Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Leptospirose por Mind Map: Leptospirose

1. LEPTOSPIRÚRIA-> Eliminação de urina por toda vida do animal depois de infectado pela leptospira

2. As leptospiras são bactérias aeróbicas obrigatórias, helicoidais, flexíveis e móveis

3. Patogenia

3.1. Penetram através das mucosas nasais, orais ou conjuntivais, da pele lesada ou após contato prolongado com a água.

3.1.1. Atingem a corrente sanguínea

3.1.1.1. Alcançam todos os órgãos e tecidos do organismo

3.1.1.2. Destaca-se que a melhor opção é a prevenção que pode ser feita por meio da vacinação. As doses devem ser aplicadas regularmente a cada 6 meses seguindo o cronograma de vacinação do pet.

3.1.1.3. Olhos

3.1.1.4. Fígado

3.1.1.5. Rim

3.1.1.6. Baço

3.1.1.7. Sistema nervoso central

3.1.1.8. Trato genital

4. Epidemiologia

4.1. São zoonoses capazes de afetar animais domésticos e selvagens

4.2. Transmissão

4.2.1. O principal reservatório é o Rato

4.2.1.1. Por ser rato, a transmissão ocorre no mundo inteiro; Não tem limite geográfico

4.2.2. VIAS DE TRANSMISSÃO

4.2.2.1. VIA DIRETA

4.2.2.1.1. contato direto com urina, contato venéreo, ingestão de tecidos, mordeduras, água e alimentos contaminados.

4.2.2.2. VIA INDIRETA

4.2.2.2.1. contato com a água ou solo contaminados com a urina dos roedores.

4.2.2.2.2. Possuem alta sobrevivência em água doce e solo úmido

5. Etiologia

5.1. Ordem Spirochaetales; Família Leptospiraceae; Gênero Leptospira

5.2. Sorotipo prevalente no Brasil é o icterohaemorrhagiae

6. Tratamento

6.1. O tratamento da leptospirose em cães varia de acordo com o estágio da doença, mas pode incluir medidas terapêuticas, como a administração de antibiótico para cães para combater a bactéria. Em alguns casos, quando o animal apresenta desidratação, o especialista pode optar pela aplicação de fluidos intravenosos para ajudá-lo na recuperação.

7. Sintomas

7.1. Prostação

7.2. Febre

7.3. Perda de apetite

7.4. Vômito

7.5. Icterícia (coloração amarelada das mucosas, pele e branco do olho).

8. Migração Celular

8.1. Célula do Sistema imune-Leucócitos

8.1.1. Fisiológica- Órgãos linfóides

8.2. Onde ocorre: Vênula (característica fluxo, pressão, etc...)

8.2.1. EVENTOS: Rolamento-> adeão -> transmigração

8.2.1.1. Selectinas/Integrinas

8.2.1.2. HEV

9. Inflamação

9.1. Crônica

9.1.1. Natureza do agente agressor

9.1.1.1. Doenças imunes e infecções crônicas- Presença de células- Epitelioides e células Multinucleadas gigantes.

9.1.1.2. Granulomatosa

9.1.1.3. Inespecifica

9.1.1.3.1. Não sugere o agente agressor. Não há predominância de um tipo celular

9.2. Especifica

9.3. Atuação da célula de DEFESA

9.3.1. Linfócitos

9.3.2. Plasmócitos

9.3.3. Macrófagos

9.4. Longa duração-Semanas/Anos

9.5. Aguda

9.6. Defesa

9.6.1. principalmente- Neutrófilos

9.7. Curta duração

9.8. Inespecífica

10. Leucócitos

10.1. Agranulócitos

10.1.1. Linfócitos

10.1.2. Monócitos

10.2. Granulócitos

10.2.1. Eosinófilos

10.2.2. Basófilos

10.2.3. Neutrófilos