Uma revolução no pensamento

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Uma revolução no pensamento por Mind Map: Uma revolução no pensamento

1. E com base no método experimental funda-se a autonomia da ciência sua independência em relação a outras formas de saber

2. O fundamento que distingue a ciência moderna é o método.Isso quer dizer que atráves do experimento os ciência sua independência em relação a outras formas de saber

3. O que é dessacratização?

3.1. As convicções de que a realidade pode ser conhecida e de que os fenômenos podem ser explicados pela razão humana e pela ciência determinam valores que reforçam o antropocentrismo

3.2. O corpo é assim dessacralizado isto é assim como a natureza também passa a ser visto como objeto de investigação e de dominação científica

4. O humanismo renascentista

4.1. Propõe uma nova forma de de pensamento e de comportamento

4.2. Desperta maior senso crítico na observação e interpretação dos fenômenos naturais ao em vez de regá-los á interpretação de uma autoridade

5. A revolução científica

5.1. Ela é considerada o movimento de ideias científico-filosóficas

5.2. Ocorreu no período compreendido entre a revolução astronômica provocada pela publicação da obra de Nicolau Copérnico em 1543 no final do séc XVII com a obra e a física de isaac Newton em 1687

5.3. Nova visão do mundo

5.3.1. Surgimento de novas ideias sobre o ser humano sobre conhecimento a ciência e as relações que essa nova visão estabelece entre ciência e sociedade entre ciência e Filosofia e entre saber científico e fé religiosa

6. A ciência é experimental

7. A separação humano e natureza

7.1. Os primeiros povos explicavam os fenômenos inexplicáveis da natureza através de deuses que habitavam as rochas as plantas e o céu: era época dos mitos diante dos quais eles experimentavam aos mesmo tempo o temor e a admiração

7.2. Na Grécia Antiga surgiram novas formas de explicação para os cosmos e a natureza pelos pensadores pré-socráticos que inauguram uma nova forma de conhecer a natureza ao romper com o conhecimento mítico e dar os primeiros passos em direção ao pensamento racional

7.3. Já os pensadores clássicos avançam com o pensamento racional

7.4. Platão trouxe uma nova concepção de realidade com mundo das ideias opostos ao mundo sensível

7.5. Aristóteles retoma os estudos da natureza sensível elaborando leis sobre o universo

7.6. No mundo medieval sobressai o teocentrismo

7.7. Com o renascimento surge o antropocentrismo o ser humano se coloca no centro do universo determinando seu poder sobre a natureza

7.8. Na concepção moderna natureza vista como objetivo de contemplação humana

8. Empirismo e racionalismo

8.1. A construção de uma nova ciência exige não só um método mas também uma nova Filosofia

8.2. empirismo é uma teoria do conhecimento que afirma que o conhecimento sobre o mundo vem apenas da experiência sensorial.

8.3. O racionalismo é a corrente filosófica que iniciou com a definição do raciocínio como uma operação mental, discursiva e lógica que usa uma ou mais proposições para extrair conclusões

9. Francis Bacon e o utilitarismo de conhecimento

9.1. Bacon destaca a ciência e os benefícios que ela poderia trazer as pessoas.

9.2. Com seu argumento de que "A verdade é filha do tempo e não da autoridade"

9.3. Bacon criticava formas anteriores de conhecimento e métodos em especial a escolástica

9.4. Ele relata uma sociedade técnica dotada de um conhecimento prático e intelectual demonstrado de que forma a técnica e a ciência poderiam contribuir para melhoria da vida de toda a humanidade enfatizando assim o caráter utilitário do conhecimento

10. René Descartes:A descoberta da subjetividade

10.1. Para Descartes, o pensamento é o lugar da verdade, é o puro intelecto, e é por meio dele que adquirimos ideias claras e distintas. Se duvido, eu penso; se penso, eu existo. Descartes elabora a teoria de que o sujeito é dividido em matéria e espírito, alma e corpo e sua atividade fundamental é o pensamento

11. Blaise Pascal: A solidão dos espaços infinitos

11.1. A visão sacralizada de mundo dos antigos protegidos pelos mitos e pelos deuses cede lugar a uma dessacralizada da vida

11.2. O universo infinito revelado pela ciência demonstra a grandeza do universo e ao mesmo tempo a consciência da insignificância do ser humano diante dele provocando pensamentos angustiantes como estes de Blaise Pascal filósofo do séc VXII

12. David Hume: O hábito como guia da vida humana

12.1. O hábito no empirismo humano é um princípio que opera sobre a imaginação, que contribui para entender os objetos conforme eles surgem na mente humana para formar ideias vivas e intensas. Portanto, o hábito auxiliará a mente com relação às concepções ao que se pode esperar do futuro

12.2. o fundamento de nossas expectativas não está na razão, mas, sim, no hábito, no costume, na repetição. Em consequência, toda ciência é apenas resultado de indução, não havendo conhecimento certo e definitivo, de modo que a única certeza que podemos ter é a probabilidade.

12.3. Quando observamos algo repetidamente temos a tendência a acreditar que esse algo vai acontecer sempre, essa tendência torna-se um hábito.

13. Immanuel Kant: O despertar do sono dogmático

13.1. Dogmático é aquele que aceita, sem exame e sem crítica, afirmações sobre as coisas e sobre as idéias. ... Hume despertou a metafísica do sono dogmático, porque a forçou a indagar sobre sua própria validade e sua pretensão ao conhecimento verdadeiro.