Compreender as necessidades nutricionais no processo metabólico

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Compreender as necessidades nutricionais no processo metabólico por Mind Map: Compreender as necessidades nutricionais no processo metabólico

1. Definir o metabolismo e seus processos

1.1. Metabolismo

1.1.1. Conjunto de reações bioquímicas que controla a síntese e a degradação de substâncias no nosso organismo.

1.1.1.1. Taxa metabólica basal

1.1.1.1.1. O mínimo de energia necessária para manter as funções do organismo, varia conforme a idade, sexo e outros fatores.

1.2. Catabolismo

1.2.1. Conjunto de reações envolvidas na degradação ou quebra de moléculas complexas em moléculas menores. Esse processo geralmente fornece energia para o organismo. Exotérmica. Ex: respiração

1.2.1.1. Aeróbico

1.2.1.1.1. Acontece na presença de oxigênio, produz mais energia.

1.2.1.2. Anaerobico

1.2.1.2.1. Acontece na ausência de oxigênio, o corpo não consegue manter por muito tempo.

1.3. Anabolismo

1.3.1. Processo que constrói moléculas complexas a partir de moléculas simples, consumindo energia para isso. Endotérmica. Ex: sínteses do organismo

2. Conceituar as carências nutricionais

2.1. Desnutrição

2.1.1. Ingestão ou absorção inadequada de nutrientes necessários para satisfazer as necessidades energéticas para o funcionamento normal do corpo ou de crescimento do organismo, no caso das crianças. Primeiro grau: 10% a 20% de perda do peso considerado padrão para a faixa etária. Segundo grau: 25% a 40% de perda. Terceiro grau: perda igual ou superior a 40% do peso padrão.

2.1.1.1. Pode levar ao surgimento de doenças, como anemia, na falta de ferro, hipotireoidismo, na deficiência de iodo ou xeroftalmia, na redução de vitamina A, por exemplo.

2.1.2. Marasmo

2.1.2.1. Atrofia progressiva dos órgãos e magreza excessiva.

2.1.3. Kwashiorkor

2.1.3.1. Severa deficiência proteica.

2.1.4. Inanição

2.1.4.1. É caracterizada pela ausência total de consumo alimentar.

2.2. Anemia

2.2.1. Redução na quantidade de hemoglobina, um pigmento presente nas células vermelhas capaz de carregar o oxigênio pelo organismo, no sangue circulante.

2.2.1.1. Anemia ferroprivia

2.2.1.1.1. Tipo de anemia decorrente da privação, deficiência, de ferro dentro do organismo levando à uma diminuição da produção, tamanho e teor de hemoglobina dos glóbulos vermelhos, hemácias.

2.2.1.2. Anemia perniciosa

2.2.1.2.1. Neste tipo de anemia o corpo não produz uma substância chamada “fator intrínseco” em quantidade suficiente. Trata-se de uma proteína que se liga à vitamina B12, permitindo a sua absorção no intestino delgado. Causada também por dieta inadequada.

2.3. Hipovitaminoses

2.3.1. Acontece quando existe a falta de uma ou mais vitaminas no organismo, sendo quase sempre causada por uma dieta muito restrita e pobre em alguns alimentos, como por exemplo os produtos de origem animal.

2.3.1.1. Vitamina C

2.3.1.1.1. Escorbuto - desencadeada pela grave deficiência dessa vitamina, provocando manifestações hemorrágicas.

2.3.1.2. Vitamina D

2.3.1.2.1. Metabolismo ósseo e absorção de cálcio

2.3.1.3. Vitamina A

2.3.1.3.1. Xeroftalmia e cegueira noturna.

2.3.1.4. Cálcio

2.3.1.4.1. A deficiência de cálcio no organismo está principalmente ligada a osteoporose.

2.3.1.5. Iodo

2.3.1.5.1. Bócio - aumento no tamanho da tireoide causado por deficiência de iodo.

2.4. Hipervitaminose

2.4.1. Ocorre quando existe uma condição de armazenamento de altos níveis de vitaminas, que podem levar a sintomas tóxicos.

2.4.1.1. Vitamina A

2.4.1.1.1. Queda de cabelo, lábios rachados, pele seca, enfraquecimento dos ossos, dores de cabeça, elevações dos níveis de cálcio no sangue

2.4.1.2. Vitamina D

2.4.1.2.1. Níveis tão elevados de cálcio no sangue que os ossos e tecidos moles (como coração e rins) podem ser seriamente danificados, sofrendo calcificação.

2.5. Obesidade

2.5.1. É o excesso de gordura corporal, em quantidade que determine prejuízos à saúde. Uma pessoa é considerada obesa quando seu Índice de Massa Corporal (IMC) é maior ou igual a 30 kg/m2

2.5.1.1. IMC entre 25,0 e 29,9 Kg/m2: sobrepeso; IMC entre 30,0 e 34,9 Kg/m2: obesidade grau I; IMC entre 35,0 e 39,9 Kg/m2: obesidade grau II; IMC maior do que 40,0 Kg/m2: obesidade grau III.

