Análise perceptivo-auditiva de vozes rugosas e soprosas: correspondência entre as escalas visua...

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Análise perceptivo-auditiva de vozes rugosas e soprosas: correspondência entre as escalas visual analógica e numérica por Mind Map: Análise perceptivo-auditiva de vozes rugosas  e soprosas: correspondência entre as escalas  visual analógica e numérica

1. A avaliação perceptivo-auditiva é o principal procedimento de avaliação vocal utilizado na prática clínica pelo fonoaudiólogo.

1.1. Caracteriza a qualidade vocal, apontando o parâmetro vocal desviado e o grau de desvio vocal, e de inferir sobre seu impacto social

1.2. Caráter essencialmente perceptivo, o que a torna sujeita a erros e variações.

1.2.1. Minimizar as variações decorrentes da subjetividade é um desafio para a melhoria da avaliação perceptivo-auditiva, portanto, Foram criadas e validadas escalas de avaliação:escalas numérica e visual analógica

1.2.1.1. Escalas mais utilizadas são a CAPE-V (Consensus Auditory-Perceptual Evaluation of Voice)

1.2.1.2. GRBAS (overall dysphonia Grade, Roughness, Breathiness, Asthenia, and Strain)

1.2.1.3. Escalas contínuas (visuais analógicas) apresentam melhores índices de concordância do que escalas numéricas e geralmente são ancoradas por descrições qualitativas do grau de desvio vocal.

2. Necessidade de correlação entre as escalas para uma melhor interpretação das avaliações perceptivo-auditivas.

2.1. Foi possível estabelecer os valores de corte para os diferentes graus de rugosidade e soprosidade na escala visual analógica a partir da escala numérica

2.1.1. Valores de corte encontrados: 8,5 mm para a presença em grau leve de ambos os parâmetros avaliados

2.1.2. 28,5 mm para a presença em grau moderado na rugosidade

2.1.3. 33,5 mm na soprosidade, 59,5 mm para o grau intenso na rugosidade e 52,5 mm para o mesmo grau na soprosidade

2.1.4. Os diferentes graus de presença dos parâmetros avaliados ocorrem em valores próximos, definindo-se uma graduação semelhante para a rugosidade e a soprosidade

3. Entre os parâmetros vocais específcos mais encontrados nos indivíduos disfônicos estão a rugosidade, a soprosidade e a tensão.

3.1. Em 1996, estudos já apontavam a soprosidade e a rugosidade como duas características identificadas claramente na avaliação perceptivo-auditiva.

3.2. O trabalho aborda a presença/ausência da rugosidade e da soprosidade por serem os parâmetros vocais mais recorrentes entre os indivíduos disfônicos

3.2.1. Tem como objetivo determinar os valores de corte dos diferentes graus de rugosidade e soprosidade vocal em uma escala visual analógica, a partir de uma escala numérica

3.2.1.1. Critérios de inclusão: gravações de indivíduos maiores de 18 anos, julgamento de qualidade vocal (rugosa ou soprosa) e diferença máxima de 10 milímetros (mm) na opinião de, no mínimo, três juízes.