PCN (Ensino fundamental)

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
PCN (Ensino fundamental) por Mind Map: PCN (Ensino fundamental)

1. ( RESUMO DAS TENDÊNCIAS) PEDAGOGICAS) Em nome da vertente mais tecnicista, esportivista e biologicista surgem novas abordagem na educação física escolar a partir do final da década de 70, inspirando no momento hiistorico social pelo qualificada o pais, nas novas tendências da educação de uma maneira geral, além de questões especificas da propia educação física.

2. (EDUCAÇÃO FISICA E OS TEMAS TRANSVERSAIS) ÉTICA O desenvolvimento moral do indivíduo, que resulta das relações entre a afetividade e a racionalidade. SAÚDE As relações que se estabelecem entre o tema transversal Saúde e a Educação Física. VALORES E CONCEITO Em síntese, os conceitos e valores sobre as práticas corporais são divulgados dando mais ênfase aos produtos da prática e menos aos processos. PROCEDIMENTOS Principalmente nas zonas urbanas, as atuais condições socioeconômicas, como o desemprego crescente, a informatização e automatização do trabalho, a urbanização descontrolada e o consumismo. PLURALIDADE CULTURAL A Educação Física permite que se vivenciem diferentes práticas corporais advindas das mais diversas manifestações culturais. MEIO AMBIENTE As interseções da Educação Física com este tema transversal, no que diz respeito ao cuidado de si mesmo como um elemento integrante do meio ambiente e à responsabilidade social decorrente, estão diretamente vinculadas aos aspectos desenvolvidos no item Saúde. ORIENTAÇÃO SEXUAL As práticas da cultura corporal de movimento se caracterizam, entre outros aspectos, por serem espaços de produção simbólica, de linguagens por meio das quais o homem se relaciona e se comunica com o outro e com sua própria cultura. TRABALHO E CONSUMO Mais uma vez busca-se apontar para a necessidade de estimular no aluno a reflexão crítica sobre as relações que envolvem o consumo.

3. O que são os parâmetros curriculares nacionais?

3.1. E uma coleção de documentos que compõem uma série curricular de uma instituição educativa.

4. Princípios que norteiam a educação física no ensino fundamental.

4.1. Principio da inclusão: PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM E AVALIÇAÃO TEM COMO META A INCLUSÃO DO ALUNO NA CULTURA CORPORAL DE MOVIMENTO, POR MEIO DA PARTICIPAÇÃO E REFLEXÃO CONCRETA E EFETIVA.

4.2. Principio da diversidade: APLICA-SE NA COSTRUÇÃO DOS PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM E ORIENTA A ESCOLHA DE OBJETIVOS E CONTEUDOS, VISANDO A AMPLIAR AS RELAÇÕES ENTRE OS CONHECIMENTOS DA CULTURA CORPORAL DE MOVIMENTO E OS SUJEITOS DA APRENDIZAGEM.

5. Resumo das abordagem pedagógicas.

5.1. Abordagem psicomotora: A psicomotricidade é o primeiro movimento mais articulado que aparece a partir da década de 70 em contraposição aos modelos anteriores. Nele, o envolvimento da Educação Física é com o desenvolvimento da criança, com o ato de aprender, com os processos cognitivos, afetivos e psicomotores, ou seja, buscando garantir a formação integral do aluno. Abordagem construtivista: Na perspectiva construtivista, a intenção é a construção do conhecimento a partir da interação do sujeito com o mundo, e para cada criança a construção desse conhecimento exige elaboração, ou seja, uma ação sobre o mundo. Abordagem desenvolvimentista: A abordagem desenvolvimentista é dirigida especificamente para a faixa etária até 14 anos e busca nos processos de aprendizagem e desenvolvimento uma fundamentação para a Educação Física escolar. Abordagens críticas: As abordagens críticas passaram a questionar o caráter alienante da Educação Física na escola, propondo um modelo de superação das contradições e injustiças sociais. Assim, uma Educação Física crítica estaria atrelada às transformações sociais, econômicas e políticas, tendo em vista a superação das desigualdades sociais.