3. Caracterizar os macro/micronutrientes, suas funções e necessidades

3.1. Macronutrientes

3.1.1. Carboidratos

3.1.1.1. Os carboidratos, também chamados hidratos de carbono, glicídeos ou sacarídeos, são moléculas formadas por compostos orgânicos como carbono, hidrogênio e oxigênio. Sua principal função é proporcionar energia rapidamente ao organismo

3.1.1.1.1. Carboidratos simples

3.1.1.1.2. Carboidratos Complexos

3.1.2. Proteínas

3.1.2.1. A proteína é a mais importante das macromoléculas biológicas, compondo mais da metade do peso seco de uma célula. Ela é um polímero de aminoácidos que pode atuar como: enzimas catalizadoras função motoras participam na regulação gênica estão no sistema imunológico entre outras centenas de funções.

3.1.2.1.1. Aminoacidos essenciais

3.1.2.1.2. Aminoácidos não essenciais

3.1.3. Gorduras

3.1.3.1. Gorduras são nutrientes importantes para o nosso organismo. Elas participam ativamente da produção de hormônios sexuais, além de serem fontes de energia para o corpo e ajudarem a manter a temperatura corporal.

3.1.3.1.1. Gorduras Saturadas

3.1.3.1.2. Gorduras insaturadas

3.1.3.1.3. Gorduras Trans

3.1.4. Água

3.1.4.1. Solvente universal, compõe 70% da massa corporal de um adulto. Essencial para reações químicas do organismo, na síntese, transporte, facilita o transito intestinal, elimina toxinas. Sua quantidade é variável conforme a idade, sexo e outros fatores. Possui alta capacidade térmica, promovendo estabilidade térmica para o organismo.

3.2. Micronutrientes

3.2.1. Vitaminas

3.2.1.1. Vitaminas são compostos orgânicos e nutrientes essenciais de que o organismo necessita em pequenas quantidades para o normal funcionamento do seu metabolismo. Hidrossoluveis: todas as vitaminas do complexo B e a vitamina C Lipossoluveis: vitaminas A, D, E e K

3.2.2. Minerais

3.2.2.1. Macrominerais

3.2.2.1.1. Necessidade diária é maior. Suas funções principais estão ligadas à estrutura e formação dos ossos, regulação dos fluidos corporais e secreções digestivas. Exemplos: sódio, potássio, cálcio, fósforo e magnésio.

3.2.2.2. Microminerais

3.2.2.2.1. Microminerais (ou oligoelementos): necessidade diária menor. As funções destes minerais estão relacionadas a reações bioquímicas, ao sistema imunológico e ação antioxidante. Exemplos: ferro, cobre, fluoreto, manganês e zinco.

3.3. Fibras

3.3.1. Não são consideradas nutrientes porque não são absorvidas pelo organismo mas são essenciais para o bom funcionamento do organismo. Ajudam a controlar o colesterol e a glicemia e na formação do bolo fecal. Promovem a sensação de plenitude pós-prandial. Ex: folhas, cereais integrais, frutas, leguminosas.

4. Conhecer o funcionamento da pirâmide alimentar e sua importância

4.1. É composta por oito grupos que relacionam-se com quatro níveis com a função de promover o bem-estar nutricional da população, servindo como um guia para a boa alimentação com alimentos e porções indispensáveis para o dia a dia. Média de 2000 calorias por dia.

4.1.1. Alimentação saudável - Variedade, moderação e equilíbrio.

4.1.2. Alimentos energéticos: grupo 1 (carboidratos)

4.1.3. Alimentos reguladores: grupo 2 (verduras e legumes) e grupo 3 (frutas)

4.1.4. Alimentos construtores: grupo 4 (leites e derivados), grupo 5 (carnes e ovos) e grupo 6 (leguminosas e oleaginosas)

4.1.5. Alimentos energéticos extras: grupo 7 (óleos e gorduras) e grupo 8 (açúcares e doces).

5. Estudar o conceito de IMC e sua relação com o consumo alimentar inadequado

5.1. IMC

5.1.1. O IMC é a relação entre peso e altura e o cálculo é feito de acordo com a fórmula: IMC = peso/ (altura x altura), devendo o peso estar em kg e a altura em metro, e o resultado é dado em kg/m2.

5.1.2. Não se aplica a atletas e pessoas muito musculosas, idosos, durante a gravidez ou em casos de edema.

5.1.3. Bioimpedância - mede a quantidade de gordura e musculo do corpo através de uma passagem de corrente elétrica.

5.1.4. Valores para crianças não são padrões.