Wellinton Caixeta Maciel : sobre o uso de tornozeleira eletrônica

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Wellinton Caixeta Maciel : sobre o uso de tornozeleira eletrônica por Mind Map: Wellinton Caixeta Maciel : sobre o uso de tornozeleira eletrônica

1. Mais de 60k de monitorados por tornozeleira

1.1. Quem são essas pessoas?

1.2. Por que o Estado quer controle sobre esses corpos?

2. A política de monitoração

2.1. Hoje todos estados tem unidade de monitoração e aplicação de tornozeleiras

3. Etnógrafo pioneiro sobre tornozeleira eletrônica em casos maria da pena, e alternativa penal

4. Alternativa é referida como um escape daqueles de bom advogado das prisões normais por medida cautelas

4.1. A ânsia punitivista vai sendo mudada de acordo com quem vai ser aplicada

4.2. A tornozeleira estigmatiza, machuca, incide sobre corpos.

5. Estudo da monitoração por comparação usando case brasileiro e francês.

5.1. A escolha pelo caso francês é por similaridade jurídica, mas ainda sim grandes contrastes

5.2. Na França há um sistema que monitora pessoas específicas: árabes, afrodescendentes e não franceses

6. Três pontos principais que justificam seu uso

6.1. 10x menos gasto que encarceramento

6.2. Redução de danos ( evita mais problemas como a ingressão na escola do crime)

6.3. Relação social mais capaz

7. Metodologia etnográfica

7.1. Acompanhou a rotina de atendimento dos monitorados na França indo nas casas retirar ou instalar tornozeleiras

8. O uso no Brasil

8.1. No brasil o perfil varia, vai de socialites, políticos e empresários à pessoas negras, pobres

8.2. Há casos complicados de monitorar, como pessoas em situação de rua, é impossível ela se manter no cumprimento, a própria medida se revela discriminatória

9. Experiência de convergência e divergência na França e Brasil sobre uso de tornozeleira

9.1. Justificativa forjada de medida alternativa

9.2. Gerando estigmatização e continuidade entre prisão real e virtual

9.3. Aqui não assume como pena, na França sim

10. Monitoração é recurso tecnológico em sociedade de vigilância como pressuposto de interesse por desculpa de segurança, poder – esquizofrenia: disputa por condução e desdobramentos dos dados dessa política.