Romantismo no Brasil

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Romantismo no Brasil por Mind Map: Romantismo no Brasil

1. Primeira geração romântica (1836 a 1852): nacionalista, indianista e religiosa. Segunda geração romântica (1853 a 1869): egocentrismo exacerbado e pessimismo. Terceira geração romântica (1870 a 1880): cunho social e libertário.

2. Chamada de “Geração Condoreira”, a terceira geração romântica é caracterizada pela poesia libertária e social. Esse período está associado ao condor, águia da cordilheira dos Andes, com o intuito de revelar sua mais importante característica: a liberdade. Essa geração sofreu grande influência do escritor francês Victor-Marie Hugo (1802-1885), daí ser conhecida também como geração “Hugoana”. O grande foco dos escritores desse momento, foi os problemas sociais e também o abolicionismo.

3. A primeira geração romântica no Brasil teve como principais características o nacionalismo e o indianismo. Os temas mais explorados pelos escritores desse momento são: natureza, sentimentalismo, religiosidade, ufanismo e nacionalismo.

4. No Brasil, os principais escritores da 2° geração foram: Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu, Fagundes Varela, Junqueira Freire. Álvares de Azevedo (1831-1852) foi um dos principais escritores desse momento, com uma obra focada na tristeza e na morte, tais como: Lira dos vinte anos (1853), Noite na taverna (1855) e Macário (1855). Casimiro de Abreu (1839-1860) explorou temas como a saudade da infância e a tristeza. Durante sua vida, publicou somente uma obra, seu livro de poesias As primaveras (1859).

5. No Brasil, os principais representantes da terceira fase romântica foram: Castro Alves, Tobias Barreto e Sousândrade. Castro Alves (1847-1871), fundador da poesia social, ficou conhecido com o “poeta dos escravos”, pois abordou temas abolicionistas. Sua obra mais relevante do momento é O Navio Negreiro (1869).

6. Os principais escritores da primeira fase do romantismo foram: Gonçalves Dias, Gonçalves de Magalhães, José de Alencar. Gonçalves de Magalhães (1811-1882) foi fundador do romantismo no Brasil e autor das obras: Suspiros poéticos e saudades (1836), A Confederação de Tamoios (1857) e Os Indígenas do Brasil perante a História (1860). José de Alencar (1829-1877) escreveu diversos romances indianistas, regionalistas e históricos com destaque para as obras: O Guarani (1857), Iracema (1865) e Ubirajara (1874).

7. O principal fato histórico que permeia o Romantismo no Brasil é a chegada da Família Real portuguesa, em 1808. Nesse período, o país deixou oficialmente de ser uma colônia de exploração e passou a ser a sede do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves. Com isso, uma série de modernizações começou a ocorrer no país. Algumas das principais delas são: criação da imprensa brasileira; construção do Museu Nacional (incendiado em 2018); fundação do Banco do Brasil; decreto de abertura dos portos às nações amigas; criação do Ministério da Marinha, das Relações Exteriores e do Tesouro Nacional, assim como a fundação da Casa de Suplicação do Brasil (atual Supremo Tribunal da Justiça).

8. Conhecida como a geração do “Mal do Século” ou “Ultrarromântica”, a segunda geração romântica foi profundamente influenciada pela poesia do inglês George Gordon Byron, (1788-1824). Por isso, é muitas vezes chamada de geração “Byroniana”. Marcada por aspectos negativos, a poesia desse período romântico é permeada dos temas: egocentrismo, negativismo, pessimismo, dúvida, desilusão, boêmia, exaltação da morte e fuga da realidade.

9. Chamada de “Geração Condoreira”, a terceira geração romântica é caracterizada pela poesia libertária e social. Esse período está associado ao condor, águia da cordilheira dos Andes, com o intuito de revelar sua mais importante característica: a liberdade. Essa geração sofreu grande influência do escritor francês Victor-Marie Hugo (1802-1885), daí ser conhecida também como geração “Hugoana”. O grande foco dos escritores desse momento, foi os problemas sociais e também o abolicionismo.