O QUE É LITERATURA?

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
O QUE É LITERATURA? por Mind Map: O QUE É LITERATURA?

1. Uma narrativa é uma viagem que nos remete ao terrriótio de outro ou de outros, uma maneira, então, de expandir os limites de nossa experiência, tendo acesso a um fragmento de munto que não é o nosso. Reflete uma necessidade muito humana: a de não nos contentarmos em viver uma única vida e, por isso, o desejo de susprender um pouco o transcurso monocórdio da própria existência para ter acesso a outras vidas e outros mundo possíveis, o que produz, por um lado, certo descanso ante a fadiga de viver e, por outro, o acesso a aspectos sutis do humano que até então nos haviam sido alheios. María Teresa Andruetto. Por uma literatura sem adjetivos. (Fátima)

2. Definição do Dicionário da Real Academia Espanhola: "Arte que emplea como medio de expresión una lengua." Fonte: http://lema.rae.es/drae/?val=literatura - Incluído por: Sandra

3. ... "hablar de literatura es compartir una forma de contemplación. Es una manera de dar forma a los pensamientos y emociones excitados por el libro y por los significados que construimos juntos a partir del texto: ese mensaje controlado imaginativamente, que el autor envía y que nosotros interpretamos de cualquier modo que creamos útil o placentero." (Aidan Chambers, in Dime, Fondo de Cultura Económica) - incluído por Sandra

4. "Chamarei de literatura todas as criações de toque poético, ficcional ou dramático, em todos os níveis de uma sociedade, em todos os tipos de cultura, desde o que chamamos folclore, lenda, chiste, até as formas mais complexas e difíceis da produção escrita das grandes civilizações. (...) A literatura aparece claramente como manifestação universal de todos os homens em todos os tempos. Não há povo e não há homem que possa viver sem ela, isto é, sem a possibilidade de entrar em contato com alguma espécie de fabulação. (...) Ora, se ninguém pode passar vinte e quatro horas sem mergulhar no universo de ficção e da poesia, a literatura concebida no sentido amplo a que me referi parece corresponder a uma necessidade universal que precisa ser satisfeita e cuja satisfação constitui um direito. (...) ela (a literatura) é fator indispensável de humanização e, sendo assim, confirma o homem na sua humanidade." (Antonio Candido, in O direito à literatura) - incluído por Sandra

5. Toda obra literária é antes de mais nada uma espécie de objeto construído; e é grande o poder humanizador desta construção, enquanto construção. De fato, quando elaboram uma estrutura, o poeta ou o narrador nos propõem um modelo de coerência, gerado pela força da palavra organizada. Se fosse possível abstrair o sentido e pensar nas palavras como tijolos de uma construção, eu diria que esses tijolos representam um modo de organizar a matéria, e que enquanto organização eles exercem papel ordenador sobre a nossa mente. Quer percebamos claramente ou não, o caráter de coisa organizada da obra literária torna-se um fator que nos deixa mais capazes de ordenar a nossa própria mente e sentimentos; e, em consequência mais capazes de organizar a visão que temos do mundo. Por isso, um poema hermético, de entendimento difícil, sem nenhuma alusão tangível à realidade do espírito ou do mundo, pode funcionar neste sentido, pelo fato de ser um tipo de ordem, sugerindo um modelo de superação do caos. A produção literária tira as palavras do nada e as dispõe como todo articulado, Este é o primeiro nível humanizador, ao contrário do que geralmente se pensa. A organização da palavra comunica-se ao nosso espírito e o leva, primeiro, a se organizar; em seguida, a organizar o mundo. (Antonio Candido, in O direito à literatura) - incluído por Milou

5.1. A literatura, como manifestação artística, tem por finalidade recriar a realidade a partir da visão de determinado autor (o artista), com base em seus sentimentos, seus pontos de vista e suas técnicas narrativas. O que difere a literatura das outras manifestações é a matéria-prima: a palavra que transforma a linguagem utilizada e seus meios de expressão. Porém, não se pode pensar ingenuamente que literatura é um “texto” publicado em um “livro”, porque sabemos que nem todo texto e nem todo livro publicado são de caráter literário. (NICOLA, José de. Literatura Brasileira: das origens aos nossos dias. São Paulo: Scipione, 1998.) - Incluído por Patrícia.

5.1.1. A literatura é pois um sistema vivo de obras, agindo umas sobre as outras e sobre os leitores; e só vive na medida em que estes a vivem, decifrando-a, aceitando-a, deformando-a. A obra não é produto fixo, unívoco ante qualquer público; nem este e passivo, homogêneo, registrando uniformemente o seu efeito. São dois termos que atuam um sobre o outro, e aos quais se junta o autor, termo inicial desse processo de circulação literária, para configurar a realidade da literatura atuando no tempo. (CANDIDO, Antônio. Literatura e sociedade. São Paulo. Editora Nacional, 1973, p.74) - Incluído por Elenice.

