Microbiologia industrial

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Microbiologia industrial por Mind Map: Microbiologia industrial

1. Produtos industriais

1.1. Aminoácidos

1.1.1. Principal produto

1.1.2. Ácido glutâmico é um realçador de sabor do glutamato de sódio

1.1.3. A lisina e a metionina não podem ser sintetizados por animais

1.2. Ácido cítrico

1.2.1. É constituinte de frutas cítricas

1.2.2. Este ácido foi identificado como um produto do metabolismo de fungos

1.3. Enzimas

1.3.1. As amilases são usadas na produção de xaropes a partir do amido de milho

1.3.2. A glicose-isomerase é uma enzima que converte a glicose que a amilase forma a partir do amido em frutose

1.4. Vitaminas

1.4.1. São utilizadas como suplementos alimentares

1.4.2. Os micros-organismo podem fornecer uma fonte de baixo custo de algumas vitaminas

1.4.3. A B2 é produzida por fermentação, principalmente por fungos

1.5. Micro-organismos

1.5.1. S. Cerevisiae

1.5.1.1. É uma levedura do pão

1.5.1.2. São utilizados na preparação de bolos, pão, pizza

1.5.2. Rhizoblum e Bradyrhizoblum

1.5.2.1. Bactéria gram-negativa do solo

1.5.2.2. Tem a função de fixar o nitrogênio

2. Microbiologia como fonte alternativa de energia

2.1. Biomassa

2.1.1. Principal fonte de energia

2.1.2. Matéria orgânica total produzida por organismo vivos

2.2. Bioconversão

2.2.1. Conversão da biomassa em fonte de energia alternativa. Pode contribuir para a redução de descarte de resíduo material

2.3. Metano

2.3.1. Uma das mais importantes fontes de energia

2.3.1.1. Produzida por bioconversão

3. Biocombustíveis

3.1. Etanol

3.1.1. A partir da cana de açúcar

3.1.1.1. Tecnologia bem estabelecida

3.2. A celulose é uma técnica pouca conhecida, o custo é alto pois é produzida através do milho e cana de açúcar

3.2.1. Hemicelulose

3.2.1.1. Digerida por micro-organismos geneticamente modificados

3.3. Álcoois “superiores”

3.3.1. Apresenta vantagens sobre o etanol convencional

3.3.1.1. Baixa absorção de água e alto conteúdo energético

3.4. Algas

3.4.1. Podem crescer em terras improdutivas e não ocupando terras necessárias à agricultura

3.4.2. Maior rentabilidade de energia em comparação a produção de milho

3.5. Hidrogênio

3.5.1. Provável substituto dos combustíveis fósseis

3.5.1.1. Não produz resíduos prejudiciais

3.5.1.1.1. Bactérias ou algas são utilizadas para produzir hidrogênio a partir da fermentação de produtos residuais ou alteração da fotossíntese

4. Micro-organismos alimentos e doenças

4.1. Probióticos

4.1.1. Ingestão de micro-organismos vivos

4.1.2. Benefícios à saúde

4.2. Fermentação

4.2.1. Processo realizado por micro-organismos

4.3. Profilaxia

4.3.1. Grandes diversidades de patógeno

4.3.1.1. Causam intoxicação alimentar

4.4. Forma de evitar a contaminação

4.4.1. Tratamento adequado

4.4.1.1. Lavagem

4.4.1.1.1. Fervura dos alimentos

4.5. Papel dos alimentos

4.5.1. Queijo

4.5.1.1. A proteína do leite que forma o coalho

4.5.1.1.1. Pela ação da bactéria produtora de ácido láctico

4.5.1.2. O crescimento de micro-organismos no queijo é dominado por maturação

4.6. Outro laticínios

4.6.1. O leite comercial é feito por deixar

4.6.1.1. O leite comercial é feito após deixar as bactérias lácticas crescerem no leite desnatado por 12 horas

4.7. Outras fermentações

4.7.1. Os açúcares são fermentados pela levedura em etanol e CO2

4.7.1.1. O CO2 faz com que os pães cresçam

4.8. Bebidas alcoólicas e vinagre

4.8.1. Acetolacter gloconolacter oxidam o etanol presente no vinho em ácido acelico( vinagre)

4.8.1.1. Os carboidratos obtidos de cereais, melados e batatas são fermentados por levedura para a produção de cervejas e destilados

5. Intoxicação alimentar

5.1. Staphylococcus aureus

5.1.1. Bactérias gram positivas

5.1.2. Imóveis e aeróbicas

5.2. Salmonella spp

5.2.1. Bactérias gram negativas

5.2.1.1. 3 tipos de doenças

5.2.1.1.1. Febre tifoide

5.2.1.1.2. Febre entérica

5.2.1.1.3. Salmonela

5.3. Escherichia colo

5.3.1. Bactérias gram negativas em forma de bastonetes

5.3.2. EPEC: causadora de lesões nas micro vilosidades

5.3.2.1. Sem invasão do tecido

5.3.3. ETEC: diarreia aquosa, febre baixa, cólicas abdominais, náuseas

5.3.4. EIEC: invasão as células do epitélio

5.3.4.1. Disenteria aguada, febre, arrepios, dor de cabeças e abdominal, fezes sanguinolenta

5.3.5. EHEC: causa severos danos às células do epitélio intestinal

5.3.5.1. Colite hemorrágica, diarreia sanguinolenta, fortes dores abdominais, vômitos