Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
PROFINET por Mind Map: PROFINET

1. Panorama da Tecnologia Profinet

1.1. Organização

1.1.1. Associação Profibus e a Profibus Internacional

1.1.1.1. Associação Regional

1.1.1.2. Competence Centers

1.1.1.3. Laboratórios De Testes

1.1.1.4. Centros de Treinamento

1.2. História

1.2.1. Contabilização de nós instalados

1.2.1.1. 40% de aumento de nós instalados em 2008

1.2.1.2. 2.1 Mio de nós colocam a PROFINET na liderança das rede industriais baseadas em Ethernet

1.2.1.3. Crescimento maior que PROFIBUS (comparado com o crescimento do na introdução da tecnologia)

1.2.2. Importantes conquistas

1.2.2.1. Em 2004 a AIDA (consorcio formado pelas quatro maiores montadoras Alemãs) anunciou a adoção e suporte do PROFINET como o padrão de rede industrial a ser adotado.

1.3. Tecnologia

1.3.1. Performance

1.3.2. Segurança

1.3.3. Diagnósticos

1.3.4. Proteção de investimento

1.4. Suporte

1.4.1. Informação e suporte

1.4.2. Ferramentas de desenvolvimento

1.4.3. Desenvolvimento de HW e SW

1.4.4. Arquivo GSD

1.4.5. Documentação

1.4.6. Aplicação

1.5. Outlook

1.5.1. Integração com outros padrões de Fieldbus

1.5.2. Time sync / time stamping

1.5.3. Scalable Redundancy

1.5.4. Configuration in Run (CiR)

2. Tecnologia Profinet

2.1. Descrição Geral

2.1.1. Áreas de aplicação

2.1.1.1. Comunicação padronizada com baixos tempos de reação

2.1.1.2. PROFINET IO (RT)

2.1.1.2.1. Classes de dispositivos

2.1.1.3. PROFINET IO (IRT)

2.1.1.4. PROFINET CBA

2.2. Conceitos básicos

2.2.1. Desafios para determinismo e tempo real

2.2.1.1. Evitar colisões

2.2.1.1.1. Half Duplex e atraso na propagação do sinal

2.2.1.1.2. Full Duplex

2.2.1.2. Confiabilidade (qualidade) do sinal

2.2.1.2.1. Interpreta o telegrama e passa apenas os válidos (Store & Forward)

2.2.1.2.2. Regenera o nível do sinal

2.2.1.2.3. Lance de 100m entre equipamentos para cabo de cobre, 26 km para fibra ótica

2.2.1.2.4. Cabo de cobre e fibra ótica podem ser intercalados livremente

2.2.1.2.5. Sem maiores restrições quanto ao número de repetidores que podem ser intercalados

2.2.1.2.6. Pode ser incorporado equipamentos finais (IO Controller, IO Device, Supervisor)

2.2.1.3. Evitar perda de desempenho com tráfego (alheio)

2.2.1.3.1. Direciona o telegrama de entrada apenas para a porta de destino

2.2.1.3.2. Proporciona comunicações em paralelo

2.2.1.3.3. Ordenamento de fila: vários telegramas para um mesmo destino

2.2.1.3.4. Switch recebe a todos e empilha tarefas

2.2.1.3.5. Sinais de alta prioridade são levados em conta primeiro

2.2.1.3.6. Para modo IRT, tem apoio de ERTEC

2.2.1.4. Implantação dentro das camadas Ethernet

2.2.1.4.1. Modelo ISO / OSI

2.2.1.4.2. Profibus

2.2.1.4.3. Ethernet

2.2.1.4.4. Profinet

2.2.1.4.5. Canal padrão TCP/IP e UDP/IP

2.2.1.4.6. Canal tempo real RT

2.2.1.4.7. Canal tempo real IRT

2.3. Funções Avançadas

2.3.1. Endereçamento automático

2.3.2. Inicialização rápida

2.3.3. Docking station

2.3.4. I Device

2.3.5. Shared Device

2.3.6. PROFIdrive

2.3.7. PROFIsafe

2.3.8. PROFIenergy

2.3.9. Redundância

2.4. Engenharia

2.4.1. Topologia

2.4.1.1. Todas as topologias podem ser utilizadas

2.4.1.1.1. A estrutura em anel garante alta disponibilidade

2.4.1.1.2. A estrutura em linha minimiza os custos de cabeamento

2.4.1.1.3. Configurações mistas de fibra, cabo e rádio possível

2.4.2. Cabos e Instalação

2.4.2.1. Mantém padrão Ethernet para meio físico

2.4.2.2. Oferece opções robustas para ambiente industrial

2.4.3. Configuração

2.4.3.1. IO-Controller

2.4.3.1.1. IO-Devices

2.4.4. Diagnóstico

2.4.4.1. De dispositivo PROFINET

2.4.4.1.1. Dispositivo

2.4.4.1.2. Slot

2.4.4.1.3. Canal

2.4.4.2. Open Network

2.4.4.2.1. SNMP

2.4.4.2.2. Web