6. Educação física e a cultura corporal de movimentos.

6.1. A cultura é o conjunto de códigos simbólicos reconhecíveis pelo grupo, e é por intermédio os códigos que o indivíduo é formado desde o nascimento. Durante a infância, por esses mesmos códigos, aprende os valores do grupo; por eles é mais tarde dependente nas obrigações da vida adulta, da maneira como cada grupo social as concebe. os conceitos de corpo e movimento. fundamentos de seu trabalho. aos seus aspectos fisiológicos e técnicos. No entanto, é necessário superar a ênfase na aptidão física para o rendimento padronizado2, decorrente deste conceitual referencial, e caracterizar a Educação Física de forma mais abrangente, incluindo todas as dimensões do ser humano envolvido em cada prática corporal.

7. Educação física e a cidadania.

7.1. A concepção de cultura corporal de movimento amplia a contribuição da Educação Física escolar para o pleno exercício da cidadania, na medida em que, tomando seus conteúdos e recursos que se propõe a desenvolver como produtos socioculturais, afirma como direito de todos o acesso e a participação nenhum processo de aprendizagem. Favorece, com isso, uma modificação do histórico da área, que aponta para um processo de ensino e aprendizagem centrado no desempenho físico e técnico, levando em muitos momentos numa seleção entre os aptos e adaptados para as práticas da cultura corporal de movimento. No âmbito da Educação Física, os conhecimentos construídos devem possibilitar a análise crítica dos valores sociais, como os padrões de beleza e saúde, desempenho, competição exacerbada, que se tornem dominantes na sociedade,

8. O que ensinar? O principal instrumento que os Parâmetros Curriculares Nacionais trazem nesta direção é a abordagem dos conteúdos escolares em procedimentos, conceitos e atitudes. Apontam para uma valorização dos procedimentos sem restringi-los ao universo das habilidades motoras e dos fundamentos dos esportes, incluindo procedimentos de organização, sistematização de informações, aperfeiçoamento, entre outros.

9. Pra quem ensinar? É fundamental que não se percam de vista a duração e a complexidade dessa interação, pois da mesma forma que os objetos de ensino transformam os sujeitos da aprendizagem, são, ao mesmo tempo, por eles transformados.

10. AUTOMATISMO E ATENÇÃO No ser humano constata-se uma tendência para a automatização do controle na execução de movimentos, desde os mais básicos e simples até os mais sofisticados. Essa tendência para a automatização é favorável aos processos de aprendizagem das práticas da cultura corporal de movimento desde que compreendida como uma função dinâmica, mutável, como parte integrante e não como meta final do processo de aprendizagem.

11. PORTADORES DE NECESSIDADE ESPECIAIS. É fundamental, entretanto, que alguns cuidados sejam tomados. Em primeiro lugar, deve-se analisar o tipo de necessidade especial que esse aluno tem, pois existem diferentes tipos e graus de limitações, que requerem procedimentos específicos.

12. AVALIAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL. A avaliação diagnóstica ou inicial fornecerá os dados para a elaboração de um projeto de desenvolvimento dos conteúdos, a partir da consideração dos conhecimentos prévios do aluno. A avaliação formativa ou concomitante é aquela que, como o nome sugere, ocorre junto ao processo de ensino e aprendizagem, fornecendo dados importantes para o ajustamento das ações educativas, possibilitando a tomada de decisões quanto à continuidade do programado ou da necessidade de alterações. Poderá, além disso, tornarse em si um objeto de ensino, pois dela derivam as reflexões sobre os valores e conceitos envolvidos e sobre a validade do próprio instrumento. A avaliação final ou somativa se refere aos instrumentos que pretendem avaliar o final de um processo de aquisição de um conteúdo. Poderá ser utilizada enquanto momento de formalização do processo e deverá expressar para o aluno o nível atingido dentro dos objetivos de aprendizagem propostos.