Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Auxinas por Mind Map: Auxinas

1. AIA

1.1. SÍNTESE

1.1.1. Rápida divisão celular e crescimento

1.1.1.1. Merist. apicais do caule

1.1.1.2. Tec. jovens - folhas

1.1.1.3. Merist. apicais da raiz

1.1.1.4. Frutos jovens

1.1.1.5. Sementes e reservas

1.1.1.5.1. conjugados de alto e baixo peso molecular são estoque reversível de AIA, pool de RESERVA HIDROLISÁVEL e intermediários na degradação.

1.1.2. Na maturação foliar o local de síntese muda com o tempo.

1.1.3. precursores

1.1.3.1. triptofano

1.1.3.2. indol - 3 - glicerol fosfato

1.1.4. Rotas triptofano dependentes

1.1.4.1. rota IAN: Brassicaceae, Poaceae e Musaceae

1.1.4.2. rota AIP

1.1.4.2.1. 3 indol pirúvico: desaminação para formar AIP, depois uma reação de descarboxilação para formar o indol-3-acetaldeído, o qual é oxidado a AIA por uma desidrogenase

1.1.4.3. rota TAM

1.1.4.3.1. triptamina: ordem inversa das reações de desaminação e descarboxilação da AIP, as plantas que não utilizam a rota AIP apresentam a TAM

1.1.4.4. IAM: bactérias

1.1.5. Rota triptofano independente

1.2. QUÍMICA: pequena CARGA + no ANEL AROMÁTICO e uma CARBOXILA - (em comum entre elas)

1.3. Ações

1.3.1. formação de raízes ADVENTÍCIAS em folhas e caules

1.3.2. divisão celular em cultura de CALO + CITOCININA

1.3.3. alongamento celular em COLEÓPTILOS e segmentos de CAULE

1.4. DEGRADAÇÃO

1.4.1. Rotas

1.4.1.1. Ácido oxindol-3-acético (OxAIA)

1.4.1.1.1. OxAIA-gligose

1.4.1.2. Conjugado AIA-aspartato

1.4.1.2.1. OxAIA

1.4.2. Sem enzimas

1.4.2.1. FOTODESTRUIÇÃO

1.4.2.1.1. pode ser promovida por pigmentos vegetais como RIBOFLAVINA

1.4.3. Descarboxilação enzimática a 3-metileneoxindol

1.4.3.1. PEROXISSOMOS

1.5. TRANSPORTE

1.5.1. Transporte POLAR

1.5.1.1. base-ápice (do ÁPICE para a BASE RADICULAR) = ACRÓPETO

1.5.1.2. do ÁPICE para a BASE = BASÍPETO

1.5.1.3. GASTA ENERGIA

1.5.1.3.1. sensibilidade no transporte polar à falta de O2, à depleção de sacarose e a inibidores metabólicos

1.5.1.4. INDEPENDE DA GRAVIDADE

1.5.1.5. COLEÓPTILO, CAULE, PECÍOLO, FOLHA, RAIZ

1.5.1.5.1. XILEMA (parenquimático vascular)

1.5.1.6. ++ cécula-célula, menos pelo simplasto

1.5.1.6.1. Modelo QUIMIOSMÓTICO

1.5.1.6.2. GLICOPROTEÍNAS-P

1.5.1.7. Tem importancia no DESENVOLVIMENO DA POLARIDADE RAIZ/PA

1.5.2. Transporte pelo FLOEMA

1.5.2.1. ESTELO da raiz

1.5.2.2. ASCENDENTE ou DESCENDENTE

1.5.2.2.1. LONGAS DISTÂNCIAS

1.5.2.3. MAIS RÁPIDO que transporte polar

1.5.2.4. PASSIVA e forças FONTE-DRENO

1.5.2.5. controle da DIVISÃO CELULAR no câmbio

1.5.2.6. controle da RAMIFICAÇÃO DAS RAÍZES

1.5.2.7. controle no ACÚMULO DE CALOSE e remoção dos elem. de tubo crivado

1.6. EFEITOS

1.6.1. Alongamento Celular

1.6.1.1. Tecidos externos do caule

1.6.1.1.1. complexos de efluxo laterais transportam pra fora

1.6.1.2. Aumenta EXTENSIBILIDADE da parede celular

1.6.1.2.1. GT DE POTENCIAL HÍDRICO estimula absorção

1.6.1.2.2. - PRESSÃO DE TURGOR pela - rigidez da parede

1.6.1.2.3. AFROUXAMENTO da parede (bioquimico)

1.6.1.3. EXTRUSÃO DE H+ (Crescimento Ácido)

1.6.1.3.1. Originários da H+ATPase em resposta à auxina

1.6.1.3.2. Tampões neutros inibem

1.6.1.3.3. Tampões ácidos estimulam

1.6.1.3.4. cinétida da extrusão = tx de crescimento induzido pela auxina

1.6.2. Fototropismo

1.6.2.1. A luz é percebida no ápice, mas a curvatura ocorre abaixo.

1.6.2.2. Percepção de estímulo unilateral

1.6.2.2.1. efluxo lateral (PIN3)

1.6.2.2.2. desestabilização de PIN1 basais

1.6.2.3. Aumento de absorção de AIA

1.6.2.4. Lado sombreado fica mais ácido (apoplasto)

1.6.2.5. Em resposta, transporte lateral para o LADO SOMBREADO e depois para baixo, na região de alongamento.

1.6.2.5.1. CRESCIMENTO DIFERENCIAL (Darwin)

1.6.3. Gravitropismo

1.6.3.1. Percepção realizada por ESTATOLITOS, amiloplastos grandes e densos

1.6.3.1.1. sedimentam na base da célula (ESTATOCITO)

1.6.3.2. Caules e coleóptilos - detecção na BAINHA AMILIFERA

1.6.3.3. Raízes primárias - estatolitos na COLUMELA da COIFA

1.6.3.3.1. Hipótese do RE Nodular

1.6.3.3.2. Hipotese do estatolito-amido

1.6.3.3.3. Mecanismo alga Chara

1.6.3.4. A percepção pode envolver pH e Ca++ (mensageiros secundarios)

1.6.3.5. Ápice na horizontal - redistribui lateralmente para metade inferior

1.6.3.6. Tecidos abaixo do ápice também respondem

1.6.3.7. Auxina redistribuida na coifa lateralmente se acumula de forma a inibir o crescimento de células inferiores e a redução estimula superiores.

1.6.4. Tigmotropismo

1.6.5. Desenvolvimento

2. AIB

2.1. com conjugados contribuem para o pool de reserva de AIA

2.2. Pode ser convertido em AIA por BETA-OXIDAÇÃO no PEROXISSOMO