. • Racial com relação a valores - não é o fim que orienta a ação, mas sim os valores, sejam eles éticos, religiosos, políticos, estéticos, etc.

2.3. Tipos ideais

2.3.1. Metodologia de estudo.

2.3.2. Elementos relevantes de uma sociedade.

2.3.3. Escolha através de estatísticas e influência histórica.

2.4. Estado

2.4.1. Detentor do monopólio do uso legítimo da força.

2.5. Política

2.5.1. Luta por poder dentro do Estado.

2.6. Poder

2.6.1. Capacidade de exercer sua própria vontade em uma relação social.

2.7. Domínio

2.7.1. A capacidade de mandar e ser obedecido, sob qualquer circunstância.

2.7.2. Dominação legítima: se caracteriza por se estabelecer de forma carismática (convencendo uma pessoa ou grupo a ser dominado), é tradicional, ou seja, considera posições sociais, e é racional-legal.

2.8. A ética protestante

2.8.1. Religião, política e economia se misturam

2.8.2. Há ligação entre o protestantismo e a expansão do capitalismo.

3. Augusto Comte

3.1. Quem foi

3.1.1. Fundador, "pai" do positivismo.

3.1.2. O homem que formulou a Lei dos Três Estados.

3.2. Positivismo

3.2.1. Corrente teórica derivada do cientificismo.

3.2.2. Positivismo: acreditava-se no poder da mente humana em conhecer a realidade e pensar nas questões sociais através das metodologias das ciências naturais.

3.2.3. O positivismo acompanhou e estimulou a organização técnico industrial da sociedade moderna e fez uma exaltação otimista do industrialismo. Nesse sentido, pode-se compreendê-lo como produto da sociedade técnico-industrial que, ao mesmo tempo, leva essa mesma sociedade a desenvolver-se e consolidar-se.

3.3. Lei dos três estados

3.3.1. Teológico: fenômenos ocorrem pela ação dos deuses.

3.3.2. Metafísico: razão filosófica, busca explicações sobre origem e destino através do universo, da física, etc.

3.3.3. Positivo: caracteriza-se pela observação baseada em fatos e não busca resposta nos fenômenos naturais para estabelecer as leis.

3.4. Teoria da ordem e progresso

3.4.1. "O amor por princípio, a ordem por base e o progresso por fim".

3.4.2. Este era o lema de Comte sobre o positivismo. Tal lema inspirou a frase da bandeira do Brasil em um período no qual a monarquia foi derrubada e instaurou-se uma república.

3.4.3. Ser positivista significa amar, conhecer e servir a pátria, a família e a humanidade.

4. Émile Durkheim

4.1. Durkheim

4.1.1. Considerado um dos pais da sociologia, Durkheim fundou a sociologia moderna.

4.2. Fato social

4.2.1. É um conjunto de maneiras de pensar, agir e sentir; essas maneiras são exteriores ao indivíduo.

4.2.2. Princípios para a análise dos fatos sociais:

4.2.3. Coercitividade - os indivíduos são pressionados a seguir determinados conceitos e normas estabelecidos.

4.2.4. Exterioridade - tudo aquilo que é externo ao indivíduo, mas que continuará a existir independentemente de sua vontade.

4.2.5. Generalidade - está presente em grupos, como, por exemplo, as leis da sociedade.

4.2.6. Fatos sociais normais: não ultrapassam limites normais de uma sociedade, como, por exemplo, o pagamento de impostos.

4.2.7. Fatos sociais patológicos: rompe com os limites do que pode ser tolerado em uma sociedade, é inaceitável, como, por exemplo, uma chacina.

4.3. Método funcionalista

4.3.1. A sociedade é como um organismo vivo e cada órgão cumpre a sua função.

4.3.2. Os fatos sociais existem em função da sociedade como um todo.

4.3.3. Cada instituição (família, Estado, igreja, etc) cumpre uma função específica para o equilíbrio da sociedade.

4.4. Anomia social

4.4.1. Ausência de normas, regras e limites, o que leva a um comprometimento da coesão social, do funcionamento regular da sociedade.

4.4.2. A anomia social ocorre, por exemplo, em sociedades que enfrentam guerras civis, processos revolucionários e graves crises econômicas, dentre outros.

4.5. Consciência coletiva

4.5.1. Princípios sociais são passados através das gerações, sendo eles informais (hábitos e costumes) ou informais (leis e regras); esses princípios compõem a consciência coletiva.