ANTIBACTERIANOS

Mapa mental- farmacologia- antibacterianos

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
ANTIBACTERIANOS por Mind Map: ANTIBACTERIANOS

1. Inibidores da síntese da parede celular bacteriana

1.1. Beta-lactâmicos

1.1.1. Possuem em seu núcleo estrutural, o anel betalactâmico, o qual confere atividade bactericida. É a classe mais utilizada na clínica. São os beta-lactâmicos:

1.1.1.1. Penicilinas

1.1.1.2. Cefalosporinas

1.1.1.3. Cefamicinas

1.1.1.4. Carbapenêmicos

1.1.1.5. Monobactâmicos

1.1.1.6. Clavulanato

1.1.2. Exemplos: amoxicilina, oxacilina, ampicilina.

1.1.3. Mecanismo de ação: inibem a parede celular bacteriana

1.1.4. Reações adversas importantes: urticária, pele avermelhada, coceira, inchaço de mucosas

1.1.5. Mecanismo de resistência: alteração do sítio de ligação, alteração da permeabilidade da membrana externa bacteriana e degradação da droga através de b-lactamases

2. Inibidores da síntese de proteína

2.1. Tetraciclinas

2.1.1. Exemplos: doxicilina, eravaciclina, minociclina

2.1.2. Mecanismo de ação: se ligam a um sítio na subunidade 30S do ribossomo bacteriano, impedindo a ligação do aminoacil-t-RNA no sítio A do ribossomo bacteriano, a adição de aminoácidos e, consequentemente impedindo a síntese proteica.

2.1.3. É um grupo de antibióticos naturais ou semissintéticos, usados no tratamento de um amplo espectro de bactérias gram negativas e gram positivas.

2.1.4. Reações adversas importantes: alterações da pele, descoloração dentária e hipoplasia do esmalte. Efeitos gastrintestinais como vômitos e diarreia.

2.1.5. Mecanismo de resistência: Efluxo do medidamento e proteção ribossomal

3. Inibidores da biossíntese de ácidos nucléicos

3.1. Quinolonas

3.1.1. Exemplos: ciprofloxacina, norfloxacina, levofloxacina, ofloxacina

3.1.2. Mecanismo de ação: inibem a síntese do DNA bacteriano, ocasionando morte da bactéria.

3.1.3. Existem as quinolonas de primeira, segunda, terceira e quarta geração, incluem o ácido nalixídico e ácido piromídico

3.1.4. Reações adversas importantes: podem ocorrer náuseas, diarreias, alergias e reações cutâneas, artralgia e tendinite. Ações no SNC incluem cefaleia, tontura, insônia e alterações do humor.

3.1.5. Mecanismo de resistência: Alteração na enzima DNA-girase, que torna-se resistente a ação do fármaco.

4. Metabolismo do ácido fólico e membrana celular

4.1. Sulfonamidas

4.1.1. Exemplos: Mafenide, sulfacetamida, sulfadiazina, sulfametizol

4.1.2. Mecanismo de ação: Inibidoras competitivas da enzima bacteriana sintetase de dihidroperoato. A enzima catalisa uma reação necessária à síntese de ácido fólico, necessário para a síntese de precursores de DNA e RNA nas bactérias.

4.1.3. São bacteriostáticos, derivados da sulfanilamida, que têm estrutura similar à do ácido para-aminobenzóico.

4.1.4. Reações adversas importantes: prurido, rubor, reações de fotossensibilidade, , dermatite esfoliativa, eritema nodoso

4.1.5. Mecanismo de resistência: Alteração da permeabilidade da parede celular regulada por expressão gênica, com efeito final de permitir a entrada de FAH2 pré formado para o meio intra-celular; aumento da produção enzimática; e aumento da produção de metabólito essencial.