Termos essenciais da oração

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Termos essenciais da oração por Mind Map: Termos essenciais da oração

1. Os termos essenciais da oração são o sujeito e o predicado. É em torno desses dois elementos que as orações são estruturadas. O elemento a quem se declara algo é denominado sujeito. Na estrutura da oração, o sujeito é o elemento que estabelece a concordância com o verbo.

2. Rita disse que vai chover (sujeito determinado). Disseram que vai chover (sujeito indeterminado). Observe que, no primeiro exemplo, podemos identificar o sujeito (Rita). Por isso, temos um caso de sujeito determinado. Já na segunda frase, sabemos que alguém disse que vai chover, mas não sabemos quem. Os sujeitos simples, compostos ou ocultos são sujeitos determinados.

2.1. Sujeito determinado O sujeito determinado é aquele que pode ser identificado.

3. Sujeito simples Quando o verbo principal de uma frase faz referência a um sujeito de núcleo único, temos um sujeito simples. O núcleo do sujeito é a sua palavra principal e mais importante. É importante referir que um sujeito simples não é necessariamente representado por apenas uma palavra ou por um termo flexionado no singular.

3.1. Exemplos de sujeito simples: Paulo comprou uma bicicleta. Os meninos estão brincando no quintal.

4. Sujeito composto Quando o verbo principal de uma frase faz referência a dois ou mais núcleos do sujeito, temos um sujeito composto. É importante referir que um sujeito composto não necessariamente é um vocábulo no plural. Observe abaixo.

4.1. Exemplos de sujeito composto: Camila e Lorena fizeram os doces da festa. A professora e os alunos ensaiaram para a fest

5. Sujeito indeterminado O sujeito indeterminado é aquele que faz referência a alguém, mas não o identifica. Esse tipo de sujeito geralmente é acompanhado de verbos flexionados na terceira pessoa do plural, ou de verbos flexionados na terceira pessoa do singular, acompanhados da partícula -se.

6. Exemplos de sujeito indeterminado: Esqueceram de trancar a porta. Precisa-se de vendedores. Observe que, no primeiro exemplo, sabemos que alguém esqueceu de trancar a porta, mas não exatamente quem. Já na segunda frase, identificamos que alguém ou algum lugar precisa de vendedores, mas não compreendemos quem ou que lugar.

7. Exemplos de sujeito inexistente: Nevou o dia todo. Faz três anos que estudo nesta escola. Há muita gente na praia. Na minha família houve um caso parecido.

8. Sujeito inexistente (oração sem sujeito) O sujeito inexistente ocorre no que chamamos de oração sem sujeito, e é acompanhado por um verbo impessoal. Os verbos impessoais não são acompanhados por sujeitos e podem indicar: fenômenos da natureza (chover, nevar, fazer frio, fazer calor etc.); tempo decorrido (ser, fazer, etc.) e existência ou acontecimento de algo (haver)

9. Exemplos de sujeito inexistente: Nevou o dia todo. Faz três anos que estudo nesta escola. Há muita gente na praia. Na minha família houve um caso parecido.

10. Sujeito oculto ou sujeito desinencial Também designado de sujeito elíptico, sujeito implícito e sujeito subentendido, o sujeito oculto/desinencial é aquele que não aparece na frase de forma explícita. Podemos dizer que sabemos que ele está ali, mas não conseguimos vê-lo. No entanto, podemos identificá-lo por conta da desinência do verbo da frase. A desinência consiste em elementos do final da palavra que permitem identificar a pessoa verbal à qual ela se refere, compreender se a palavra é masculina ou feminina, singular ou plural, etc. Ao analisarmos a flexão verbal "estamos", por exemplo, observamos o seguinte: -mos: desinência número pessoal indicativa da 1ª pessoa do plural (nós).

10.1. Exemplos de sujeito oculto: Estamos muito orgulhosos de você. Deixei minha chave em casa.