TERAPIA FAMILIAR

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
TERAPIA FAMILIAR por Mind Map: TERAPIA FAMILIAR

1. SURGIMENTO

1.1. A teoria recebeu variadas tipologias de influências, a psicanálise, de Freud, por exemplo, estudou e ressaltou as relações familiares, tendo um papel de destaque em muitos casos.

1.2. Em várias de suas obras Freud mencionou a família, nos estudos sobre histeria, resistências externas, fracasso terapêutico e neuroses relacionadas a conflitos familiares.

2. PRIMEIROS AUTORES CENTRAIS

2.1. Adler e sua teoria do desenvolvimento da personalidade

2.2. Sullivan, a doença mental e origem nas relações interpessoais perturbadas

2.3. Frieda Fromm-Reichman e a mãe esquizofrenogênica

2.4. Maxwell-Jones, no final da Segunda Guerra, propôs o movimento das comunidades terapêuticas para reformular a assistência psiquiátrica.

2.5. Pichon-Rivière, família e conceito de bode expiatório

3. ENFOQUE SISTÊMICO x ENFOQUE PSICANALÍTICO

3.1. Enfoque psicanalítico: Essa modalidade de terapia familiar dá foco ao passado, tanto como causa de um sintoma, tanto. como meio de transformá-lo. Segundo Carneiro (1996), os sintomas são vistos como decorrência de experiências passadas que foram recalcadas no inconsciente.

3.1.1. O método utilizado, na maior parte das vezes, é interpretativo.

3.1.2. Assim, se formula a hipótese de um aparelho psíquico familiar a partir de um aparelho psíquico grupal

3.1.3. a família compõem-se de membros que têm, em grupo, formas típicas de funcionamento psíquico inconsciente que se diferenciam do funcionamento de cada membro.

3.2. Enfoque sistêmico: Este trabalha considerando a comunicação e o comportamento verbal e não-verbal, com emissores e receptores. A família é vista como um sistema equilibrado e o que mantém este equilíbrio são as regras do funcionamento familiar. A terapia desenvolvida de acordo com esses pressupostos enfatiza a mudança no sistema familiar, com enfoque em uma comunicação de qualidade.

3.2.1. ESCOLAS

3.2.1.1. Escola Estratégica

3.2.1.1.1. expressa sobre a família e a luta por poder, o sintoma é uma expressão metafórica dos problemas, para mudanças os padrões interacionais devem mudar, assim como o comportamento dos pacientes

3.2.1.2. Escola de Milão

3.2.1.2.1. expõe padrões familiares que estão ocorrendo e gerando diversas problemáticas para as pessoas envolvidas, as ações estão rígidas e se tornam dificuldades. Fala-se em valorização de comportamentos positivos e ritual familiar nesta terapia.

3.2.1.3. Escolas Construtivistas

3.2.1.3.1. tem-se os sistemas vivos, são considerados crises, mudanças e sintomas, estes aspectos podem fazer parte da dinâmica familiar encontrada pelos terapeutas. Há o enfoque na construção e no aspecto relacional familiar, a significação dos pacientes serão o recurso principal.

3.2.1.4. Escola Estrutural

3.2.1.4.1. família é um sistema que se define em função dos limites de uma organização hierárquica, cada um possui suas atividades e responsabilidades definindo pelas regras quem fará, o que. Estes aspectos devem ser claros para uma construção saudável, é uma terapia de ação, o sintoma é visto como um recurso do sistema para manter uma determinada estrutura

4. Alunas: Andressa Laurenti - 827.824 Laura Scandiuzzi - 821.059 Laís Passarelli Rodrigues - 827.789