Introdução ao Rádio

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Introdução ao Rádio por Mind Map: Introdução ao Rádio

1. História do Rádio

1.1. 1863 - James Clerck Maxwell demonstrou a provável existência de ondas eletromagnéticas.

1.2. 1887 - Herts descobre princípio da propagação radiofônica.

1.3. 1896 - Guglielmo Marconi demonstra aparelhos emitindo e recebendo sinais na inglaterra.

1.4. 1897 - Oliver Lodge inventou circuito elétrico possibilitando mudança de sintonia para outra frequência,

1.4.1. No Brasil, o padre-cientista Roberto Landell de Moura inventou vários aparelhos importantes para o rádio.

1.4.1.1. Percursor nas transmissões de vozes e ruídos.

1.5. 1916 - Lee Forest instala primeira estação de rádio-fusão em NY.

1.5.1. Primeiro programa de rádio que se tem conhecimento.

1.5.1.1. Conferência, músicas.

1.5.1.2. Primeiro radiojornal com a transmissão da apuração das eleições.

1.6. 1920 - microfone surge pela melhora do bocal do telefone, nos EUA por engenheiros da Westinghouse.

1.6.1. Própria Westinghouse fes nascer rádio-fusão por acaso.

1.6.1.1. Transmitiu de sua própria torre músicas para pessoas para quem vendeu rádios parados depois do fim da Primeira Guerra Mundial.

1.7. Em 1921 havia 4 emissoras de rádio nos EUA

1.7.1. Em 1922 havia 382 emissoras.

1.7.1.1. Rádio comercial implantada tendo a WEAF de NY como pioneira.

1.8. 1927 - começa era eletrônica do rádio. Músicas são transmitidas direto do toca-discos.

1.9. Início anos 30 - Brasil já tinha 29 emissoras de rádio.

1.9.1. Rádio comercial desponta.

1.9.1.1. Surgem anúncios cantados, jingles

1.9.2. Rádio Record, Rádio Nacional e Rádio Tupi são criadas nessa época.

1.10. 1932 - Getúlio Vargas autoriza publicidade em rádio.

1.10.1. Ademar Casé estréia programa na Rádio Philips sendo o primeiro a criar um jingle no Brasil.

1.10.2. Empresas multinacionais primeiras a patrocinarem rádios.

1.10.3. Enorme influencia na política com propagandas eleitorais.

1.10.4. Abandona perfil educativo e elitista. Torna-se popular.

1.10.4.1. Linguagem torna-se direta.

1.10.4.1.1. Anos 30 e 40 aparecem prigramas de música popular lançando Carmem Miranda e Orlando Silva.

1.10.4.1.2. Surgem programas de humor, de auditório de novelas.

1.11. Brasil

1.11.1. 1922 à 1935 - Fase de transmissão experimental e de programação cultural e educativa.

1.11.1.1. 1922 - primeira transmissão de rádio no Brasil.

1.11.1.1.1. Discurso presidente Epitáfio Pessoa comemorando centenário da Independência do Brasil no Rio de Janeiro.

1.11.1.1.2. Próxima emisão acontece somente um ano depois com a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro.

1.11.1.2. 1934 - Rádio difusora é criada, conhecida como som de cristal.

1.11.1.2.1. Termo radialista inventado por Nicolau Tuma

1.11.1.3. 1935 - Nasce A Voz do Brasil em plena ditadura Vargas

1.11.1.3.1. Em 1995 entrou para o Guinnes Book como programa de rádio mais antigo do Brasil

1.11.1.3.2. Assis Chateaubriand inaugura PRG-3, Rádio Tupi

1.11.2. 1935 à 1955 - consolidação e anos dourados do rádio.

1.11.2.1. 1936 - Estréia Ary Barroso na rádio.

1.11.2.1.1. Narrador esportivo polêmico que tocava gaita enquanto narrava.

1.11.2.2. 1937 - Mais da metade das 63 estações de rádio havia sido instalada nos últimos 3 anos.

1.11.2.2.1. 90% em mãos de empresários.

1.11.2.3. 1938 - Primeira transmissão esportiva no Brasil

1.11.2.4. 1941 - primeira rádio novela é transmitida.

1.11.2.5. 1942 - Chacrinha estréia na Rádio Difusora. Tem esse nome pois a emissora ficava numa chácara.

1.11.2.5.1. Rádio nacional inaugura primeira emissora de ondas curtas passando a transmitir para todo o território nacional, o que chamava muito a atenção dos patrocinadores. Contratavam profissionais e se tornou uma grande emissora como exemplo a ser seguido.

1.11.2.6. 1950 - Inaugurada primeira emissora de televisão brasileira: TV Tupi. Ao final da década, com a popularização da TV, o apogeu do rádio chega ao fim.

