A prática da Psicologia da Saúde (2011) - Raquel Almeida & Lucia Malagris

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
A prática da Psicologia da Saúde (2011) - Raquel Almeida & Lucia Malagris por Mind Map: A prática da Psicologia da Saúde (2011) - Raquel Almeida & Lucia Malagris

1. Psicologia da saúde enquanto um campo de saber novo (década de 70)

1.1. está associado tanto a inserção nas instituições de saúde quanto na expansão do que se entende pelo processo de saúde-doença

1.2. foco na interface comportamento-saúde, comportamento-doença, mas também em eventos de vida e suas relações com saúde-doença e subjetividade (como envelhecimento)

2. Não está associada a SITUAÇÃO de saúde ou de doença EM SI

2.1. diz respeito mais em como a saúde ou a doença interagem na vida subjetiva e como as sujeitas se relacionam a partir desse estado com o mundo/comunidade/sociedade

2.1.1. proporcionar às pessoas que integrem em seus projetos de vida comportamentos em prol da própria saúde / lidar com o adoecimento

2.1.1.1. Nesse sentido, a psicologia da saúde está envolvida diretamente na promoção de qualidade de vida e bem-estar

3. Se distingue de uma psicologia clínica também por estar diretamente associada aos aspectos FÍSICOS do processo saúde-doença

4. início histórico (nos EUA) enquanto um grupo de trabalho da Associação Americana de Psicologia (APA) no ano de 1970

4.1. 1982: primeiro periódico de Psicologia da Saúde da APA

4.2. 1986: Criação da Sociedade Europeia de Psicologia da Saúde

5. O início da Psicologia da Saúde também esbarra em outras aproximações de campos de saberes que buscam entender essa interface dos estudos da subjetividade com os processos de saúde e doença

5.1. Assim é possível notar que nos estudos de psicologia da saúde, se confundem também em outras epistemologias/campos de saberes, como a medicina somática, a medicina comportamental e psicologia hospitalar

5.1.1. Mesmo que possuam aproximações nítidas, tratam-se de diferentes campos de estudo com suas próprias intencionalidades práticas e teóricas

6. A Medicina Somática é o estudo das doenças psíquicas que derivam em impactos biológicos, é uma área intrinsecamente relacionada às práticas psicanalistícas

6.1. A Psicologia Médica é a prática profissional associada aos estudos da Psicossomática, integrando os estudos das relações humanas no trato assistencial médico

7. A Medicina Comportamental, também originária da década de 70 nasce de uma ruptura do modelo clássico biomédico, propondo a necessidade de estudos de comportamento que estão associados a adoecimentos (ditos comportamentos disfuncionais)

8. A Psicologia Hospitalar é um campo de saber direcionado ao tratamento das questões afetivo-emocionais relativas ao adoecimneto

8.1. No Brasil, o termo é entendido quase exclusivamente como aquela psicologia praticada nos contextos hospitalares

8.2. Segundo a definição técnica do CFP, a Psicologia Hospitalar é toda aquela praticada nos níveis secundários e terciários de atenção à saúde, realizando o acompanhamento às situações de intervenção médica visando a promoção de saúde física ou mental ou a sua recuperação

9. A atuação do psicólogo da saúde hoje está amadurecendo junto ao próprio campo, inserindo-se nos mais diversos dipositivos de saúde em seus diferentes níveis de atuação

9.1. A especialidade hospitalar é ainda uma das grandes áreas de atuação no contexto brasileiro

10. A psicologia hospitalar presta serviços às implicações psicológicas do adoecimento (Simonetti, 2004)

10.1. A subjetividade das sujeitas em seu adoecimento podem ser as próprias desencadeadoras do adoecimento,agravantes, consequência, mantenedoras, ou reparadoras do adoecimento

11. No hospital não é possível pensar em uma psicológica hegemônica, feita em consultório, o que leva à necessidade de criar novas formas mais integradas à lógica de funcionamento do hospital, seja em um atendimento mais ampliado feito nas enfermarias, seja como porta voz de pacientes em situações críticas como na UTI

12. O psicólogo hospitalar está sempre atuando com três grandes esferas, o paciente, os profissionais de saúde, e a família/comunidade