Tattvabodhah - As 4 Buscas.

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Tattvabodhah - As 4 Buscas. por Mind Map: Tattvabodhah - As 4 Buscas.

1. Mumukshunam

1.1. Artha - Busca por Segurança

1.1.1. Existem 2 etapas na busca de segurança.

1.1.1.1. 1o estágio é uma conquista relativa da minha segurança

1.1.1.1.1. É basicamente tecer um conjunto de relacionamento dentro da soiedade que vao me dar base para a minha individualidade sobreviver. Uma vez que eu conseguiga uma serie de conquistas na sociedade. Dinheiro, família,

1.1.1.2. 2o estágio que é uma profundidade, uma maturidade dessa conquista relativa.

1.1.1.2.1. 2) Eu descubro um novo prazer nao no que eu faço, mas em ser o meu dom. Existe um prazer em ser o dom que foi dado pra mim.

1.1.2. Busca de estoque de possibilidades de prazer

1.1.3. Foi ensinado pra gente um conceito sobre democracia que não é o que a gente não vive hoje. Mudar esse estado então é bom, se se aproximar de algo mais democrático.

1.2. Kahma - Busca por prazer.

1.2.1. Eu me sinto seguro, agora eu quero viver uma vida que vale a pena ser vivida, que eu gosto.

1.2.1.1. Busca por prazer direto

1.2.1.1.1. Quando a mente se sente segura, ela naturalmente busca por conforto e prazer.

2. Política

2.1. Conceitos inicias

2.1.1. Yogindram - O melhor do Yogis

2.1.2. Sankara (Acarya = Mestre)

2.1.3. Vasudeva é o mestre de Sankara e ao mesmo tempo um nome pra Deus.

2.1.4. GU (Simbolo para escuridão); RU (que remove).

2.1.5. Vedanta = Equação de matemática escrita em forma de poesia.

2.2. Meritocracia x Cotas

2.2.1. Sou contra a meritocracia e portanto sou contra as cotas.

2.2.1.1. Esses dois conceitos , aparentemente opotos politicamente, são bem próximos filosoficamente.

2.3. Há a possibilidade de se discutir esses assuntos livremente? Sem se defender nenhum lado?

2.3.1. Assumindo a minha ignorância que eu não sei realmente o que é melhor, existe espaço, então, pra a gente conversar.

2.4. A democracia

2.4.1. Toda a democracia é baseada em um sistema injusto: As pessos votam no que é melhor pra si. e quando se vota no que é melhor pra si, o somatório no país , não é o que é melhor pro país.

2.4.2. Se houvesse conhecimento na sociedade a democracia seria perfeita. Mas nunca existirá.

3. A busca pelo DHARMA

3.1. As buscas por segurança e prazer são percebidas que não tem fim.

3.1.1. Eu percebo que o prazer não é uma busca final. Ex: Se tenho uma briga em casa, não consigo ter mesmo prazer surfando, não faz sentido, não consigo me "desligar".

3.1.1.1. Essa nova busca vem através de um Insight, que Ishvra perminte, a pessoa tem u click. que não depende necessariamente da espiritualidade, mas sim de um exemplo.

3.1.1.1.1. Voce ve uma outra pessoa que tem uma maneira de viver, de penar e você aprende com esse exemplo que muda sua atitude diante do que esta em volta.

3.1.2. Eu tenho que susbtituir a busca por segurança e prazer pela busca pelo DHARMA.

3.1.2.1. Buscando pelo DHARMA, as buscas por segurança e prazer florescem

3.1.2.1.1. A possibilidade de buscar o Dhrama é o que sustenta a nossa mente.

3.1.2.2. Eu preciso encontrar uma forma de alinhar minha vida, minha atitude com aquilo que vejo que é correto.

3.2. Eu carrego dentro de mim um monstro. Minha sombra. Esse monstro é o que verdadeiramente destrói a minha vida, não são as outras pessoas.

3.2.1. Queo desenvolver a habiliade de entender a minha sombra

3.2.2. Preciso acabar dentro de mim com as leis, Eu nao preciso de leis se eu estiver em contato comigo mesmo. As leis so existem porque as pessoas não estao em contato consigo mesmo. Preciso encontrar dentro de mim o momento é que certo e errrado naturalmente existe dentro de mim e esta além das leis. Esse a busca pelo dharma.

