Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
BAUHAUS por Mind Map: BAUHAUS

1. se tornou a escola de principal referência do movimento modernista.

2. A ideia era tornar a Bauhaus uma instituição educacional que atendia o comércio e a indústria e não ser mais um estilo, mas exercer uma influência no design e no mundo. Não haveria mais distinção entre arte e artesanato. O artista deveria atuar social mente e deforma construtiva na sociedade existindo um equilíbrio entre a arte e a técnica.

3. Os móveis da Bauhaus foram fornecidos para serem entregues despojados e seus elementos básicos, componentes fundamentais como mesas ou pernas foram medidos reduzidos a formas geométricas simples.

4. Os designers da Bauhaus queriam criar objetos esteticamente gradáveis, mas também queriam que seus produtos estivessem disponíveis para um grande público.

5. Utilizavam de técnicas industriais modernas, e certos materiais disponíveis, como aço , vidro, madeira compensada e plástico. Tais materiais eram vistos como não convencionais para uso na fabricação de móveis na época, mas facilitavam a produção em massa e promoviam o espírito de praticidade da Bauhaus.

6. A Staatliches-Bauhaus foi fundada em 1919 como uma das iniciativas nacionais da República de Weimar. O governo de centro-esquerda socialista do estado da Turíngia, na cidade conservadora de Weimar, pretendia formar profissionais capazes de aumentar a qualidade e diminuir os preços da fabricação dos produtos, um fim de ampliar o fluxo interno e externo da circulação de mercadorias e com o objetivo de recuperar o setor produtivo e a economia da Alemanha.

7. Durante sua existência enquanto instituição, foi marcada por três fases administrativas. Primeira A de Walter Adolf Gropius, de 1919 a 1928, o qual prometia integrar no ensino todas as áreas práticas e científicas do trabalho artístico, como pintura, escultura, arquitetura e todas as principais vertentes do artesanato. Visava desenvolver modelos para fins industriais, com um retorno aos princípios do trabalho artesanal em conjunção com uma visão de construção de futuro, mas que na prática colocava mesmo o design e a arquitetura a ocupar a posição central, tendo as artes e ofícios gravitando ao redor. Segunda A de Hannes Meyer, de 1928 a 1930, o qual propunha formar profissionais que combinassem ciência, teoria e prática no desenvolvimento de projetos de modelos adaptados às necessidades do povo. Terceira A de Ludwig Mies van der Rohe, de 1930 a 1933, propunha um ensino apolítico com foco principal nas formas de construção arquitetônica e ignora a dimensão social do design. Mas pela natureza da matriz curricular documentada pode-se perceber que a ênfase nas técnicas construtivas não eliminava o espírito colaborativo produtivo característico da escola.