LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO AS MUITAS FACETAS

Letramento digital

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO AS MUITAS FACETAS por Mind Map: LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO AS MUITAS FACETAS

1. 1) O sistema de ciclos que traz uma diluição ou uma preterição de metas e objetivos a serem atingidos gradativamente ao longo do processo de escolarização;

2. Conceito letramento midiático visível ao visível: o protagonismo das crianças letramento midiático ele representa muito mais do que um estímulo a habilidades e conhecimentos críticos para um melhor uso das mídias e compreende que o letramento midiático como uma proposta transformadora na condução a formação de alunos criativos, produtivos e críticos quanto a mídias e as diversas demandas sociais. São diversos os objetos midiáticos que fazem parte do nosso dia a dia, entre eles estão, Redes sociais digitais, games, aplicativos, convergência e dispositivos móveis etc.

2.1. O que é letramento digital? Significa não apenas saber como utilizar as tecnologias digitais, mas entrar em contato com ela de maneira significativa, entendendo seus usos e possibilidades em nossa vida social. Nas escolas o letramento significa apresentar oportunidades para que todas as comunidades possam utilizar as novas tecnologias de informação e comunicação como instrumentos de leitura e escrita que estejam

3. Dois problemas da aprendizagem inicial da escrita nos países de primeiro mundo nos anos 70: o domínio precário de competências de leitura e de escrita necessárias para a participação em práticas sociais letradas e as dificuldades no processo de aprendizagem do sistema de escrita, ou da tecnologia da escrita – são tratados de forma independente.

4. Não há um método para a aprendizagem inicial da língua escrita, há múltiplos métodos, pois a natureza de cada faceta determina certos procedimentos de ensino, além de as características de cada grupo de crianças, e até de cada criança, exigir formas diferenciadas de ação pedagógica. a leitura e a escrita, isto é, fazer uso da leitura e da escrita.

5. Alfabetização Matemática: O artigo selecionado, a educadora destaca a importância de os alunos serem alfabetizados matematicamente. Que na grande maioria, o conteúdo é focado em práticas de leitura, escrita deixando as crianças com atividades restrita a contagem e ao cálculo. Também a o relato da insegurança de ensinar matemática em sala de aula, fato esse, devido a insuficiência de disciplinas no curso de pedagogia com ênfase na aprendizagem da matemática. Segundo o texto, numeralizar uma criança, significa inseri-la em um contexto de práticas sociais do uso do número. A matéria aborda algumas ideias relevante para trabalhar numera mento em sala de aula. Atividades que envolvam quantidade, peso, comprimento, capacidade. Medidas de tempo, horas, sistema monetário entre outros. Atividades essas que são primordiais para o processo de desenvolvimento da matemática e a convivência em sociedade.

6. Letramento informacional: De acordo, com a professora Kelley gasque o letramento informacional, é um termo que surgiu na década de 70 nos Estados unidos. Com o propósito de qualificar as pessoas para lidar de forma segura com a informação. O letramento informacional, está relacionado a três categorias de conhecimento que seria, a busca, o uso e a comunicação da informação, sendo um processo de aprendizagem que deve ocorrer ao longo da vida, possibilitando o aprendizado ativo, independente e contextualizado. Nesse sentido pessoas letradas tem capacidade de tomar melhores decisões por saberem usar e avalia as informações de maneira correta na solução de problemas.

7. O que constitui a reinvenção da alfabetização? A concepção de aprendizagem da língua escrita é mais ampla e multifacetada que apenas a aprendizagem do código, das relações grafofônicas; o que é necessário é que essa faceta recupere a importância fundamental que tem na aprendizagem da língua escrita; sobretudo, que ela seja objeto de ensino direto, explícito, sistemático.

8. concomitante a desinvenção da alfabetização, resultando no que ela denomina como sendo a reinvenção da alfabetização.

9. Tem como objetivo defender a especificidade de cada fenômeno e, ao mesmo tempo, a indissociabilidade desses dois processos – alfabetização e letramento.

10. jovens e adultos mais desfavorecidos revelam precário domínio das competências de leitura e de escrita, mesmo dominando o sistema de escritasagens

11. · A diferença fundamental está no grau de ênfase posta nas relações entre as práticas sociais de leitura e de escrita (letramento) e a aprendizagem do sistema de escrita (alfabetização),

12. Nos países desenvolvidos, ou do Primeiro Mundo, as práticas sociais de leitura e de escrita assumem a natureza de problema relevante no contexto da constatação de que a população, embora alfabetizada, não dominava as habilidades de leitura e de escrita necessárias para uma participação efetiva e competente nas práticas sociais e profissionais que envolvem a língua escrita.

13. Este textos propõe, neste texto, retomar a invenção da palavra e do co

14. No Brasil, os conceitos de alfabetização e letramento se mesclam, se superpõem e, frequentemente, se confundem.

15. Causas para a perda da especificidade do processo de alfabetização:

16. 2) O princípio da progressão continuada;

17. 3) A mudança e o não entendimento conceitual a respeito da aprendizagem da língua escrita que se difundiu no Brasil a partir de meados dos anos de 1980.

18. Não há um método para a aprendizagem inicial da língua escrita, há múltiplos métodos, pois a natureza de cada faceta determina certos procedimentos de ensino, além de as características de cada grupo de crianças, e até de cada criança, exigir formas diferenciadas de ação pedagógica.