3.3. O Dharma não é fazer o que é melhor pra mim.

3.3.1. O Dharma é entender que o que é melhor pra mim tem que estar harmônico com o outro.

3.4. O Dharma antecede o Individuo

3.5. Visishta Dharma

3.5.1. Dharma do Individuo

3.5.1.1. Dhamra Especifico

3.5.2. Talvez só eu entende esse dharma

3.5.3. Eu sei que serei julgado pelos otros, mas sei que aquilo é o certo a se fazer.

3.6. Samanya Dharma

3.6.1. Dharma da Sociedade

3.6.1.1. Associado a função dentro da espécie

3.6.2. Todo mundo consegue perceber o papel que deve ser desenvovido dentro daquele contexto

3.7. Eu preciso levar em conta a minha limitação, a minha ignorância do que é melhor pra mim, ou melhor pra meu filho.

3.7.1. O sistema tem que levar em conta a minha ignorância, a minha limitação.

3.8. O Dharma de um relacionamento

3.8.1. É quando o outro tem um desejo, eu valido o desejo dela.

4. A menos que eu entre em contato com o objetivo imediato dentro da minha mente de harmonia com o todo e as pessoas eu nunca vou ser  livre emocionalmente. Vou passar 50 anos ativista.

4.1. A pergunta não deve ser porque que o mundo é assim. Deve ser porque que o mundo assim incomoda tanto?

4.1.1. O que você vai descobrirr é que o que você está tentando negar no mundo existe dentro de você.

4.1.1.1. A ente nao vai conseguir ilhar pra si mesmo enquanto ela oondena o outro.

4.1.1.1.1. não é possível condenar o outro, a gente só se condena através do outo.

5. Todo abusador é um abusado em sofrimento.

6. Busca por Moksha.

6.1. 1) Lidar com o fato de que minha pessoa base é infeliz.

6.1.1. Uma busca que todo mundo tem de ser inteiro, de ser livre. De poder estar no momento presente.

6.1.1.1. Não é uma liberdade de sinto quando estou escutando uma música.

6.1.1.1.1. Quando a musica acaba e eu tenho que lidar com minha vida novamente, existe um sofrimento.

6.1.2. Existe a necessidade, um momento onde eu Encontro minha pessoa Base que viaja junto comigo e eu vou encarar a realidade que essa pessoa base é problemática.

6.1.2.1. E de verdade os problemas dessa pessoa base se refletem na sua expressão dentro do mundo.

6.1.2.1.1. Por isso a necessidade de sair dos grupos pra encarar o que é você dentro dessa história.

6.2. Eu preciso encontrar um caminho que eu não precise mais fugir da dor. Onde a dor não representa pra mim verdadeiramente dor.

6.2.1. O que é a dor?

6.2.1.1. É só um prazer interrompido.

6.2.1.1.1. Queria tanto abraçar minha mãe, mas ela não está mais aqui.

6.2.1.1.2. Eu queria ter alguem legal pra conversar, mas meu amigo me sacaneia a toda hora.

6.2.1.1.3. As nossas dores e nossos medos são os nosos prazeres disfarçados.

6.2.1.2. Não existe a necessidade de eu evitar a dor. Tenho a necessidade de transformar a dor, de entrar por dentro da dor e descobrir o amor e a compaixão.

6.2.1.2.1. A dor passa a ser uma porta de entrada pra eu entender a minha personalidade.

6.2.1.3. A fonte da dor é a ignorancia.

6.2.1.3.1. Pro filho se sentir abandonado pela mãe , ele precisa de ignorancia.

6.2.1.3.2. Sem ignorância, não há nada que eu possa escutar de um amigo que me cause dor.

6.2.1.4. Sofrimento

6.2.1.4.1. Sofrimento. Uma serie d julgamento que faço sobre mim mesmo por causa da presença da dor.

6.2.2. Onde esta centrada a minha dor e a minha felicidade?

6.2.2.1. A dor esta centrada na minha ignorância.

6.2.2.2. A felicidade não está centrada em lugar nenhum. Ela não tem a necessidade de algo externo pra que lea exista dentro da minha mente.

6.2.2.2.1. No momento em que eu suspendo as minhas opiniões sobre o mundo e sobre mim mesmo, eu estou feliz.

6.2.2.2.2. No sono profundo eu estou feliz.

6.2.2.2.3. Quando alguem me dar um elgogio, me livra da miha insegurança e estuo feliz.

6.2.2.2.4. Num sorriso eu tou feliz

6.2.2.2.5. A felicidade não é oposta a dor, ela esta sempre presente. Ela é a base, mas por cima dessa base aparece a minha ignorânica e antes de me ver inteiro eu me vejo inseguro.

6.3. 2) Definitivamente a minha pessoa base nao pode deixar de ser infeliz por algo externo.

7. A gente ta discutindo as buscas humana. e nesse processo a gente ta rompendo com nossas cascas. estamos nos colocando no mesmo chão que todo mundo. quer não quer buscar por segurança?