6. Os livros introduzem as crianças a uma nova forma de comunicação na qual importa o como e na qual a pessoa se detém para apreciar a textura e a espessura das palavras e das imagens, as formas com que a literatura e as artes plásticas elaboraram a linguagem e as formas visuais para expressar a realidade de um modo artístico. Ou seja, o acesso a uma maneira especificamente humana de ver e sentir o mundo. (Teresa Colomer, in Andar entre livros) - incluído por Milou

6.1. A mãe e o bebê, envoltos na coreografia sensorial, tatil, verbal e musical que os enlaça, enquanto ela o embala com uma tradicional cantiga de ninar e ele se abandona nesse fluxo até cair dormindo, não têm consciência das repercussões desse ritual que os liga à cultura de sua espécie. E o pai que anos depois deixa as ocupações adultas de lado para compartilhar um história com o filho, como um rito de passagem entre o mundo dos sonhos, volta a tornar vigente essa amarradura entre a história particular e a história universal humana escrita em cifra na literatura ( Yolanda Reyes - A casa imaginária / Os alicerces da casa: le na primeira infância?) incluído por Lurdinha

7. A literatura, esse texto a tantas vozes que abriga, expressa e acolhe nossa sede de encantamento, reúne os rastros da ancestral fascinação pelo poder das palavras deixadas pelos que vieram antes e também por nós, como em relevo, para os recém-chegados. ( Yolanda Reyes - A casa imaginária ) incluído por Lurdinha

8. A linguagem literária não é o lugar das verdades, do planejamento, das certezas, mas o contrário; na literatura, a linguagem se abre à incerteza e à interrogação constantes. A literatura põe em crise a linguagem em suas possibilidades de dar conta de nossas certezas e crenças sobre a realidade, e sobre a literatura e à própria linguagem, como parte dessa realidade. Antigas certezas, como a linguagem enquanto instrumento de comunicação, são destruídas pela escrita literária. (Marcela Carranza - "O rinoceronte em sala de aula", Revista Emília) - incluído por Sandra

9. "A definição de literatura fica dependendo da maneira pela qual alguém resolve ler, e não da natureza daquilo que é lido" (Eagleton)-incluído por Luciana.

10. [...] a literatura é uma arte na qual a linguagem resiste e manifesta sua vontade de desvio da norma. María Teresa Andruetto, Por uma literatura sem adjetivos. (Fátima)

11. Alguns tipos de ficção são literatura, outros não; parte da literatura é ficcional. e parte não é; a literatura pode se preocupar consigo mesma no que tange ao aspecto verbal, mas muita retórica elaborada não é literatura. Terry Eagleton. Teoria da literatura. (Fátima)

11.1. A definição de uma literatura como uma escrita altamente valorativa, de que ela não constitui uma entidade estável, resulta do fato de serem notoriamente variáveis os juízos de valor. Terry Eagleton. Teoria da literatura. (Fátima)

11.1.1. [...] a literatura não existe da mesma maneira que os insetos, e que os juízos de valor que a constituem são historicamente variáveis, mas que esses juízos têm, eles próprios, uma estreita relação com as ideologias sociais. Eles se referem, em última análise, não apenas ao gosto particular mas aos pressupostos pelos quais certos grupos sociais exercem e mantém o poder sobre os outros. Terry Eagleton. Teoria da literatura. (Fátima)

12. "A literatura é arte. (...) 'Todas as formas de arte problematizam sua matéria-prima. A música problematiza os sons e os silêncios; a pintura, a cor, a forma, a perspectiva... a literatura problematiza sua matéria-prima, a linguagem. Do contrário, corremos o risco de nos centrar no o quê se conta e esquecer do como se conta. A literatura é um discurso artístico, portanto não pode haver prioridade do conteúdo sobre a forma. Deve haver uma adequação, uma aliança plena, sem a qual o fazer literário desaparece". Marcela Carranza, em O rinoceronte na sala de aula (Sandra)

13. Literatura - impregna de estranheza e distância o familiar e o próximo. Alberto Giordano, citado por Marcela Carranza, em O rinoceronte na sala de aula (Sandra)

14. "Uma literatura infantil transgressora não é outra coisa que uma literatura distante do lugar comum, do estabelecido, do que está posto. Uma literatura em que a linguagem nos surpreende por seu abandono da vida fácil da comunicação. O leitor de literatura não é um "reconhecedor"de sentidos, é um criador, um inventor; alguém que se deixa surpreender pelo imprevisível, pelo inesperado". Marcela Carranza, em O rinoceronte na sala de aula (Sandra)