Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Eletrônica - 1 por Mind Map: Eletrônica - 1

1. PDF com símbolos (importante) e mas coisas (extra)

1.1. Símbolos da pagina 9 a 19

1.2. Informações extras da 19 ao final

1.3. Link

1.3.1. http://proedu.rnp.br/bitstream/handle/123456789/970/METODOLOGIA%20PARA%20ELABORAÇÃO%20DO%20RELATÓRIO%20TÉCNICO.pdf?sequence=1&isAllowed=y

2. Aula 4

2.1. Diferença de potencial

2.1.1. Calculo

2.1.1.1. Vab = Va - Vb

2.1.2. Exemplo

2.1.2.1. Com uma pilha de 5v o m os valores de Va e Vb podem ser qual quer um, contanto que após o calculo Vab seja 5: 100 - 95 = 5V 10 - 5 = 5V

2.2. Diferença de Pilha para Bateria

2.2.1. Pilha

2.2.1.1. Contém apenas uma célula voltaica (V)

2.2.2. Bateria

2.2.2.1. Contém várias células voltaicas (V)

2.3. Funcionamento

2.3.1. Polos

2.3.1.1. Polo Negativo: Possui um excesso de elétrons Polo Positivo: Possui uma ausência de elétrons

2.3.2. Alimentação

2.3.2.1. Então funciona como uma bomba, empurrando elétrons de um lado (polo negativo) e puxando para o outro (polo positivo), isso alimenta o que tiver no caminho (Exemplo: Uma lampada)

2.4. Obs.:

2.4.1. Qual quer aparelho ou circuito capaz de fornecer tensão elétrica é também chamada de fonte de tensão (ou fonte de alimentação).

2.4.2. A pilha é uma fonte de tensão elétrica continua

3. Aula 5

3.1. ligação de fonte de tensão contínua em série

3.1.1. as tensões das fontes quando são conectadas em série são somadas P1 + P2 + P3 = Pt

3.1.2. Condições

3.1.2.1. 1 - O polo negativo deverá está conectado ao polo positivo da próxima pilha (fonte alimentação) na série

3.1.2.2. 2 - Caso uma das pilhas esteja invertidas, a mesma deverá ser considerada negativa P1 + P2 - P3 = Pt

3.2. Ligação de fontes de tensão contínua em paralela

3.2.1. as tensões das fontes quando são conectadas em paralelas não são somadas.

3.2.2. Vantagem

3.2.2.1. no caso de ligar duas pilhas, levará mais tempo para que elas descarreguem já que foi duplicada a capacidade de corrente da fonte de alimentação

3.2.3. Caso uma das pilhas esteja invertida

3.2.3.1. Teoria - O valor de uma pilha "anularia" o valor da outra.

3.2.3.2. Pratica - Causaria um curto-circuito

3.3. obs.:

3.3.1. Caso o equipamento precise de uma voltagem maior: Ligação em série

3.3.2. Caso o equipamento precise de uma maior duração de tempo: Ligação em paralelo

4. Aula 3

4.1. Múltiplos e submúltiplos

4.1.1. Tabela

4.1.1.1. Tx = Tera Gx = Giga Mx = Mega Kx = Kilo x mx = mili ux = micro nx = nano px = pico

4.1.2. Como funciona

4.1.2.1. Para transforma os valores: seguindo a tabela, de baixo pra cima multiplica por mil (x1.000). seguindo a tabela, de cima pra baixo divide por mil (÷1.000)

5. Aula 6

5.1. Modo gelal

5.1.1. Corrente elétrica é um movimento ordenado de cargas elétricas

5.2. Medição

5.2.1. A intensidade da corrente elétrica é medida através de uma unidade chamada ampère (A)

5.3. Sentido real (Eletrônico) e Sentido convencional da corrente elétrica

5.3.1. Sentido Eletrônico

5.3.1.1. Sai do polo negativo para o polo positivo

5.3.2. Sentido convencional

5.3.2.1. Sai do polo positivo para o polo negativo

5.4. Circuito Aberto e Fechado

5.4.1. Circuito aberto

5.4.1.1. Quando o circuito (chave) está aberto o valor da corrente é igual a zero i = 0 Ou seja, tem corrente elétrica passando, que significa que o circuito está ativo

5.4.2. Circuito fechado

5.4.2.1. Quando o circuito (chave) está fechado o valor da corrente é diferente de zero i ≠ 0 Ou seja, não tem corrente elétrica passando, que significa que o circuito está desativado

5.5. Curto-Circuito

5.5.1. É o nome dado a qualquer circuito cuja resistência seja zero

5.5.2. obs.:

5.5.2.1. Com uma resistência zero a corrente tende a ser infinita.

5.5.2.2. Caso coloque um fio e ligar os dois polos de uma tomada, criará um curto-circuito, isso fará com que o fio esquente e derreta, porque a corrente vai continuar a aumentar e o fio não tem resistência suficiente pra aguentar

6. Aula 2

6.1. Condutores

6.1.1. São materiais que permitem com facilidade a passagem de elétrons

6.1.2. obs.:

6.1.2.1. Quanto mais fácil for a passagem de corrente elétrica, melhor será a condutividade do material

6.2. Isolantes

6.2.1. São materiais que possuem uma resistividade elétrica muito alta, bloqueando a passagem de elétrons

6.2.2. obs.:

6.2.2.1. Quanto mais difícil for a passagem de corrente elétrica, melhor será o isolamento do material

7. Aula 7

7.1. Resistência

7.1.1. A resistência elétrica é a oposição à passagem da corrente elétrica

7.2. Medição

7.2.1. A resistência elétrica é medida em ohm, unidade de medida simbolizada pela letra grega ômega maiúscula (Ω)

7.3. obs.:

7.3.1. Quanto maior o valor da resistência elétrica, maior será sua oposição à passagem de corrente elétrica

8. Cores:

8.1. 00ff74

8.2. eb5f52

8.3. d900ff

8.4. 01fff9

8.5. ffe9a6

8.6. b780ce

9. Letras (Representações)

9.1. R = Resistência Ω = ohm i = corrente elétrica V = volt A = ampère W = watt J = Joule

10. Aula 8

10.1. A lei de Ohm, diz que a intensidade da corrente elétrica que circula pelo condutor é diretamente proporcional à tensão aplicada sobre ele, e inversamente proporcional à resistência do condutor

10.2. Cálculos

10.2.1. V = I * R

10.2.2. I = V / R

10.2.3. R = V / I

11. Aula 10

11.1. Potência elétrica

11.1.1. É a capacidade de transformação de energia elétrica em outro tipo de energia, como calor, movimento ou som

11.2. Medição

11.2.1. A potência é medida em uma unidade chamada watt, representada pela pela ( W )

11.2.2. P = E / t

11.2.3. "E" é a energia transformada e "t" é o tempo gasto na transformação

11.2.4. Cálculos

11.2.4.1. Principal P = V x I

11.2.4.2. Derivada P = R x I²

11.2.4.3. Derivada P = V² / R

11.3. Efeito Joule

11.3.1. É um fenômeno físico que consiste na conversão de energia elétrica em calor

11.4. obs.:

11.4.1. 1w (watt) equivale a 1J (Joule)

11.4.2. Joule, é a unidade de energia por segundos