Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
ECONOMIA CAFEEIRA por Mind Map: ECONOMIA CAFEEIRA

1. Chegada do café ao Brasil

1.1. O café chegou no norte do Brasil, mais exatamente em Belém, no ano de1727.

1.1.1. Foi trazido da Guiana Francesa para o Brasil pelo Sargento-Mor Francisco de Mello Palheta atendendo o pedido do governador do Maranhão e Grão Pará

1.1.2. Já naquela época o café possuía grande valor comercial.

2. Localidades da expansão

2.1. A região das atividades cafeeira foi o litoral do Rio de Janeiro.

2.2. Alastrou-se, com a vinda da Corte portuguesa para o Brasil, pelo Vale do Paraíba fluminense e paulista.

2.3. No vale, o café utilizou a estrutura anteriormente usada no cultivo do açúcar, e utilizou uma considerável mão de obra escrava.

3. Tipo de cultura e mão-de-obra

3.1. A cultura mais apreciada no momento era de fato o café, bem como a mão de obra escrava.

4. Roças

4.1. A roça eram lavouras extensas, e era administrada pelos donos de terras.

4.2. Mulheres também faziam parte desta rotina de trabalho, dentro de suas habilidades, como colheitas.

4.2.1. Cada funcionário era incumbido de determinadas responsabilidades. Um grupo arava a terra, outros plantava, e outros faziam as mudas, outros faziam as colheitas, e por fim era feito o carregamento em sacas.

5. Exportação

5.1. A exportação era feita através de embarcações mercantes.

5.2. No Brasil, as plantações de café, por muito tempo serviu apenas para o consumo doméstico.

5.2.1. No entanto, após o sucesso das produções, levaram o Brasil a começar a exportar sua cultura.

5.2.1.1. Visto que a produção era de grande volume, bem como a mão de obra escrava facilitaria os preços para concorrer externamente.

6. Mão-de-obra assalariada

6.1. Nessa trajetória de evolução, o café, no final do século XIX, representou mais da metade dos ganhos com exportação.

6.2. A adoção da mão-de-obra assalariada, na principal atividade econômica do período, trouxe uma nova dinâmica à nossa economia interna.

7. Sistema de parcerias

7.1. Foi adotado no final da década de 1840, tinha como objetivo encorajar a vinda de imigrantes para o Brasil.

7.2. Essas parcerias eram importantes, pois geravam investimentos, bem como fortalecia as relações com fazendeiros garantido um investimento seguro e rentável.

7.3. Desta forma com propostas para exercer as atividades na cafeicultura, atraia investidores, no caso imigrantes.

8. Desenvolvimento

8.1. O desenvolvimento do café no Segundo Reinado se deu inicialmente nas províncias do Rio de Janeiro e Minas Gerais.

8.1.1. No território brasileiro, as primeiras mudas de café foram trazidas pelo militar luso-brasileiro Francisco de Melo Palheta.

8.1.1.1. Ele contrabandeou a iguaria da Guiana Francesa, no ano de 1727, começo do século XVIII.

8.2. No século XIX, a produção chegou à província de São Paulo, primeiro no vale do Paraíba e, depois, na região denominada Oeste Paulista.

8.3. Logo após as apostas darem certo no ramo, não demorou muito para que em outros lugares fossem ocupados com esta cultura.

8.3.1. O Ciclo do Café durou mais de 100 anos, entre 1800 e 1930, a cafeicultura se manteve como a principal atividade econômica.