PROTOZOOSES

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
PROTOZOOSES por Mind Map: PROTOZOOSES

1. Amebíase

1.1. O que é?

1.1.1. Infecção parasitária do cólon causada pela ameba Entamoeba histolytica.

1.2. Transmissão

1.2.1. Ela é disseminada pela ingestão de alimentos crus, como frutas, que podem ter sido lavados com água local contaminada.

1.3. Sintomas

1.3.1. Diarreia;

1.3.2. Presença de sangue ou muco nas fezes;

1.3.3. Dor abdominal;

1.3.4. Cólicas;

1.3.5. Perda de peso sem causa aparente;

1.3.6. Cansaço excessivo;

1.3.7. Mal estar geral;

1.3.8. Aumento da produção de gases.

1.4. Ciclo de vida: Seu ciclo evolutivo é monoxeno, ou seja, a Entamoeba histolytica completa seu ciclo em apenas um hospedeiro, e o modo de infecção é fecal-oral, ou seja, o homem se infecta ao ingerir cistos presentes na água ou nos alimentos contaminados

1.5. Etapas do ciclo de vida:

1.5.1. 1. O cisto, após ser ingerido, passa ileso pela acidez do estômago, e muda para a forma trofozoíta ao chegar nos intestinos. Quando alcançam o cólon, os trofozoítas se aderem a sua parede e passam a colonizá-la

1.5.2. 2. Quando alcançam o cólon, os trofozoítas se aderem a sua parede e passam a colonizá-la.

1.5.2.1. Obs: Na maioria dos casos a Entamoeba histolytica tem um comportamento comensal, isto é, vive em harmonia com o hospedeiro, alimentando-se de nossos alimentos e não produzindo sintomas

1.5.3. 3. Os trofozoítas se multiplicam no cólon de forma binária e voltam a formar cistos, que são eliminados nas fezes

1.5.4. 4. O paciente contaminado elimina a Entamoeba histolytica em forma de cistos e trofozoítas, mas apenas os primeiros são capazes de sobreviver no ambiente. Mesmo que outro indivíduo venha a ingerir a forma trofozoíta, esta não é capaz de provocar doença, pois é destruída pela acidez estomacal. Portanto, apenas os cistos de Entamoeba histolytica são capazes de provocar doença.

2. Leishmaniose

2.1. O que é?

2.1.1. Leishmaniose é um tipo de doença infecciosa causada por um protozoário do gênero leishmania, considerado um parasita.

2.2. Transmissão

2.2.1. Sua transmissão se dá por meio da picada do mosquito-palha e essa condição é considerada majoritariamente tropical, sendo mais comum em países de clima quente e úmido, como certas regiões do Brasil.

2.3. Tipos e sintomas de cada uma:

2.3.1. A leishmaniose visceral também é conhecida como calazar. Esse tipo de leishmaniose afeta os órgãos das vísceras, como o baço e o fígado, além da medula óssea. Os sintomas da leishmaniose visceral incluem febre, tosse, dor abdominal, anemia, perda de peso, diarreia, fraqueza, aumento do fígado e do baço, além de inchaço nos linfonodos.

2.3.2. A leishmaniose cutânea também é chamada de ferida brava, ou de leishmaniose tegumentar, e causa feridas na pele, que podem evoluir para feridas nas mucosas, como a boca e o nariz. As feridas causadas pela leishmaniose tegumentar são avermelhadas, ovaladas e com bordas delimitadas. A leishmaniose tegumentar é a forma mais comum da doença, sendo que, dependendo do tipo, ela pode se curar de forma espontânea.

2.4. Ciclo de vida da Leishmania:

2.4.1. 1. A leishmaniose é transmitida pela picada de flebotomíneas infectadas. Ao se alimentarem de sangue, as flebotomíneas injetam promastigotas metacíclicos (o estágio infeccioso) de sua probóscide.

2.4.2. 2. Os promastigotas são fagocitados pelos macrófagos e outras células mononucleares fagocíticas.

2.4.3. 3. Nessas células, os promastigotas se transformam em amastigotas (o estágio tecidual).

2.4.4. 4. Os amastigotas se multiplicam por divisão simples e infectam outras células fagocíticas mononucleares.

2.4.5. 5–6. Ao se alimentarem do sangue de um hospedeiro infectado, as flebotomíneas são infectadas pela ingestão de macrófagos infectados por amastigotas.

2.4.6. 7. No intestino médio das flebotomíneas, os amastigotas se transformam em promastigotas.

2.4.7. 8. Aí, se multiplicam, se desenvolvem e migram para a probóscide.

3. Doença de Chagas

3.1. O que é?

3.1.1. Doença infecciosa causada por um parasita encontrado nas fezes do inseto barbeiro.

3.2. Sintomas

3.2.1. Febre

3.2.2. Mal-estar

3.2.3. Inflamação e dor nos gânglios

3.2.4. Inchaço nos olhos;

3.2.5. Vermelhidão pelo corpo

3.2.6. Aumento do fígado e do baço

3.3. Transmissão

3.3.1. Existem 4 modos principais de transmissão

3.3.1.1. Transmissão cíclica

3.3.1.2. Transfusão sanguínea

3.3.1.3. Transmissão por via oral

3.3.1.4. A transmissão vertical

3.3.2. A transmissão ocorre quando a pessoa coça o local da picada e as fezes eliminadas pelo barbeiro penetram pelo orifício que ali deixou. Pode ocorrer também por transfusão de sangue contaminado e durante a gravidez, da mãe para filho. Já foram registrados casos de doença de chagas transmitida pela via oral, em pacientes que tomaram caldo de cana ou açaí que havia sido contaminado pelas fezes do Barbeiro. Isso é mais comum nas zonas onde a doença de chagas é endêmica.

3.4. Existem 4 modos principais de transmissão

4. Malária

4.1. O que é e de que forma é Transmitida?

4.1.1. A malária é uma doença infecciosa transmitida através da picada da fêmea do mosquito Anopheles infectada pelo protozoário do gênero Plasmodium, sendo as espécies mais frequentes no Brasil o Plasmodium vivax e o Plasmodium malariae.

4.2. Principais Sintomas:

4.2.1. Febre, que pode surgir e desaparecer em ciclos

4.2.2. Suores e calafrios

4.2.3. Dor de cabeça forte

4.2.4. Náuseas e vômitos

4.2.5. Dor muscular em todo o corpo

4.2.6. Fraqueza e cansaço constante

4.2.7. Pele e olho amarelados

4.3. Ciclo de Transmissão:

4.3.1. 1. Uma pessoa contamina-se quando uma fêmea do mosquito infectada pica o ser humano e injeta o protozoário na forma de esporozoíto.

4.3.2. 2. Os esporozoítos seguem em direção ao fígado, onde infectam os hepatócitos.

4.3.3. 3. Os esporozoítos originam merozoítos, que rompem os hepatócitos e infectam as hemácias.

4.3.4. 4. Cada merozoíto infecta uma hemácia. Nesse local eles sofrem modificações e formam os trofozoítos, os quais dão origem a novos merozoítos, que rompem as hemácias e infectam outras

4.3.5. 5. Nas hemácias podem desenvolver-se também formas sexuadas chamadas de gametócitos, importantes na continuação desse ciclo, uma vez que são ingeridos por um mosquito caso o doente seja picado.