Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Arduino por Mind Map: Arduino

1. Responsável por receber a energia de alimentação externa, que pode ter uma tensão de no mínimo 7 Volts e no máximo 20 Volts e uma corrente mínima de 300mA. Recomendamos 9V, com um pino redondo de 2,1mm e centro positivo. Caso a placa também esteja sendo alimentada pelo cabo USB, ele dará preferência à fonte externa automaticamente.

2. Para que o computador e o microcontrolador conversem, é necessário que exista um chip que traduza as informações vindas de um para o outro. Os LEDs TX e RX acendem quando o Arduino está transmitindo e recebendo dados pela porta serial respectivamente.

3. Conversor Serial-USB e LEDs TX/RX:

4. Pinos que podem ser programados para agirem como entradas ou saídas fazendo com que o Arduino interaja com o meio externo. O UNO R3 possui 14 portas digitais (I/O), 6 pinos de entrada analógica e 6 saídas analógicas (PWM).

5. Conector USB:

6. Conecta a placa ao computador. É por onde o computador e o Arduino se comunicam com o auxílio de um cabo USB, além de ser uma opção de alimentação da placa.

7. Microcontrolador Esse é o cérebro do Arduino. Um computador inteiro dentro de um pequeno chip. Este é o dispositivo programável que roda o código que enviamos à placa. Existem várias opções de marcas e modelos de microcontroladores, mas especificamente a linha ATmega. O modelo UNO, por exemplo, usa o microcontrolador ATmega328.

8. Microprocessador

9. são normalmente chamados de Unidade Central de Processamento ou CPU. Também é considerado o coração e o cérebro de uma máquina computadorizada. Um microprocessador é necessário para executar uma série de tarefas.

10. Microcontrolador é um pequeno computador num único circuito integrado o qual contém um núcleo de processador, memória e periféricos programáveis de entrada e saída. A memória de programação pode ser RAM, NOR flash ou PROM a qual, muitas vezes, é incluída no chip.

11. Microcontrolador

12. Arduino Uno AtMega328

13. Fornecem diversos valores de tensão que podem ser utilizados para energizar os componentes do seu projeto. Devem ser usados com cuidado, para que não sejam forçados a fornecer valores de corrente superiores ao suportado pela placa.

14. Pinos de Alimentação:

15. Pinos de entrada e saída:

16. Botão de Reset: Botão que reinicia a placa.

17. Conector de Alimentação:

18. LED de Alimentação: Indica se a placa está energizada.

19. LED Interno: LED conectado ao pino digital 13.

20. Especificações da placa Arduino Uno: Nesta placa o microcontrolador ATmega328 é utilizado, este dispõem de 32kb de memória flash e 2kb de SRAM. De maneira simples, a memória flash é o local na qual nosso programa será salvo, já a SRAM é a memória na qual nossas variáveis serão salvas. A diferença básica entre esses dois tipos de memória é que a flash não perde seus dados caso o Arduino seja desligado ou reiniciado o mesmo não é válido para a SRAM.

21. O Arduino funciona com 5V em suas saídas digitais. Ou seja, quando ligamos um pino temos 5V e quando desligamos temos 0V. Mas é importante notar que o LED funciona apenas com 2V. Se colocarmos 5V em um LED provavelmente ele irá queimar

22. Led do Arduino

23. Shields são placas que podem ser acopladas sobre a placa Arduino para ampliar suas capacidades e/ou adicionar funcionalidades. Muitos Shields para Arduino são "empilháveis", possibilitando criar módulos de hardware com várias funções diferentes.

24. Shields

25. Quando alimentado na faixa de 4,5 a 35V este shield fornece voltagem de 1,25 a 12V com corrente de pico de 3A

26. Como o Shield é Alimentado

27. O que é um sinal PWM

28. A técnica PWM consegue substituir outras técnicas de controle de potência, como a técnica on-off, modulação por frequência (FM) e até mesmo as técnicas que utilizavam resistores variáveis em série, como citado anteriormente. A técnica PWM é bastante aplicada na eletrônica, principalmente nas fontes chaveadas. Além desta utilização, a técnica PWM também pode ser utilizada no controle de velocidade dos motores, controle de luminosidade, controle de servo motores e em outras aplicações.

29. O Arduino Uno oferece 14 portas digitais que podem ser utilizadas tanto para entrada (input) como para saída (output) e que podem ser utilizadas para comandar 14 dispositivos externos.

30. O Arduino possui um conjunto de pinos destinados a serem utilizados como entradas analógicas e outros pinos que podem ser usados como saídas PWM (Simulam uma saída analógica).

31. Entrada Analógica

32. Entrada Digital