1.11.3. 1955 à 1976 - perda do espaçõ do rádio para a televisão

1.11.3.1. Década de 1960 - Rádio AM assume características atuas.

1.11.3.1.1. Artistas do rádio migram para a TV. Programas de humor são sbstituidos por música e novelas e programas de auditório por serviços de utilidade pública

1.11.3.2. 1967 - Criado ministério das comunicações

1.11.3.3. 1968 - Surgem emissoras de frequencia modulada (FM)

1.11.3.3.1. última tansmissão do Reporter Esso, depois de 27 anos no ar, com Roberto Figueiredo em lágrimas.

1.12. 1933 - Edwing Armstrong demonstra sistema FM para executivos da RCA.

1.13. 1938

1.13.1. Transmissão de "Aguerra dos mundos" em que simulavam a invasão de alienigenas à Terra, o que causou muito pânico nos EUA e a transmissão foi interrompida.

1.14. 1939 - Edwin inicia operação primeira rádio FM.

1.15. 1946 - Surgem gravadores fitas magnéticas surgem

1.16. décadas de 1960 e 1970 - aparelho radiofônico fica menor, individualização da escuta, segmentação, comunicador.

1.17. 1990 - rede bandeirantes se torna primeira emissora do Brasil a transmitir via satélite.

1.18. 1991 - o sistema Globo inaugura CBN

1.19. 1995 - Início da campanha para o fim da obrigatoriedade da transmissão da voz do brasil.

1.20. 2005 - Comemorando 84 anos do rádio no Brasil, inicia-se primeiras transmissões digitais.

1.20.1. AM é dedicada à informação, FM, à intretenimento.

1.20.1.1. FM é muito mais ouvida, principalmente pelo público jovem.

2. Oralidade e escrita

2.1. o rádio reproduz voz sem corpo

2.2. é um meio cego, usa o poder da sugestão para retirar o ouvindo do estado de ouvir para o de escuta atenta

2.3. teve que desenvolver técnicas para assimilação e memorização das mensagens

2.4. commedia dell'arte foi uma forma de teatro popular improvisado que começõu no século 15 na Itália

2.5. mistura etnias posssibilita grande abordagem de todos os elementos radiofonicos

2.6. situações

2.6.1. oralidade primária: somente voz sem contato com a escrita

2.6.2. oralidade mista: coexiste com a escrita mas a oral prevalece

2.6.3. oralidade secundária: a palavra escrita ganha precedência tanto em atos como em imaginação sobre autoridade a voz

2.6.4. oralidade mediatizada: meios auditivos e audiovisuais

2.7. há textos improvisados, textos retirados da mídia impressa.

2.7.1. gilete-press: ler o texto do meio impresso no radiojornalismo

2.7.1.1. essa prática desvaloriza o rádio, demonstra desconhecimento da linguagem e estrutura do rádio

2.8. mesmo com a fala predominando, os elementos devem ser ordenados.

2.8.1. composição sonora

2.8.2. o tempo determina toda programação e produção

2.8.3. texto para ser oralizado, diferente do texto para escrita

2.8.3.1. até um texto que não foi feito para ser oralizado, ao ser vocalizado adquire materialidade e indentidade diferentes

2.9. tudo se transforma em voz

2.10. desdobramento da voz, modulação de voz, efeitos, trilhas

2.10.1. Eli Correa - o locutor utiliza um caráter ficcional e dramático para narrar as cartas enviadas pelos ouvintes

2.11. tatilidade

2.11.1. intensidade, altura, volume, timbre, ritmo e gingado conferem gestualidade e colorido às enunciações

2.12. tipos de mensagens

2.12.1. dialogada: locução em que mais de uma pessoa realiza uma conversa

2.12.2. dramatizada: semelhante a anterior, porém com encenação de histórias, carregado de emoção

2.12.3. improvisada

2.12.4. institucional: relativa à instituição

2.12.5. suave: transmitir credibilidade de forma tranquila

2.12.6. coloquial ou de varejo: locução comum de pessoas do dia a dia.

2.12.7. caricata: acentua características fortes de alguem, reproduzindo algum personagem ou pessoa famosa de forma cômica

2.12.8. jovem: locuções rápidas, dinâmicas, ágeis, para cima, dirigida a jovens com linguagem mais moderna e gírias.

3. Vantagens do rádio

3.1. caráter sugestivo

3.2. penetração em diferentes classes sociais

3.3. imediatismo

4. Limitações do rádio

4.1. unisensorialidade

4.2. ausência de imagem

4.3. efemeridade da palavra

5. Roteiro radiofônico

5.1. fala armazenada. deve dar ao ouvindo impressão de que o radialista está falando com ele. significado das palavras transmitidos na inflexão delas.

5.2. para que? para assegurar o que será dito; para garantir que tudo seja dito, que o tempo será devidamente preenchido e todas as informações e argumentos apresentados na ordem certa; para permitir que outras pessoas comuniquem as ideias

5.3. sentenças curtas